segunda-feira, 16 de maio de 2011

O prazer de experimentar

A nova onda do marketing no Brasil é pôr o cliente para testar produtos – de cadeiras de avião a camisinhas

Por Rodrigo Turrer - Revista Época - Ed. 675 - 25/04/2011

O estudante Roger Lima, de 28 anos, ganhou a tarefa dos sonhos de muita gente: testar todo tipo de camisinha e gel lubrificante. Ele foi um dos 100 ganhadores do primeiro concurso para ser um testador da marca de preservativos Prudence, no ano passado. Sua única obrigação era receber e usar, todo mês, kits gratuitos com 50 produtos. “Meus amigos me perguntam qual é a melhor camisinha e quando usar, e eu sei indicar a melhor para cada momento”, diz Roger, em tom de autopropaganda.

Por um ano, Roger avaliou os produtos. “Eu me surpreendi com a variedade de camisinhas e de outros produtos, nunca pensei que houvesse tantos.” O teste acabou se tornando um argumento para sair com mulheres. “A ideia me assustou, fiquei com medo de que elas me achassem um tarado ou pervertido.” Diz ele que ocorreu o contrário. “Elas adoravam, achavam sexy. Teve uma que tentou monopolizar, mas não deixei”, afirma, rindo.

Transformar o consumidor em profundo conhecedor do produto para colher a opinião dele logo depois é uma jogada de marketing comum em outros países. Na Inglaterra, uma cervejaria faz testes semestrais com um seleto grupo de beberrões que atestam – de preferência ainda sóbrios – a qualidade do produto. No Japão e nos Estados Unidos existem “clubes” de experimentadores: os interessados se cadastram, pagam uma anuidade e retiram produtos fornecidos por diversas marcas, de ração para cachorro a TVs de LED. A contrapartida? Preencher formulários com opiniões e informações depois de experimentar.

No Brasil, essa tendência é novidade. No fim do ano passado, a Embraer fez uma parceria com estudantes da Universidade de São Paulo, da Universidade Federal de São Carlos e da Federal de Santa Catarina. Os alunos haviam criado um simulador das condições reais de voo (capaz de reproduzir condições de pressão, temperatura, ruído e vibração). A Embraer cadastrou pessoas acostumadas a viajar de avião para avaliar, no simulador, o que pode ser feito pelo conforto do passageiro. Os testes já começaram.

No ano passado, uma loja só com produtos para teste estreou em São Paulo: o Clube Amostra Grátis. O cliente paga uma taxa anual de R$ 50 e tem direito a retirar cinco produtos por mês na loja, na Vila Madalena. Também pode experimentar inúmeros eletrodomésticos. A empresa já tem mais de 10 mil associados e pretende abrir uma filial no Recife, em julho. A Sample Central, nos Jardins, também segue o conceito de “lojas grátis”: cobra uma anuidade de R$ 15 e permite testes com hora marcada na loja.

As duas formas de incluir o consumidor nos testes de produtos fazem parte de uma jogada de marketing que incentiva a propaganda boca a boca. O jargão chama isso de “tryvertising” – mistura das palavras inglesas “try”, de teste, e “advertising”, de propaganda. “A ideia é estabelecer um contato do cliente com o produto pela experiência direta, que aumenta as chances de ele ser fiel à marca”, afirma David Aaker, professor de marketing da Haas Business School, em Berkeley, na Califórnia. “É uma forma infalível de valorizar a marca porque estufa o ego do consumidor, aproxima o cliente da marca e dá mais chances de a empresa acertar em iniciativas futuras.” A experiência convenceu Roger. “Testar fisicamente todos os produtos de uma marca me fez sentir especial”, diz.

Prezadas e Prezados, o que essa iniciativa por parte das empresas pode nos dizer sobre os estudos do Comportamento do Consumidor?

32 comentários:

  1. Iniciativas como essa deveriam ser mais comuns a todas as empresas, pois, por mais que se estude o perfil dos consumidores por meio de pesquisas e estatisticas, não são raras as vezes que as emrpesas são surpreendidas ao colocar um produto na prateleira que segundo as pesquisas seria rentavel mas que por motivos pessoais do consumidor sofre rejeição. Cabe as empresas investirem no processo e corrigir os possiveis erros encontrados nos resultados.

    miriam/ 6º período / P.P – Noite

    ResponderExcluir
  2. Eu acredito que através destas incentivações acabam gerando em torno do comportamento do consumidor, passando por todos os processos do consumo...necessidade, desejo, preferência, percepção e atitude. Passamos por todos estes processos ao compartilhar um ambiente onde temos todos os produtos disponíveis para matar a nossa curiosidade do produto. Essa maneira de experimentação do produto acaba agregando um valor maior, pois assim o consumidor conhecerá o produto melhor antes mesmo de adquiri-lo ou melhor ter a atitude final que é a compra do produto.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite pessoal!
    Em primeiro lugar, gostaria de dizer que o time do professor foi um "bom" adversário, mas que o maior de minas todos nós já sabemos.

    Todos nós seres humanos somos desconfiado de alguma forma, por isso essa atitude de colocar o cliente em contato com o produto, faz com que o mesmo se sinta confortável de certa forma. No Brasil isso é muito utilizado em lojas de carros novos, que incentivam o cliente a fazer um pré teste do produto, o famoso "test drive".

    Eu acredito que essas atitudes ajudam o consumidor a se decidir sobre um determinado produto ou não, ao ter contato com o produto/serviço o consumidor tem a opção de avaliar com sua própria bagagem e conhecimento a real importância do produto pro seu dia a dia.
    Abraços galera
    André Ferreira Santana
    6º PP - Manhã

    ResponderExcluir
  4. DANIEL ASSUMPÇÃO - PP/NOITE18 de maio de 2011 17:03

    DANIEL ASSUMPÇÃO PP-NOITE

    Eu vejo que essa é uma inicativa muito eficaz sim, e evidentimente a empresa poderá constatar o comportamento do consumidor. Dependendo do produto, eu gostaria sim de testá-lo, ou quem sabe ganhá-lo para que minha opinião fosse demonstrada. Isso faria com que a empresa modificasse ou adequasse determinado produto para melhor atender seus clientes. Afinal, não há ninguém melhor para dizer se o produto é bom ou não do que o cliente.

    DANIEL ASSUMPÇÃO PP-NOITE

    ResponderExcluir
  5. Vejo esta iniciativa nao so como fidelizacao do consumidor a marca, mas tambem como uma forma da marca ouvir seu publico com intuito de lapidar o produto conforme as necessidades e perfil de cada usuario.Quando se escolhe uma pesquisa ou um questionario ou ate mesmo a prova do produto faz com que o consumidor sinta que a marca de ouvidos a suas opinioes.Alem do mais com essas acoes o famoso "boca a boca" muda muito a imagem da empresa.Apartir destas acoes ha possibilidade de um produto nao ser aceito e minima pois um grupo de consumidores dando auxilio dara maior qualidade ao produto e credibilidade a marca.
    Thiago Junio PP noite

    ResponderExcluir
  6. As ações envolvendo o tryvertising são bastante inovadoras, pois caminham no sentindo contrário ao que os consumidores estão acostumados, trazendo a experimentação até eles, ao invés de eles irem até ela.

    A experiência gerada através deste tipo de ação faz com que um grande número de consumidores crie uma identidade emocional com a marca ou com o próprio produto, já que ambos passam a fazer parte de momentos prazerosos em suas vidas. Nessas horas, é possível que o cliente esqueça que aquilo é um teste e passe a sentir o produto como se já fosse seu.

    O tryvertising é um ótimo aliado das empresas, pois é um convite ao consumismo, e creio que essa tendência deverá se espalhar por todo o Brasil.

    Hoje em dia, um dos principais meios de sobrevivência de uma empresa é conhecer o seu público e entender o seu consumidor, que, atualmente, é super atuante nas redes sociais, tem acesso à internet através do celular, fala do atendimento que recebeu e, por isso, pode ser o melhor promovedor de uma marca, da mesma maneira que pode derrubá-la. Portanto, é importante estar ciente que apenas uma boa propaganda não é o suficiente. O que ajuda mesmo a vender um determinado produto é o que o consumidor vai falar dele para um amigo, e assim por diante, ou seja, o famoso boca a boca.

    Fernanda Fráguas Magalhães
    PP - Noite

    ResponderExcluir
  7. Acho fantástica a idéia de poder experimentar um produto antes de adquiri-lo. Um dos maiores freios de qualquer cliente é a dúvida que se manifesta no momento de adquirir algum bem, "será que é isso mesmo que preciso ou procuro?" com o tryvertising grande parte dessa insegurança acabará.
    O ego do consumidor também é um grande aliado no momento do tryvertising, todos gostamos de saber das coisas em primeira mão, quem não gosta de estar ligado às novas tendências e nesse caso será ainda melhor, mais do que saber falar o consumidor terá experimentado, sentido e vivido, o que será por si só uma experiência única.

    Gabriel Aires
    6ºPP Noite

    ResponderExcluir
  8. O consumidor está cada vez mais exigente. Ao mesmo tempo, há uma grande evolução no estudo do comportamento do consumidor.

    Trazer o consumidor cada vez mais para perto da sua marca, é uma tendência mundial de grandes corporações que está chegando no Brasil e tem tudo para dar certo.

    O Clube Amostra Grátis, citado na matéria, oferece produtos diversos, tais como: alimentos, bebidas, produtos de beleza e saúde, casa, higiene pessoal, limpeza, dentre outros.

    Acho muito válida esta iniciativa pois, como vimos em sala de aula, existem os líderes de opinião. A partir do momento em que grandes empresas buscarem no mercado este consumidor líder, a divulgação do seu produto será cada vez mais direta, o que levará ao crescimento das vendas.

    Em Minas Gerais, temos um público bastante seletivo e desconfiado. Creio que esta tendência, ao se estabelecer por aqui, terá enorme sucesso, pois o mineiro muitas vezes espera que "os outros" consumam determinado produto para, então, decidir pela compra do mesmo.

    Luiz Cláudio Lessa
    6o PP Noite

    ResponderExcluir
  9. Boa noite!

    Fazendo uma ligação com o comportamento do consumidor, esse tipo de atitude por parte das empresas faz com que o cliente crie um vinculo com o produto pelo qual está 'testando'.
    As empresas além de obter resultados nas vendas pelo boca a boca, conseguem também os resultados por parte dos consumidores que apontarão os defeitos e qualidades.
    O comportamento do consumidor, utilizando o produto, é estudado e a partir daí a empresa começa a se reestruturar e seguir os desejos de seus clientes, sendo eles sempre relevantes para se manter um contato próximo com cada um deles.

    ResponderExcluir
  10. A iniciativa dessas marcas demonstram que experimentar conectar com seus públicos a partir de novas tendências mantem-se a marca sempre a sombra da inovação, prevendo riscos e atencipando mudanças a fim de criar novas iniciativas de comunicar e atingir seu target. Ainda acredito na força da propaganda como instrumento de manutenção de marca e propagação, mas o consumo por recomendação ainda se mantem como forte fonte de conectar ao target.
    MARCELA SALES PP NOITE

    ResponderExcluir
  11. Eu acredito que através destas incentivações acabam gerando em torno do comportamento do consumidor, passando por todos os processos do consumo...motivação,necessidade, desejo, preferência, percepção e atitude. Passamos por todos estes processos ao compartilhar um ambiente onde temos todos os produtos disponíveis para matar a nossa curiosidade do produto. Essa maneira de experimentação do produto acaba agregando um valor maior, pois assim o consumidor conhecerá o produto melhor antes mesmo de adquiri-lo ou melhor ter a atitude final que é a compra do produto.

    ResponderExcluir
  12. A iniciativa dessas empresas é de grande valia pois ao selecionar os "experimentadores" elas acabam atingindo os grupos de consumidores por meio da experiência dos integrantes desse grupo. O consumidor, como afirma o próprio Roger, se sente mais valorizado e especial por ser um escolhido para testar os produtos ou serviços de determinada marca. E esse sentimento ajuda a penetração da marca nos grupos, atingindo os indivíduos de dentro do seu próprio ciclo.
    Com certeza é uma iniciativa que tem muito a crescer no Brasil e trará bons resultados às empresas que adotarem o método.

    Lorena Moreira - PP - Noite

    ResponderExcluir
  13. Adriana Lucas - PP - Noite

    Essa forma de teste de produtos por determinados consumidores pode se tornar um grande sucesso. Se uma marca consegue fazer com que um líder de determinado grupo aceite não só um, mas vários produtos desta marca, é muito provável que o uso de tais produto seja difundido para o restante do grupo, alcançando assim o objetivo comercial da marca.

    ResponderExcluir
  14. Quem não gosta de ganhar uma "amostra grátis"?
    E de ser um dos primeiros a fazer um teste em um produto inovador?
    O investimento publicitário tem se diversificado cada vez mais, e oferecer aos consumidores a possibilidade de experimentar o seu produto/serviço é excelente, pois traz mais comentários a respeito da marca. Isso vem acontecendo nos sites de compra coletiva, através de grandes descontos, e conquista novos clientes às empresas que promovem as suas marcas nesses sites. Aliás, são clientes satisfeitos por poderem consumir pagando menos.
    Essa é certamente uma tendência, que já origina mudanças e revolucionará o mercado no futuro.

    ResponderExcluir
  15. Esta nova tendência tem tudo para dar certo, é uma iniciativa muito interessante. As empresas só têm a ganhar, pois alem de divulgarem seus produtos, elas recebem o feedback dos associados, tendo então a chance de ajustar o produto para colocar no mercado e também de tornar este associado fiel a marca, que consequentemente leva os produtos ao conhecimento de familiares e amigos.

    Já os associados, alem de avaliar o produto em primeira mão, eles se sentem privilegiados, especiais ao usar um produto antes de ser lançado no mercado e é claro, aproveitam também de seus benefícios. Nos sentimos mais seguros ao comprar algo que conhecemos, é como acontece com as amostras grátis, que ao experimentar, tomamos a decisão de comprar ou não, evitando a decepção. A iniciativa é boa, uma troca justa e um jeito inteligente de se pensar em marketing.

    Janaína Bueno / 6º P. / P.P – Noite

    ResponderExcluir
  16. Este novo conceito que chegou recentemente no Brasil,é muito vantajoso tanto para as empresas,quanto para os consumidores.
    Pois as empresas alem de ganharem a tradicional publicidade"Boca a Boca",tambem saberão o que os consumidores acharam de seus produtos antes mesmo de terem sido lançados no mercado.Podendo assim,modifica-los da maneira que o consumidor pedir.
    E o consumidor tera a vantagem de experimentar com exclusividade os produtos ,assim podendo ter a segurança de que futuramente podera adiquirir produtos de qualidade e que ira agrada-lo.
    Para mim o tryvertising,é um otimo meio para as empresas ouvirem e atenderem as opiniões dos consumidores.

    TAMIRIS LOPES 6° PP NOITE

    ResponderExcluir
  17. Essa iniciativa das empresas é uma ótima jogada de marketing para persuadir líderes de grupo a experimentarem o produto e difundirem a idéia entre os demais integrantes, fazendo com que todos gostem e passem a consumir o produto.

    Esse tipo de iniciativa também é muito boa para as empresas por ser uma forma a mais de saber como é o perfil de consumo das pessoas ou de, pelo menos tentar adequar o produto testado para que fique compatível com o gosto do consumidor final.

    Sem falar na satisfação do consumidor ao participar de um teste de produtos como esse. Ele acaba se sentindo importante e responsável por divulgar o que experimentou e repassar sua opinião sobre o mesmo.

    Lisabell Figueiras Calhau
    6° PP NOITE

    ResponderExcluir
  18. Essa iniciativa nos mostra uma nova tendência no mercado que foi adotada como forma a atrair e fidelizar de forma eficiente o cliente.

    Antes as oportunidades de se ter uma experiência com produtos era menor, ou seja, as probabilidades eram de "8 ou 80", ou tu iria gostar do produto ou iria de arrepender da compra.

    Esse contexto foi se alterando e se adaptando as necessidades do consumidor, seja ela de o indivíduo se sentir exclusivo, ou do consumidor sentir confiança no produto que acaba de adquirir.

    Ao selecionar pessoas específicas para experimentar os produtos melhora-se a divulgação deste através dos relatos das experiências, com as quais as outras pessoas acabam por se identificar com o "lider" e compartilhador das experiencias, o que aumenta o grau de satisfação do consumidor.

    Camila Flores - 6º Período - PP - Manhã

    ResponderExcluir
  19. Colocar um cliente para testar os produtos é uma ótima iniciativa da empresa. O cliente passa a conhecer o produto mais de perto, passando uma maior confiança para os clientes da marca e para pessoas que ainda não conhecem o produto. Colocando os clientes para testar os produtos é uma formar de conhecer o perfil do consumidor . Além da empresa conseguir divulgar o seu produto fazendo a famosa propaganda boca a boca, a empresa consegue desenvolver um produto de acordo com o perfil desejado , dessa forma o objetivo maior será alcançado que é a divulgação da marca e a compra do produto.

    Patrícia Brandão – 6º P.P/Noite

    ResponderExcluir
  20. achei a ideia muito boa! alem de aproximar o consumidor do produto a empresa torna o consumidor um grande conhecedor do produto e fidelizando o consumidor a marca. a empresa "garante" a qualidade do produto ja que ela deixa seu consumidor experimentar antes mesmo de pagar pelo produto alem do mais isso me parece uma otima maneira de fazer pesquisa de satisfacao de uma forma muito barata. achei a ideia otima gera uma divulgacao boca a boca e sem duvida desperta a curiosidade de grande parte das pessoas.
    como ja foi discutido em sala de aula essa forma de divulgacao e ideal para atingir os grupos primarios, e muito mais facil usar um produto indicado por alguem proximo de sua confianca, tem muito mais credibilidade do que uma propaganda onde a sandy diz que um cerveja é boa.
    espero que essa "moda pegue"

    Renata Delfim PP manha

    ResponderExcluir
  21. De cara, podemos constatar que esta já é uma tendência mercadológica. É bastante inteligente por parte das empresas colocar o consumidor para testar o produto porque nem sempre ele está disposto a investir grandes cifras em determinado produto, ainda mais quando ele ainda não possui referências positivas acerca do mesmo. Além disso, também podemos caracterizar como positiva esta atitude pois, após a experimentação e aprovação por parte dos participantes do teste, estas opiniões podem ser utilizadas como referência para que os outros targets consumam este produto e possivelmente podem ser relatadas pelos mesmos em redes sociais ou conversas informais. E esta recomendação vem de uma pessoa normal, assim como ele, o que gera uma credibilidade para esta publicidade - semi-espontânea.

    ResponderExcluir
  22. Criar, Criar, Criar ... Voar , Voar , Voar ..
    Parece refrão de música não é mesmo ? Mas é o que penso e entendo por um bom trabalho de marketing.
    Não pode ter fronteiras, não ser algemado, deve ter liberdade para alcançar novos voos inimagináveis:
    Por isso todas as formas de trazer o consumidor para conhecer os produtos dentro da empresa e ainda com possibilidade de ser gratuito, pode ser um indicativo de publicidade acertada, que cada vez mais as empresas/ produto/ marketing devem ir " aonde o povo está"
    Essa tendência é nova no Brasil, mas veio para ficar.
    É assim:
    Experimentou, Gostou! Comprou!


    CAROLINA VASCONCELOS DOS REIS
    PP Manhã - 6° Período

    ResponderExcluir
  23. O consumidor, precisa de novidades para manter a marca, serviço ou produto num patamar favorecido de sua rotina e o mercado percebeu que este mesmo consumidor está preferindo ter uma relação mais pessoal.
    Diferenciais como os citados no texto, além de tratar o consumidor como uma pessoa mais próxima, valorizar a opinião do mesmo, deixa o consumidor mais seguro em relação a marca, serviço ou produto.
    A certeza que o consumidor não ficará na mão quando precisar, que essa relação é confiável, aumenta e melhora a imagem do anunciante no mercado.

    Bárbara Soares PP/ Noite

    ResponderExcluir
  24. Bruno Eduardo - 6 Período Manha2 de junho de 2011 12:25

    Pode utilizar quando a empresa começa a se reestruturar e seguir perante ao desejos do cliente.A propaganda ganha muita força como existente no instrumento de manutençao de marcas e o consumo e tamebém aproveitar os privilégios dos produtos,porém antes de ser lançado no mercado.

    ResponderExcluir
  25. Essa é mais um das grandes estratégias de marketing para poder atingir o consumidor a compra. Acho muito interessante e inovador, porque através dessas experiências o consumidor tem mais referencias sobre as características do produto. Se ele é bom ou ruim, suas funções são bem feitas etc. com isso aquelas pessoas que experimentaram o produto e viu que é legal ou até mesmo não é adequada, acaba divulgando para outras pessoas que não sabia e não tinham interrese sobre aquele produto.

    ResponderExcluir
  26. Com a experiência e o conhecimento elevado dos consumidores junto com a concorrência que o mercado nos oferece, essa ação de marketing, na minha opinião, é muito interessante e eficaz, pois com ela as pessoas próprias fazem propaganda do seu produto através do boca-a-boca e se tornam consumidores fiéis da sua marca. Mas pra que isso aconteça você sempre deverá fazer pesquisas e estudos dos seus consumidores para adequar seu produto a eles.


    Juliano Rabelo
    6º PP/Manhã

    ResponderExcluir
  27. A granda sacada é a possibilidade para as empresas testarem seus produtos de forma rápida e eficiente, imediatamente após o consumo.O que antigamente era feito em amostras de milhões de produtos e gastos excessivos. Assim, eles conseguem saber exatamente se o cliente gostou ou não, seu perfil, etc.
    Muito mais do que benefícios para o consumidor, a iniciativa aparece como uma alternativa e complemento à tradicional pesquisa de mercado.

    Violeta de Andrade PP manhã

    ResponderExcluir
  28. Cada vez mais, o comportamento do consumidor vem sendo estudado por grandes empresas.

    Porém, ainda não é o suficiente, pois a grande maioria dessas empresas ainda não utilizam consumidores reais para testarem seus produtos.

    Além disso, estas experiências com consumidores reais se resumem, basicamente, aos consumidores cariocas e paulistas.

    Públicos mais exigentes como os mineiros e gaúchos deveriam ser mais explorados nestas iniciativas, o que faria com que as empresas planejassem melhor seus produtos, gerando um incremento em suas vendas.

    Luiz Cláudio Lessa
    6o PP Noite

    ResponderExcluir
  29. Boa tarde,
    Acredito que iniciativas como as citadas acima, deveriam ser mais comuns. Dar a um consumidor específico (de preferência um que seja formador de opinião em seu grupo) a oportunidade de testar produtos e opinar nas melhorias, ou na qualidade de cada produto de uma marca para ocasiões específicas, faz com que o consumidor se sinta único, privilegiado pela marca que o "escolheu". Acredito que essas duas coisas já criam a chance de 90% desse consumidor se tornar fiel à marca.
    Outra grande oportunidade de utilizar o “tryvertising” seria com os clientes que já tiveram problemas com a marca, isso poderia diminuir o impacto sofrido com a experiência negativa desse consumidor, e se os produtos forem bons a chance de reverter completamente esse quadro de insatisfação é grande, pelo simples fato de alimentar o EGO das pessoas.

    Izabella Machado
    PP Manhã

    ResponderExcluir
  30. A idéia de colocar o cliente e o em contato com o produto literalmente bem próximos, transmite mais segurança e conforto para o cliente. Muitas empresas oferecem e trabalham com essa idéia de "test-drive", que não se aplica somente a carros. Essa iniciativa, contribui para que o cliente crie confiança e um certo vínculo com o produto, tornando-se talvez um cliente futuro.
    Carlos 
6° PP | Noite

    ResponderExcluir
  31. Quando colocamos o consumidor, formador de opnião, em contato com todos os produtos da marca e colhendo informações dessa pessoa, faz com que a marca faça adaptações ao produto de acordo com a opnião dos consumidores. Assim, criando um vinculo direto da marca com seu consumidor, tanto o que fez o teste, experimentou quanto as pessoas ao seu redor.

    Rodrigo Costa Lemos - PP - Manha - 6º Periodo

    ResponderExcluir
  32. Priscila Vedoveto - PP 6° período Noite28 de junho de 2011 12:10

    Ao fazer uso de produtos e saber que está fazendo parte do lançamento e aceitação da marca, o consumidor sente-se mais intimo dela e sente que sua opinião realmente tem importância diante disso. Tendo mais propriedade para consumir e indicar o produto do qual está fazendo uso.

    ResponderExcluir