terça-feira, 16 de agosto de 2016

'Pokémon Go' é máquina de coleta de dados, alerta especialista

Jogadores de 'Pokémon Go' participam de campeonato em Hong Kong neste sábado (6) (Foto: Reuters/Tyrone Siu)
Jogadores de 'Pokémon Go' participam de campeonato em Hong Kong neste sábado (6) (Foto: Reuters/Tyrone Siu)

Game armazena dados 'exatos e detalhados' de movimento dos usuários. 'Monstrinhos são os cavalos de Troia', comparou jornalista ao criticar jogo.


Da Deutsche Welle - G1 Games - 09/08/2016 12h56 - Atualizado em 09/08/2016 12h56


Aplicativo armazena informações "exatas e detalhadas" sobre cada movimento do usuário e pode condicionar o comportamento do consumidor, afirma comissária alemã para privacidade.

A comissária para a privacidade no estado alemão de Schleswig-Holstein, Marit Hansen, lançou um alerta sobre o "Pokémon Go".

Em entrevista ao jornal alemão Handelsblatt publicada nesta sexta-feira (5), Hansen afirmou que o jogo armazena dados "exatos e detalhados" de cada movimento dos usuários pelas ruas.

"É uma máquina gigante de coleta de dados", disse, acrescentando que o aplicativo de realidade aumentada, além de espionar, também pode condicionar o comportamento do consumidor.

A Niantic, empresa baseada na Califórnia e que ajudou a desenvolver o jogo, não buscou apenas acesso a câmeras e microfones, mas também disponibilizou uma ferramenta de marketing para "deliberadamente orientar" os usuários do jogo aos chamados "Pokestops" em estabelecimentos comerciais, afirmou Hansen.

A especialista em política de privacidade apontou também para a falta de controles legais, repetindo diversas advertências recentes sobre o aplicativo feitas em Nova York, na Austrália e nos Emirados Árabes Unidos.

"Como o jogo utiliza um provedor de fora da Europa, não temos o apoio jurídico para agir", disse Hansen, referindo-se às disputas entre União Europeia (UE) e os EUA sobre a transferência de dados transatlânticos e a cooperação da Niantic com o Google Maps.

No mês passado, a Federação das Associações Alemãs de Consumidores (VZBV, na sigla em alemão) disse que contestou 15 cláusulas dos termos de uso e privacidade da Niantic, dando à empresa americana até 9 de agosto para responder. Caso a Niantic não se pronuncie, a VZBV advertiu levar o caso a um tribunal.

'Era do controle total'
O editor-adjunto do Handelsblatt, Thomas Tuma, disse em seu editorial desta sexta-feira: "Pokémon Go é o ponto de partida para uma nova era de controle total." Em apenas três semanas, 75 milhões de pessoas baixaram o aplicativo – "todas sem terem sido forçadas ou mostrado resistência", disse Tuma.

"Fisgados, porque é inicialmente gratuito, temos de pagar mais do que nunca com os nossos dados", incluindo nossas listas de amigos, acrescentou Tuma.

O jogo, lançado no Brasil na noite desta quarta-feira, envolve diversos problemas graves, alerta o editor, porque todos os "monstrinhos são os cavalos de Troia com os quais a indústria da internet abre o caminho para nossas cabeças e nossas carteiras". "Nós, os usuários, estamos sendo explorados", disse. "Os que estão sendo capturados somos nós mesmos."

Campo fértil para criminosos
Na segunda-feira, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, ordenou que o departamento correcional proibisse que os cerca de três mil criminosos sexuais do estado usassem o Pokémon Go.
Uma das ferramentas do jogo, que permite aos usuários colocar iscas para atrair jogadores a locais específicos, possui o potencial de ser usada por "predadores" em busca de crianças, afirmou Cuomo. Em seu site, a Niantic diz que os usuário não podem ter menos de 13 anos de idade para jogar seus jogos.

Nos EUA, a mania Pokémon Go levou pessoas a andar em quintais, calçadas, cemitérios e até mesmo em estacionamentos policiais – sempre em busca dos monstros do famosos desenho animado Pokémon.

Nos Emirados Árabes Unidos, há duas semanas, a autoridade de telecomunicações TRA alertou os usuários para não ativarem as câmeras de seus celulares em casa ou em outras áreas privadas. E na Austrália, a polícia comunicou que um casal foi ameaçado com uma arma num parque ao sul de Sydney.

Olá Pessoal, o que seu conteúdo nos diz sobre a estratégia de tipologia do consumidor? Analise também com um olhar de senso crítico.

105 comentários:

  1. Acredito que não seja APENAS pelo jogo, o termo espionagem há muito vem sendo discutido, vide wikileaks, a venda de informações para outros estados e até mesmo a invasão do sistema de e-mails da Sony. A questão que mais incomoda no caso do Pokémon Go seria por trazer um "inimigo" para dentro de casa. O fato de estarmos possivelmente sendo vigiados assusta (e muito!) e o mesmo de ser roubado ou de que algo possa ser usado contra você dentro da sua própria casa, não que isso não ocorra há mais tempo, o facebook tem acesso aos seus dados telefônicos, juntamente com o whatsapp e instagram, onde ambos estes aplicativos sem acesso às nossas câmeras, gps, lista telefônicas e etc. Nós já somos "vigiados" pelas gigantes da internet há tempo o suficiente para termos receio de utilizar até mesmo o google, vocês já observaram o histórico de localização da empresa? É assustador saber que seu celular entregou quando e quanto tempo você ficou em determinado lugar. E o snapchat que faz um reconhecimento facial e quando baixamos o aplicativo, estamos aceitando termos que tenho certeza, nenhum de nós lemos.
    A grande questão é o que a Niantic poderia fazer com todos esses dados. Independe do aplicativo que usamos, se fotografamos, conversamos, ouvimos ou mostramos, ter cuidado nunca é demais.

    ResponderExcluir
  2. Weslei Marcelo - LBA16 de agosto de 2016 11:42

    Hoje vivemos tempos de "paranóias", hoje tudo é motivo de nos preocuparmos, todos somos "potências" criminosos, etc.
    As redes sociais já informam nossa vida toda.
    Vivemos hoje o tempo das aparências, onde precisamos sempre mostrar que estamos fazendo. O aparentar "ter" é tão importante quanto realmente "ter".
    Por esse tipo de lógica, nós já somos vigiados a todos os instantes, e nós mesmo com Localização nas fotos, check in, ajudamos a sermos vigiados, As vezes podendo até passar informações privilegiadas sobre localizações para bandidos.
    Uma boa parcela da população sempre vê problema em tudo, Facebook, Instagram, Snap, etc já foram alvos de críticas.
    Acredito que a empresa dona do Aplicativo Pokémon Go acredito que tenha toda uma segurança com os dados dos jogadores, uma vez que caso acontecesse algo, ia ser Publicidade negativa para as empresas (Principalmente para a Nintendo).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Weslei Marcelo - LBA16 de agosto de 2016 12:10

      Hoje vivemos tempos de "paranóias", hoje tudo é motivo de nos preocuparmos, todos somos "potências" criminosos, etc.
      As redes sociais já informam nossa vida toda.
      Vivemos hoje o tempo das aparências, onde precisamos sempre mostrar o que estamos fazendo. O aparentar "ter" é tão importante quanto realmente "ter".
      Por esse tipo de lógica, nós já somos vigiados a todos os instantes, e nós mesmo ajudamos a nos localizar, com as Localizações nas fotos, check in, entre outros. Nós mesmos ajudamos a sermos vigiados, As vezes podendo até passar informações privilegiadas sobre localizações para bandidos.
      Uma boa parcela da população sempre vê problema em tudo, Facebook, Instagram, Snap, etc, já foram alvos de críticas.
      Acredito que a empresa dona do Aplicativo Pokémon Go, acredito que ela tenha toda uma segurança com os dados dos jogadores, uma vez que caso acontecesse algo, ia ser Publicidade negativa para as empresas envolvidas (Principalmente para a Nintendo).

      Excluir
  3. Como podemos observar nos dias de hoje e nos próximos anos, as pessoas querem serem vistas de alguma forma seguindo algum tipo de conteúdo ou como o do Pokémon um aplicativo, mas como tudo tem um preço, o aplicativo do Pokémon não e diferente, pessoas expondo seus limites, deixando de fazer no mundo real fazendo no mundo virtual, expondo grupos de pessoas infelizmente com pesamentos bons e ruins, eu acho que devemos rever nossos conceitos saber usar com moderação e responsabilidade, tudo tem limite.

    ResponderExcluir
  4. Thamer B. Ferreira17 de agosto de 2016 05:41

    De preocupação consciente ao consumo induzido e até mesmo a paranoia digital.

    Analisaria Pokemon GO e este post em três aspectos diferentes, que colocaria como:

    - Segurança
    - Conforto e Marketing
    - Mal condicionamento Humano.

    Antes de começar a falar sobre Pokemon GO de fato, gostaria de falar da Niantic e o Projeto Ingress.

    Ingress, para os desconhecidos, é um jogo da mesma desenvolvedora que tem como base a realidade aumentada e o domínio de regiões.

    Como ex-jogador, comento da experiência e da funcionalidade como sendo inovadora para a época em que foi lançado, assim como capaz de gerar uma grande interação entre pessoas e locais. No jogo, temos duas "facções" que lutam pelo domínio de "portais" através das ferramentas do jogo. Por trás desta proposta, vamos ver como o jogo funciona.

    Para realizar a interação de realidade aumentada, a desenvolvedora Niantic, já em uma antiga parceria com a Google, solicitou a estes a utilização dos dados GPS do mobile, e também listou (inicialmente com a Google) uma série de locias históricos, artísticos, urbanos e afins, para que fossem "Pontos de Interesse" do aplicativo. Eventualmente, também foi liberado a possibilidade de que os usuários sugerissem locais para que se tornassem pontos de interesse, demonstrando a diversidade urbana e mais underground no jogo (grafites, locais abandonados e afins.) gerando uma "infinidade" de locais para se interagir. Toda essa base em algum momento, foi transportada para o que hoje, conhecemos como PokeStops e Ginásios de Pokemon GO.

    Agora que já falamos do "Irmão mais velho" de Pokemon GO, vamos entrar nos quesitos de fato da conversa.

    -Segurança-

    Não é de hoje que vivemos uma preocupação em confiar nossos dados para as empresas. Google, Windows e Apple disputam acirradamente a liderança no mercado de tecnologia e conforto Mobile, nos entregando possibilidades cada vez maiores de encontrar um restaurante legal próximo, agendar uma viagem e comprar passagens com a comodidade de um toque no celular. Ou seja, temos ali toda a informação GPS, Bancaria e afins para a utlização, não apenas das gigantes, mas até mesmo daqueles que tiveram de se adaptar a esta modernidade para sobreviver, Internet Banking, serviços de entrega, reserva de serviços, enfim, uma diversidade fora do comum.

    Existem leis e acordos de vários tipos, em vários países para que estes dados sejam mantidos em segurança por parte das desenvolvedoras, passíveis de processo e indenizações para aqueles que tenham algum eventual problema. Assim como já comentado pelo Caio L. houve o caso onde Hackers invadiram a lista da PSN onde haviam dados como endereços, nomes, Cpf(e relativos) tal como cartões de crédito. A Sony teve seus problemas relativos porém, ainda se mantem como uma das à frente no seu mercado.

    Percebemos que o problema não é o sistema, mas quem o utiliza.

    [PARTE UM]

    ResponderExcluir
  5. Thamer B. Ferreira17 de agosto de 2016 05:43

    - Conforto e Marketing-

    Como já disse em parte no ponto anterior, vivemos uma era em que procuramos e desenvolvemos o conforto da maneira mais fácil possível.

    Com o desenvolver da tecnologia, foram inventados novos meios de se propagar a informação, os dados e até mesmo os problemas. Por este tipo de situação, fomos obrigados a desenvolver maneiras de se manter empresas, projetos e pensamentos.
    Atualmente, temos empresas como a Google e seu Google Maps, que nos permitem nos localizar para os clientes e ter um feedback de nossos serviços para o público, assim como público, podemos ver e avaliar locais, estabelecimentos comerciais e afins, para termos uma visão da realidade em que aquele local se encontra, possibilitando uma relação mais próxima para aqueles que utilizam e provem o serviço.

    Ter todos os dados é necessário para a utilização, ficar fora não é impossível, porém há seus custos e perda de benefícios.

    - Mal Condicionamento Humano -

    Agora vem a parte que vamos da segurança até a paranoia. Pois, até onde exageramos, utilizamos de algo tendencioso para o próprio bem, ou simplesmente para denegrir?

    Vamos analisar o próprio caso da Sony e depois "paranoiar" as coisas.

    A empresa não é culpada pela vasão dos dados que eles utilizavam para taxar os usuários em compras de jogos, assinaturas especiais e afins. Afinal, era o modo encontrado para que sobrevivesse ao mercado e comércio, onde a pirataria se estende, a rivalidade de consoles se mantêm e encontra novos inimigos a cada momento que nasce uma plataforma ou modo de se migrar para o PC.

    Mas quem é o culpado? Aquele que invadiu, afinal, este, para provar algo ou não, utilizou de meios ilegais para adentrar e conseguir tais dados. O comportamento humano, em algum ponto foi corrompido, gerando este tipo de situação.

    Mas Thamer, e se não for assim tão bonitinho? Paranoia? Vamos lá!

    Vamos falar então de teorias de conspiração (ou nem tanto) para contextualizar. O próprio WikiLeaks(vazamentos? Hmm legal ein fera, como conseguiu esses dados super legais sobre uma agência americana?) é uma plataforma onde várias empresas são expostas por ter, utilizar ou 'negociar' informações sigilosas. Sim, é um Hacking positivo? (Vou ignorar aqui a diferença entre Hacking e Cracking White/Black Hat, para fins de entendimento geral) Porém, não deixa de ser a utilização de um meio "sujo" para descobrir coisas encobertas (i)"legalente".

    Onde Pokemon GO entra nisso tudo?

    Apenas mais um bode expiatório para se utilizar. Particularmente, não culpo o usuário ou o desenvolvedor, tampouco a empresa que apoia. Errados são aqueles que fogem aos meios corretos para se fazer as coisas. Aqueles que encobrem o erro próprio ou alheio para não se penalizar. O jogo continua sendo apenas um jogo.

    ResponderExcluir
  6. Não é novidade que a "moeda do século" há muito se tornou a informação. Praticamente em todos os lugares podemos perceber essa tendência: desde a boate que pede seu telefone no checkin, às técnicas "avançadas" de captação de leads. Tendo a ser um pouco pessimista (ou otimista, não sei) com toda essa vigilância. Pessoalmente, não jogo Pokemon Go, mas caso jogasse não deixaria de fazê-lo pela captação de informações. Todas as mídias sociais, das quais sou heavy user, já captam, processam e vendem minhas informações (por exemplo, as possibilidades de segmentação de público do Facebook chegam a ser assustadoras!). Como é inevitável e a tendência é piorar, prefiro ver o cenário como oportunidade. Oportunidade de "patrocinar" um Pokestop e aumentar o movimento do meu restaurante, oportunidade de oferecer como "brinde" do meu motel os casais capturarem um Pikachu, etc etc etc. "Ah, mas você está com pensamento puramente capitalista. E os consumidores?" Poxa! Eles também são contemplados com esse mapeamento! É oportunidade de todos nós, como consumidores, sermos mais bem atendidos, com por exemplo, serviços pouco ofertados (mas necessários) na minha rota para o serviço. Só com a captação de informações conseguimos inovar na oferta a fim de suprir melhor a necessidade do público. Consciência de consumo é responsabilidade individual, o trabalho dos estrategistas é e deve continuar sendo sempre o de otimizar e facilitar as transações. E, por fim, porque não os próprios usuários usarem essas informações levantadas para se criticarem quanto a qualidade de vida que cada um leva?

    ResponderExcluir
  7. Assim como o jogo, várias outras atividades na internet vem condicionando o comportamento das pessoas, o que se dá a entender é que a internet, a interatividade tem um controle total sobre o seu usuário, um exemplo recorrente foi quando o Whats App foi bloqueado mesmo que por algumas horas, várias pessoas enlouqueceram atrás de recursos como até o do ip fora do país sem se quer pensar nos riscos que isso poderia causar, acredito que o jogo assim como as redes sociais na era digital tem acrescentado muito na mudança de comportamento da sociedade. Poucas são as pessoas que visualizam os termos de uso de algum aplicativo antes de aceitar então automaticamente todos nós somos vigiados o tempo inteiro seja pelo pokemon go, ou por outros aplicativos como snapchat, instagram e etc... Sobre o comportamento dificilmente encontra-se uma pessoa que passa pelo menos um dia sem visualizar suas redes sociais ou seu celular.

    ResponderExcluir
  8. Ultimamente , a crítica sobre o jogo vem ganhando não só a mídia, como também por parte da religião.
    As pessoas gostam de julgar o desconhecido e tem a "mania" de criticar sem ao menos conhecer e para piorar, elas vem fazendo isso com base nas informações básicas, superficiais.
    Sobre a coleta de dados, todo aplicativo faz isso , ele não é o primeiro e não é o ultimo.
    Os aplicativos com o facebook,whatsapp , entre outros, tem acesso direto as suas fotos , videos, conversas e lista telefônica.
    O google drive salva suas fotos com o nome do local e horario, você só precisa permitir uma vez que o aplicativo automaticamente faz isso.
    O instagram posta sua localização, na verdade a gente faz questão de postar a localização ( dependendo do lugar). Ou seja, nós damos dados a internet há muito tempo e todos sabem disso, não é porque pokémon chegou que a vida das pessoas vão piorar, inclusive para algumas pessoas, o jogo foi a cura de doenças como depressão e autismo.
    É irritante ver como as pessoas tem mais potencial para reclamar do que para conhecer o jogo. Se você não gosta, é so não baixar, é simples.
    A violência existia antes do jogo, os roubos existiam antes disso, essa historia de aumento de assalto, meu Deus, o assalto existiu e ele vai aumentar enquanto tiver oportunidade pra aumentar, não podem culpa um jogo por isso.
    Pessoas sedentárias, estão0 saindo de casa, há grupos no facebook que junta uma turma para caçar pokémon e como consequencia acabam fazendo amigos. Isso é ruim?
    Para piorar, quem reclama de vicio do jogo, esta viciado em outras coisas, viciado por viciado não da nada.
    Portanto , nós ja somo monitorados há tempo, um jogo a mais ou uma rede social a menos não vai fazer diferença. Os crimes vão existir com ou sem o jogo.
    A diferença é que ao jogar pokemon as pessoas saem e socializam com pessoas reais e não com amigos virtuais que na verdade você nem conhece e ele sim quer te prejudicar.
    Ana Gabriela- LBA-NOITE

    ResponderExcluir
  9. Das tecnologias que o jogo proporciona:

    todas as ferramentas que foram desenvolvidas para que o jogo pudesse funcionar como um todo, foram benéficas de algum modo para a evolução e revolução tecnologica do mundo,

    o jogo usufrui de dados do google maps (google por sua vez, possui um grande banco de dados individual de cada pessoa, com dados de pesquisas, preferencias, endereço) com isso, ainda pode ter acesso as informações do jogo para rastrear as localidades de cada jogador.

    o acesso a realidade aumentada nos smartphones é de longe a maior tecnologia em aplicativo já inventada, o GPS determina a posição que o monstrinho está, e se você quiser captura-lo com sua camera, você tem que mirar para a posição que este monstrinho estava no mapa, (você tem a opcao de desligar a camera) a sincronia desta tenologia é o que difere das demais anteriores.

    a tecnologia da animaçao 3d mesmo não sendo de alta qualidade grafica, permitiu que seja possivel futuras interações de ferramentas com as cameras do aparelho, quem sabe um dia, ate simular uma pessoa distante ao seu lado. (porque não?)

    Da nossa profissão perante ao jogo:

    o jogo, abriu um espaço gigantesco para a publicidade em si, e nos como profissionais dessa área devemos nos "aproveitar" disso tanto quanto ao uso da localização dos "poke-stops" quanto aos ginásios do jogo, que podem usufruir para um cliente convidar jogadores para seu estabelecimento, assim como a empresa Beto Carrero World fez em um comunicado feito pelo facebook:

    "Beto Carrero World
    19 hrs ·
    Atenção Mestres Pokémon! Nesse Domingo o Beto Carrero World vai ser invadido! Os 6 Ginásios e mais de 40 PokéStops que temos serão turbinados! Vamos usar Lure Modules em todos os nossos PokéStops o DIA INTEIRO! Além de um dia de muita diversão e adrenalina você pode completar todos os Pokémons do Brasil!
    Vamos ter pontos de WiFi GRATUITO espalhados por todo o parque!
    E tem mais! Apresentando seu celular com o game instalado nas catracas de acesso você ganha desconto: Passaporte por apenas R$ 99!*

    Vai perder essa oportunidade? ‪#‎TemosQuePegar‬ ‪#‎PokemonGo"‬

    Esse comunicado representa veemente o que foi dito anteriormente, o jogo pode sim trazer benefícios para nos (publicitários) e para todos, se usado com cautela e sabedoria.

    Da experiência e benefícios do jogo:

    o jogo proporciona uma experiencia que todo mundo que viu a saga do pokemon go e gostou quis ter, capturar pokemons na vida real e poder socializar com isso, e isto é um fato, tanto que representa os números astronomicos de downloads atingidos, tirou pessoas que jogavam sentadas no sofá e "obrigou" elas a caminharem parar procurar os monstrinhos

    do comportamento do consumidor perante ao uso do marketing para terceiros à marca:

    temos os chamados por nos "viciados" que já são aquelas pessoas sedentas por capturar todos os pokemons, por serem melhores que os outros, estas pessoas são as mais afetadas pela "coleta de dados" pois elas sim serao rastreadas de uma forma muito mais acertiva se caso acontecer, se caso houver uma publicidade como por exemplo a do Beto Carrero World, como já citada acima, essas pessoas são mais aderentes a ações de marketing relacionadas ao jogo, é o famoso "Heavy-User".

    temos tambem os "Turistas" do jogo, que usam raramente, esses menos afetados pela "coleta de dados" mas mesmo assim não escapam
    dos maleficios do jogo, esses não vão sofrer alteracoes no comportamento por ações de marketing relacionadas ao jogo

    e os usuarios comuns, que usufruem do jogo de uma forma casual, (quando da pra jogar) não fogem da coleta de dados, mas são menos influenciados por açoes de marketing relacionadas ao jogo

    Patrick Rayner, LBA

    ResponderExcluir
  10. Fábio Paiva Chehayeb LBA 6º Periodo

    Vejo muito olharem sempre para o lado negativo das coisas, assim como a internet, no principio da era digital era criticada, redes sociais, sites onde tinha que se fazer um cadastro era um terror pra o usuário, tenho uma visão diferente sobre a exploração dos dados, e é perceptível o quanto essas evoluções trouxeram comodidades para nós, podemos observar quanta oportunidade para a publicidade, o facebook Ads é um exemplo magnifico sobre a transformação de dados em um banco de anúncios totalmente seletivo, aumentando o acerto de publico alvo e garantindo um retorno para o anunciante. Devemos agradecer empresas que possuem esses bancos de dados, para nós profissionais de publicidade e propaganda é uma oportunidade de entender o comportamento do consumidor e desenvolver estratégias de venda/divulgação.

    Temos que encontrar um meio termo nessa exploração de dados, onde favoreça o profissional e os consumidores, e com tudo que vem acontecendo ultimamente estamos caminhando para esse objetivo.

    ResponderExcluir
  11. Camila dos Santos Rodrigues
    LBA - NOITE

    O que não faltam hoje são teorias da conspiração contra o uso das redes sociais e a internet como um todo. Um exemplo claro é o modo como o facebook utiliza os dados dos usuários para melhorar a usabilidade da rede social, há quem concorde e há quem discorde do excesso da coleta de informações da empresa. Ao entrar na internet você deve estar ciente de que está deixando sua privacidade de lado, o usuário é quem deve controlar e estar atento a quantidade de informações que ele coloca na rede, o mesmo vale para jogos e aplicativos. Não sou usuária do Pokémon Go, mas defendo veemente que ele trouxe alguns benefícios para os usuários. Como por exemplo uma notícia que vi dia desses, um garoto autista que não saia de casa, não interagia com ninguém e tinha crises de ansiedade começou a sair na rua com a mãe para jogar Pokémon go e até passou a cumprimentar e acenar para outras pessoas. Outro exemplo é um hospital que utilizou o jogo para que as crianças em tratamento de câncer saíssem do quarto para se divertir e esquecer a doença. Até mesmo aqueles jogadores que não saiam e nem interagiam com outras a não ser pela tela do computador, hoje elas saem na rua e conhecem pessoas novas, além de estar se exercitando, mesmo que pouco. Será que ninguém percebe o quanto isso é maravilhoso? A possibilidade que essa nova tecnologia deu para esse garoto e para essas crianças? Para aquelas que são tímidas demais para sair do quarto? Acredito que tudo depende do modo como você utiliza da tecnologia, há certos cuidados que devem ser tomados em qualquer rede social, alegar que um jogo utiliza dos dados do usuário para espionar é um argumento muito fraco, visto que o facebook, twitter, instagram também fazem isso.
    Há certas situações que acontecem por falta de cuidado do indivíduo, como assaltos, encontros com estranhos, culpar um jogo é culpar também os pais ou responsáveis pela segurança dos filhos. Por isso acredito que a internet e a tecnologia são uma ferramenta maravilhosa, mas tudo depende do modo como você enxerga e utiliza esses recursos.

    ResponderExcluir
  12. Nos dias de hoje é difícil obter alguma coisa em que a privacidade seja mantida. Assim como outros vários aplicativos que utilizamos no nosso dia-a-dia, posso dizer que o Pokémon Go veio para tornar essa façanha ainda mais difícil.
    Como tudo na vida, o jogo tem seu lado positivo e também o negativo. Em uma reportagem feita pelo G1, onde conta a história de Adam Barkworth um adolescente britânico de 17 anos que passou os últimos cinco anos em casa. Segundo a sua mãe, Adam não aguentava ficar na rua: começava a tremer e se sentir mal, com dor de estômago. Isso apenas por estar entre pessoas, com barulho, falando alto. Quando Adam conheceu o Pokémon Go, o jogo estimulou o adolescente a sair de casa, e ele passa horas em busca dos animais virtuais.
    Com base nesse relato, podemos dizer que o jogo tem tido um papel muito importante no desenvolvimento de pessoas que antes tinham dificuldade de conviver com outras pessoas, não nos fechando somente a isso, o jogo também tem movimentado praças e outros locais públicos, onde os vendedores de inúmeras coisas veem a oportunidade de ganhar um dinheirinho a mais. Não posso me esquecer de citar que o jogo é algo nunca visto antes, trazendo uma revolução para a tecnologia.
    Agora indo para o lado negativo, diante de inúmeras reportagens e relatos de alguns amigos existem pessoas que estão saindo da fase saudável do jogo e avançando alguns degraus. As reportagens mostram que pessoas estão sendo perseguidas e assaltas enquanto procuram os famosos Pokémon. Pude conversar com alguns amigos e os mesmos disseram que sai por volta das 3h da manhã para caçar os “bichinhos”, fora que tem algumas pessoas que nem em casa com a família estão ficando mais.
    Como foi dito a cima, tudo na vida tem os dois lados e desde o início da era digital existem pessoas que conseguem filtrar algumas coisas e usa-las para o bem, assim como para o mal, é ai que entra a tipologia falada nas aulas, pois para cada comportamento vai depender do tipo de pessoa.

    Roberta Rocha LBB

    ResponderExcluir
  13. Marcus Vinicius, LBB

    Esse aplicativo foi uma bela jogada dos seus criadores em relação a tipologia do consumidor, já que agora se tem a capacidade de monitorar os seus movimentos e lugares, agora pode se traçar um perfil de consumidor, sabendo o lugar onde mora, onde estuda, onde costuma ir para se divertir, só que agora com mais precisão e mais atualizado, quase que em tempo real. Mas o Pokemon Go, abriu oportunidades ate para outras empresas, se promoverem, como foi o caso da radio 98fm, que tem como publico alvo os jovens e sabendo que o aplicativo de caçar pokemons se tornou febre principalmente entre os jovens. A radio lançarou uma promoção com a hashtag “#PokemonGoNa98fm”, onde a pessoa capturava um pokemon e tirava o print com a hashtag da radio, para poder ganhar brindes. A 98fm, aproveitou a tipologia do seu publico alvo, com a tipologia semelhante ao do aplicativo Pokemon Go, para promover a sua marca e criar uma identificação maior com os seus jovens ouvintes.
    Realmente a possibilidade de poder caçar pokemons, mexeu com o imaginário de muitas crianças e jovens, principalmente os mais nostálgicos, que puderam ver os desenho Pokemon em sua infância. Trazendo de volta o “sonho” de se tornar um mestre pokemon, mas com esse sohno veio também problemas graves, pelo mau uso e distração causados pelo aplicativo, provacando acidentes e assaltos. É necessário mais uma vez lembrar que a tecnologia é uma boa ferramenta, mas como tudo, sem moderação pode atrapalhar e nesse caso convívio social.

    ResponderExcluir
  14. Esse mundo que dês dos tempos remotos vem com a ideia de separar as pessoas por gostos e tipo de pessoas, vem sofrendo mudanças expressivas, e quanto mais o tempo passa no mundo mais altera gostos expectativas do ser humano. E com a evolução da tecnologia, são criados cada vez mais meios de controle, isso com intuito de promover uma lavagem nas pessoas.
    É tudo isso uma forma da indústria capitalista nos envolver nos seus interesses. E cada vez mais são criados meios para que sejamos vigiados. Mas como o ser humano também vem sofrendo mudanças essa nova geração vem muito mais sussetiva, acostumada a esse tipo de policiamento nas vidas das pessoas.

    ResponderExcluir
  15. "Nós, os usuários, estamos sendo explorados", disse. "Os que estão sendo capturados somos nós mesmos." Pode se dizer que é praticamente isso. O Pokemon Go foi só mais um aplicativo para espionar e pegar o maior número de informações e dados sobre a vida do consumidor, monitorando o dia a dia das pessoas que a ele tem acesso. A grande polêmica é pelos usuários sofrerem acidente e também por passarem por situações desagradáveis, fazendo também com que os consumidores "esqueçam" um pouco da vida real e entrem de maneira exagerada no mundo virtual causando todos esses problemas. Só que não podemos falar como se ele fosse o único serviço invasivo que nós consumidores utilizamos, como o facebook usado por mais de 105 milhões de pessoas no Brasil e que consegue buscar mais dados que o Pokemon Go busca. O consumidor deve ter cuidado sim com esses aplicativos, não sabemos o que as empresas podem fazer com os dados coletados, mas nenhuma empresa de grande porte assim, vai colocar em risco o nome, a marca da empresa fazendo algo que possa compromete la.

    Gracielle Nascimento LBB

    ResponderExcluir
  16. Eu acho que o grande problema é que não somos preparados para lidar com as mídias.
    Tudo pode condicionar nosso comportamento se não soubermos lidar com as informações e ferramentas que chegam até nós.
    Eu acho que estamos um pouco num momento escola de Frankfurt onde tudo é muito catastrófico e maléfico.
    Sobre o fato do jogo coletar dados, isso já acontece com vários outros apps.
    Acho que cabe à nós sabermos lidar com esses novos produtos e educarmos as crianças para que da mesma forma que muitas pessoas acham que o que passa na tv é sempre verdade, não aconteça o mesmo com essas novas mídias que ainda não entendemos muito bem.
    Educação, na minha opinião, é a única forma de nos prevenirmos de consequência ruins do uso dessas tecnologias.

    ResponderExcluir
  17. Jean Alfredo - PUB3BN-LBB

    Os dados apresentados no texto são apenas um recorte de toda a influência desse novo aplicativo tanto no mercado quanto no próprio Comportamento do Consumidor. Sabe-se que o fenêmeno "Pokemon Go" se encaixa em pelo menos 10 micro e macro tendências do mercado.: Gamificação, Crownd Everything, Realidade Aumentada e por ai vai. O fato é, esse acesso desenfreado aos dados de seus usuários é um total conhecimento ao estilo de vida do mesmo. É óbvio que esse fenômeno seria ( e está sendo) utilizado a favor de estratégias de marketing de empresas. O "Pokemon Go" não é apenas um aplicativo, é um produto muito maior e altamente vendável. Ele vende as pessoas certas (com base em dado do cotidiano) que irão ao lugar desejado pelas marcas com um estimulo fantasiado de "entretenimento", é claro. Atende às "necessidades enfeitadas" do consumidor através da experiência nostálgica (dentre outras tedências já mencionadas) e alcança um poder de venda gigantesco! #PokemonGo é só o começo!

    ResponderExcluir
  18. Não podemos negar que a cada dia estamos sendo vigiados e tendo nossos dados "roubados" e sabemos disso, e a verdade é que a maioria das pessoas não estão se importando muito. Quem joga Pokemon Go, quem usa aplicativos de navegação com GPS, entre outros, não se preocupa com o que está sendo feito com suas informações, afinal, estamos vivendo a geração onde tudo pode ser facilmente resolvido com o uso do celular, e na cabeça de algumas pessoas esse seria o "menor" dos problemas, talvez por não sabermos o que se pode gerar com tais informações.
    A questão que deve ser vista também é a de que determinados assuntos, aplicativos, videos, etc, se disseminam com uma rapidez fora do normal, e as pessoas tomam como verdade absoluta e parte da sua vida, como está acontecendo com o Pokemon Go, pessoas invadem privacidades, infringem leis de trânsito... Gerando a dúvida: há limites quando se trata de internet?
    Camila Gosling LBA

    ResponderExcluir
  19. E Pokémon Go realmente é um fenômeno a ser estudado, um jogo nunca antes mudou tanto o comportamento dos usuários e explodiu todo o mundo. Aproveitar essa oportunidade ou criar essa oportunidade para capturar ainda mais dados dos usuários não me espanta. Não é de hoje que a internet e tudo que nela se encontra armazena ao máximo nossos dados, e ninguém, acredito eu, deixaria de jogar por esse motivo, e modéstia a parte, que mega sacada dos idealizadores em criar um jogo para obter ainda mais dados. Os consumidores gostam de seguir tendências, gostam de estar na moda e de pertencer a algum grupo. O Pokémon GO vem para suprir essa necessidade ou desejo que os consumidores tem em acompanhar e seguir tendências. Mas não acredito que essa febre vá durar, é coisa rápida, como um hit do momento, logo outro aplicativo ou qualquer outra coisa trend se tornará uma nova febre, seja para captar dados, ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Larissa Rodrigues da C Santos21 de agosto de 2016 06:37

      Larissa Rodrigues LBBNoite

      Somos todos fantoches e muito facilmente influenciados pelas tentações que o mundo virtual nos oferece,e o pokemon go viralisou e se tornou mundialmente conhecido em menos de uma semana, só que as pessoas que fizeram uma pesquisa sobre o que o jogo traz de prejuízo estão sendo muito alienadas ao fato de que isso pode até ser um risco a nossa vida, claro que devemos ser realistas e ver que realmente há muitas pessoas psicopatas e más que poderam se aproveitar disso para executar seus crimes, mas contraposto eu fico observando de como o mundo nos privam de nos divertir por termos que tomar cuidado para, não sermos atacados ou espionados, eu vejo pessoas por exemplo deixando de comprar o carro dos sonhos, não por falta de condições mais por que tem medo de ser visto por bandidos, nós temos que ser responsáveis sim e tomar conta de nós e do lugar onde vamos e em qual horario, mais este jogo pokemon go, eu vi ele fazer pessoas que nunca se falaram a se comunicar , eu vi uma interação de pessoas de diversas tribos, o pokemon go é um jogo que pode ser jogado com responsabilidade e que diverte a todos que jogam, os pesquisadores estão tão preocupados com as pessoas más que vão usar isso contra nós e com isso privando toda a humanidade da diversão da e da vida em sociedade, eu vejo daqui há um tempo termos que parar de conversar nas ruas para nossa segurança também, acho que não podemos ser radicais em tudo ,porque na nossa vida só precisamos ter equilíbrio e responsabilidade, não precisamos banir ações por causa de pessoas desequilibradas.

      Excluir
  20. Vivemos em uma sociedade em que ela própria fornece os próprios dados. Essa preocupação deveria existir de antes.. No caso, quando a tecnologia se mostrou poderosa e mostrar o que seria hoje. O simples aplicativo não vai fornecer informações tão precisas do usuário quanto ao Facebook, Snapchat, Twitter e outros. Sendo que quem os alimenta são os próprios usuários. Esses aplicativos citados acima mostram precisamente o local que você está. Essas mudanças já eram para serem consideradas anteriormente e não somente agora.

    Já o excesso de jogar, realmente é algo para se preocupar.

    Para alguns - que no caso criticam o jogo -, deveria olhar para a tecnologia crescente que a cada dia nos surpreende. Não é nada muito diferente do que assistimos hoje. O desejo do consumir do aplicativo Pokémon Go foi suprido. Resumidamente: O jogo por si só, não é tão preocupante. Pois já fornecemos informações em nossas próprias redes sociais, entretanto, o jogo trás o malefício de sim o consumir ficando preambulando por aí. Ainda mais em países como o Brasil.

    ResponderExcluir
  21. Vivemos em um tempo em que muita informação é disponibilizada, mas pouco dela é consumida. A sociedade de forma geral é aficionada em tecnologia e consome desesperadamente o que lhe é oferecido. Quando o game Pokémon Go foi anunciado houve um frenesi na comunidade geek que ficaram nostálgicos com o retorno eminente dos seus desejos de infância, mas também conquistou usuários que se quer se interessavam pelo gênero. O fato é que por mais que estejamos acostumados a lidar com a disposição de dados pessoas na internet e conscientemente já os cedemos para o facebook, twitter, intagram e afins, não diminui o medo em que a população sente quando o assunto se trata de exposição. Com os rumores de espionagens se alastrando pela internet, alguns usuários do game já abandonaram o mesmo com o medo da exposição de dados. Analisando de forma critica o fato, de certa forma é cômico ver todo esse reboliço na web apenas por um app, a sociedade tem medo do obvio, quando se expõem por livre e espontânea vontade em seus desabafos nas redes sociais e logicamente, em seus cadastros, abrindo mão os seus dados e de seu direito de privacidade. Alguém critica o fato do google saber a sua localização exata? Não é menos assustador, de fato, entretanto o caso é o mesmo. O game até o momento não ofereceu risco diferente do que já nos expomos diariamente. Se estamos na internet, estamos sempre expostos.

    João Pedro Ferreira – LBA.

    ResponderExcluir
  22. O aplicativo Pokémon Go é sem duvidas a “febre’’ do momento . Por esse motivo atrai olhares de pessoas em todas as idades , queremos seguir tendências fazer parte de um grupo . O que condiciona o consumidor não ficar fora dessa. Antes o GPS nos levava onde queríamos hoje ele determina onde vamos . Ao meu ver isso é um tanto quanto assustador além de “obrigar” os passos do usuário , armazena ali também informações particulares . Acredito que a justiça brasileira possa intervir da mesma maneira que tirou o whatsapp do ar , dessa forma a empresa responsável terá que lançar algo parecido com a criptografia para se eximir da responsabilidade.
    Denise Rinara

    ResponderExcluir
  23. A busca por novas tecnologias e informações faz com as pessoas desejem estar sempre por dentro das novidades, um exemplo é o Pokemon GO, fenômeno mundial, que apenas no primeiro dia no Brasil conquistou milhares de fãs.

    O fato de o jogo estar associado à coleta de informações pessoais e restritas não o torna um vilão. Hoje em dia, qualquer aplicativo que você utiliza, aceita os termos de uso sem ao menos ler. Ao aceitar isso, acaba disponibilizando diversos dados e acessos do celular. Não apenas o Pokemon GO, mas todas as redes sócias coletam dados pessoais e conseguem acesso ao que for necessário, como câmera, lista de contatos, galeria, entre outros. A sua privacidade provavelmente não será mantida, pois acaba disponibilizando o que for necessário para ter tal acesso.

    Apesar de ter o lado negativo, devemos concordar que o jogo também tem pontos positivos. Muitas pessoas acabam utilizando o jogo como forma de interação social e faz, principalmente os adolescentes que tem costume de serem sedentários, saírem de casa e passar grande parte do dia ao ar livre em locais públicos, pouco frequentado pelos mesmos. Alguns pais utilizam esse recurso como forma do filho sair de frente do computar ou vídeo game.

    Qualquer novidade lançada no mercado terá sempre o lado bom ou ruim, o que muda será o comportamento pessoal, pois cada pessoa reagirá de uma forma diferente.

    ResponderExcluir
  24. Quando o jogo Pokemon foi lançado, vieram inúmeras criticas sobre tal. Primeiro sobre a quantidade de pessoas que são roubadas e a forma como ele tem acesso aos seus dados. Porém, pessoas esquecem que antes disso, outras redes sociais já tinham bastante acesso à suas informações. Facebook, Instagram, WhatsAp, grandes aplicativos que permitimos acessarem suas fotos, contatos, localidade. A questão é que damos total liberdade pra isso, as pessoas que deveriam saber ter cuidado com o que postam e saber limites pra isso. Porque toda essa tecnologia junto com o entretenimento são coisas boas, cabe a nós sabermos usar.

    ResponderExcluir
  25. A privacidade é uma questão que já está abalada desde muito antes do jogo, desde muito antes das redes sociais. Em vários momentos da vida disponibilizamos informações pessoais até mesmo sem perceber. Não tenho o aplicativo e não tenho intenção de participar do jogo, mas se fosse uma coisa que me atraísse, a exposição de informações seria uma das últimas coisas que me preocupariam. Cair em um buraco ou bater a cara numa parede parece mais perigoso. Quem não está no jogo, está colocando a “privacidade” em risco em algum outro lugar dentro e fora da internet. Importante é ter um pouco de maldade diante dessas situações, coisa que uma criança não teria, por exemplo, a criança só quer jogar e capturar os monstrinhos. Quem é responsável pela criança que joga é quem deve ficar atento em como ela usa o aplicativo, com quem ela se relaciona no jogo, onde ela vai e com quem ela está quando sai pra caçar com o celular, e por aí vai... São preocupações do mesmo tipo de quem leva uma criança à praia, ao parquinho... tem que ficar de olho. Já as pessoas mais velhas, essas sabem o que é bom e o que é ruim dentro e fora do jogo. Ninguém é obrigado a baixar o aplicativo, quem o faz, faz sabendo dos seus riscos em relação exposição de informações, sobre o gasto exagerado de dados de internet e bateria do aparelho celular... O jogo pode sim condicionar o comportamento de seus consumidores, mas existem outros tantos produtos no mercado que geram esse mesmo efeito. O problema não é usar e sim a maneira como as pessoas estão fazendo isso.

    Raianny Paiva - LBA

    ResponderExcluir
  26. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  27. Pelo fato de Pokemon Go ser a mais nova mania o game está sendo crucificado, acredito que se compararmos o jogo com o Facebook por exemplo, poderemos ver nitidamente que ambos tem varias informações dos consumidores, isso pode ser ruim para uns e bom pra outros. Um meio de atualizar o jogo e sempre estar trazendo coisas interessantes para seus jogadores é tendo informações de seus gostos e costumes, ou seja, além de estar te "espionando" ( O que acredito ser uma grande paranoia que o mundo de hoje vive ), é uma forma de pesquisa que não só os jogos como toda rede online está usando, até por que de espiões estamos cheios, tendo câmeras em quase todas as ruas e os dados de todos os programas na qual se usa. Portanto Pokemon Go é somente a bola da vez, que assim será quando vier uma outra novidade que será crucificada por qualquer inovação que traga.

    Dárcio Júnior - LBB

    ResponderExcluir
  28. Pelo fato de Pokemon Go ser a mais nova mania o game está sendo crucificado, acredito que se compararmos o jogo com o Facebook por exemplo, poderemos ver nitidamente que ambos tem varias informações dos consumidores, isso pode ser ruim para uns e bom pra outros. Um meio de atualizar o jogo e sempre estar trazendo coisas interessantes para seus jogadores é tendo informações de seus gostos e costumes, ou seja, além de estar te "espionando" ( O que acredito ser uma grande paranoia que o mundo de hoje vive ), é uma forma de pesquisa que não só os jogos como toda rede online está usando, até por que de espiões estamos cheios, tendo câmeras em quase todas as ruas e os dados de todos os programas na qual se usa. Portanto Pokemon Go é somente a bola da vez, que assim será quando vier uma outra novidade que será crucificada por qualquer inovação que traga.

    Dárcio Júnior - LBB

    ResponderExcluir
  29. Pokemon GO é só mais "um" entre milhões de diferentes aplicativos, sites etc que tem essa capacidade de coleta de dados, o fato mais intrigante é: As outras ferramentas até onde vai meu conhecimento não tem tanto acesso a nossa privacidade quanto o jogo. O fato mais preocupante talvez disso tudo é a câmera ligada dentro das residencias, talvez seja esse o maior receio dos jogadores e familiares, mas não há nada de tão extraordinário e motivo de pânico. O aumento de roubos, acidentes aumenta nas estatísticas pois o aplicativo é a "bola da vez", todo mundo quer jogar, todo mundo abro aspas, pois é necessário alem de uma navegação rápida, um aparelho mobile que aguente o jogo.

    Rhayane Oliveira - UNA/LBB 314120474

    ResponderExcluir
  30. Pokémon e mais um aplicativo que tem acesso as dados da pessoa, Pois vários outros aplicativos tem essa função, pra mim o aumento dos roubos não e culpa do jogo, mais sim do descuido das pessoas com os aparelhos. O jogo nada mais que uma forma de entretenimento. Sobre privacidade, nada mais e que sua opção, se você não quiser ela não e exposta. A coisas no mundo muito mais perigosas que se preocupar com um jogo.

    ResponderExcluir
  31. Matheus Tavares - LBA - Noite

    Como em todo bom estudo, a coleta de dados é essencial, seja para qualificar ou quantificar os objetos de estudos. Pokémon Go chegou e reacendeu um tema em que nos deparamos desde o início da era da internet: a perda do controle e do domínio da privacidade das informações.
    Como estudamos hoje, a tipologia começa a fazer sentido no momento em que nos deparamos com a coleta de dados e informações sobre nós. A separação das pessoas em caixas de estilos de vida, classes sociais, poder aquisitivo, nível educacional, metas, sonhos desejos e etc. Todos esses dados são cuidadosamente compilados e dispostos aos grandes anunciantes, na verdade, para quem pagar mais por eles. Seja na Netflix, com sugestões de filmes e séries que atendem nossas expectativas, com Uber por saber onde gostamos de ir, com Spotify por montar playlists que nos agradam, com cartões de crédito e contas bancárias sendo abertas completamente online, e com o Google por mostrar anúncios no momento certo para a necessidade certa.
    Todos eles em busca de "cativar" o cliente proporcionando mais que um produto, e sim uma experiência com a marca.
    Mas claro, tudo isso nos custa caro. Entregamos de bom grado pela sensação de bem-estar e comodidade, abrimos as portas da nossa vida e alimentamos servidores e mais servidores com dados que serão usados para nos alcançar da melhor maneira possível, com conteúdo personalizado.
    Pokémon Go está e é uma máquina coleta de dados, assim como tantos outros produtos que usamos, mas deixamos passar despercebido ou até desconhecemos. Grandes marcas já estão comprando seus próprios pokémons, alimentando seus pokestops e claro, faturando montantes cada vez maiores.
    Pokémon Go não está fazendo nada de novo, mas sim o que já existia. Só está fazendo de uma forma bonitinha.

    ResponderExcluir
  32. Emanoel Lopes - LBB Noite23 de agosto de 2016 05:37

    É nítido que a tecnologia está em constante transformação e com isso o comportamento do consumidor que utiliza esse produto também. Através desse estudo de caso podemos perceber que tal tecnologia condiciona totalmente o comportamento do consumidor.
    Em relação a segurança do usuário, que é o tema da reportagem, acredito que seja abordada com um certo ar radicalista, pois as mesmas ferramentas disponíveis no aplicativo Pokemon Go, que catalisam e armazenam os dados dos usuários, são utilizadas em outros aplicativos, como o Google por exemplo, que "invade" a nossa privacidade todos os dias realizando sugestões do que ler ou assistir baseados nos dados coletados.
    Pensando na utilidade desses dados que são recolhidos e armazenados constantemente pelo aplicativo Pokemon Go, acredito que os mesmos possam ser utilizados para análise e uma melhor compreensão da tipologia desses usuários que, como estudamos em sala, vai alem de dados demográficos e socioeconômicos. Ou seja, com essas informações será possível entender um pouco mais sobre o comportamento dos usuários do Pokemon Go.

    ResponderExcluir
  33. Não devemos pensar na tecnologia como algo ruim. Há um tempo que as pessoas começaram a olhar para tecnologia como algo controlador da humanidade. Não é errado! Podemos pensar que, com tal tecnologia, será mais fácil para a polícia pegar criminosos em flagrantes. A partir disso a tecnologia poderá ser desenvolvida ao ponto de poder rastrear e localizar pessoas, e isso pode nos ajudar muito na profissão. Por exemplo: Seria ótimo saber quantas pessoas ao redor da loja do meu cliente tem interesse nos produtos que ele vende. Entre essas e outras que a tecnologia pode ser útil para nós.

    Gustavo Henrique - LBB Noite

    ResponderExcluir
  34. O jogo trouxe expõe uma característica muito peculiar do ser humano, ocasionalmente do consumidor. O desejo de estar controlando as coisas, o jogo traz essa ideia de controle, mesclando realidade com ficção tecnológica, nunca um jogo teve repercussão e apelo tão grande em uma parcela tão curta de tempo, essa plataforma que remete a ideia de controlar coisas "reais", no qual é preciso utilizar de esforços físicos para conseguir, passam ideia de realidade. Observado isso, como comportamento do consumidor é possível fazer diversas observações e ainda utilizar essa nova plataforma como meio de atrair cliente, para determinada escala comercial. E a tecnologia mais uma fez se reinventa, cabe a nós publicitários utilizar tal ferramenta da melhor maneira possível.

    ResponderExcluir
  35. Vivemos em uma sociedade em que a tecnologia e a internet ganham cada dia mais espaço e estão em constante transformação. E o fato de muitas pessoas ainda não estarem preparadas para certos tipos de informações e ferramentas gera certo descontrole e preocupação em geral.
    Pokémon Go é mais um dos vários games e aplicativos que existem nesse modelo de captura de dados.
    O game não foi o primeiro app e nem o último a usar coleta de dados. Já somos “vigiados” constantemente por outros aplicativos e meios virtuais... acho que o fato do jogo ter estourado e ficado tão famoso em pouco tempo; fez com que as pessoas ficassem com “medo” e em "alerta" por conta dos perigos que o jogo poderia e pode trazer nas questões de segurança em geral.
    Nada em excesso faz bem, portanto o que cabe ao consumidor é saber lidar com esses tipos de aplicativos e usar com moderação, pois enfim, sabemos que a tendência é essa mesmo; cada dia mais somos reféns desses apps e dessa total coleta de informações.
    Pokémon Go é o jogo da vez, mas eu creio que isso é apenas uma “fase”. Logo surgirá um novo app ou game que vai fazer com que as pessoas deixem ele de lado.

    Gabriella Camila / LBB-Noite

    ResponderExcluir
  36. Sob uma ótica publicitária o jogo permite analisar comportamentos do consumidor e conhecer um pouco da sua rotina, sabemos por exemplo quais rodas ele utiliza com mais frequência, os lugares que ele costuma frequentar, as pessoas que estão próximas a ele. É fantástico pois podemos direcionar e segmentar as ações publicitárias, explorando ao máximo as características das diversas tipologias de consumidor, além de ser um excelente instrumento para atrair consumidores, vc pode usá seu empreendimento (bares, lojas e etc) como pokestops, o lugar onde os jogadores abastecem suas ferramentas, e aproveitam aproveitam oportunidade para conferir os serviços que vc oferece, para as operadoras de celular pode ser o céu na terra, pois como o aplicativo gasta bastante dados móveis, os usuarios acabam comprando dados extras grrando mais lucro as operadoras. Ao mesmo tempo que este "excesso" de informações sobre uma pessoa pode ser perigoso, pois de certa forma invade a privacidade do jogador sem que ele se dê conta, e as informações sobre os jogadores contidas no servidor da plataforma a cair em mãos erradas pode se tornar uma catástrofe.

    ResponderExcluir
  37. Na questão publicitária o Pokemon GO foi uma maravilha para as empresas, aquelas que rapidamente entenderam como funciona o app já fizeram estratégias para aumentar a circulação nos estabelecimentos. Em questão dos dados sendo coletados, no mundo conectado que estamos hoje, terá empresas coletando, distribuindo e outras comprando. Não vejo como escapar disso, só acho que a melhor maneira é ficar atento com o que usa na internet.

    Carlos LBB - Noite

    ResponderExcluir
  38. Na questão publicitária o Pokemon GO foi uma maravilha para as empresas, aquelas que rapidamente entenderam como funciona o app já fizeram estratégias para aumentar a circulação nos estabelecimentos. Em questão dos dados sendo coletados, no mundo conectado que estamos hoje, terá empresas coletando, distribuindo e outras comprando. Não vejo como escapar disso, só acho que a melhor maneira é ficar atento com o que usa na internet.

    Carlos LBB - Noite

    ResponderExcluir
  39. A grande repercussão do aplicativo Pokémon GO retrata bem a forte tendência do ser humano de querer se enquadrar em uma caixinha. Apesar de trazer aquela nostalgia de quando éramos crianças, o real motivo de tanto alvoroço é a vontade de fazer o que todos estão fazendo, de "estar por dentro".
    Discutindo um pouco mais sobre o texto em si, o autor se contradiz ao dizer que "nós, usuários, estamos sendo explorados" e que "todas (as 75 milhões de pessoas que baixaram o aplicativo em 3 semanas) sem terem sido forçadas ou mostrado resistência". Apesar de a repercussão chegar a ser assustadora, não podemos chegar a dizer que os usuários estão sendo explorados. Mesmo que os termos de uso e privacidade da Niantic tenham cláusulas julgadas como abusivas, todas elas estavam disponíveis para as pessoas na hora de baixar o aplicativo. Tenho certeza que a maioria das pessoas que baixaram nem chegou a ler tais termos, mas não podemos negar que estava lá para quem quisesse ler. Outras colocações do autor que acho curiosas são quando ele fala que o Pokémon GO "pode condicionar o comportamento", "armazena dados exatos e detalhados" e que ele representa a "nova era de controle total". Tudo isso já não é feito pelas redes sociais tão populares em todo o mundo? E o Google então?
    Acredito que, se quisermos participar de todas essas redes e aplicativos, não há muita escapatória quanto ao fornecimento de dados. Por isso, cada um deve ter o discernimento e cuidado ao fazer parte deles.

    ResponderExcluir
  40. Assim como o Pokémon Go, outros produtos de mídia inseridos na sociedade tiveram seu auge em determinado momento, isso é bem comum. Já sobre a questão de armazenamento de dados, o passo a passo do usuário já não é polemica. Recentemente o Google lançou a ferramenta About Me, onde você pode manusear dados, pesquisas e etc. Ou seja, ele tem acesso a todas suas informações de localização, trabalho, estudo; o passo a passo da sua vida. O facebook, instagram, snap também fazem o uso desse tipo de ferramenta. Funciona como um rastreador que o próprio usuário está ciente e autoriza.

    Larissa Ramalho
    LBB - Noite

    ResponderExcluir
  41. Quando lemos a primeira reação é ficarmos espantados com a dimensão que nem sabíamos que um game teria, mas se pensarmos melhor o aplicativo não é o primeiro e nem será o ultimo meio digital que invade a privacidade do seu usuário. A era da tecnologia é fantástica porem muito perigosa. Nós como usuários estamos cientes disso, basta saber ate que ponto isso pode chegar.

    Núbia Gabriella Ferreira Alves
    LBA noite

    ResponderExcluir
  42. De fato acredito que este aplicativo foi criado para que de uma maneira mais fácil, a vida das pessoas estejam expostas a um controle sabe-se lá de onde. As pessoas estão literalmente facinadas nesse "jogo", não se importando em que local elas estejam, tem sempre alguém correndo atrás de um pokemón por ai, isso é preocupante, já dizia Albert Einstein: "Tornou-se aterradoramente claro que nossa tecnologia ultrapassou nossa Humanidade"

    Vivian Alvim Coutinho
    PP - Noite

    ResponderExcluir
  43. Laíse Rocha - LBB

    Com o avanço da tecnologia e essa mesma tecnologia tão inserida em nosso dia a dia. Ficamos claramente mais expostos no meio virtual. Aplicativos que coletam dados são comuns nessa nova era. O uso desses dados para a publicidade cresce de forma descontrolada. As preferências do consumidor são rastreadas apenas com um “clique” que ele der.
    O aplicativo 'Pokémon Go', é claramente o que vamos viver daqui para frente. É a junção do real com o virtual. Como no texto diz, o jogo tem sim os seus perigos e deve ser usado de forma equilibrada. São acidentes que acontecem, pessoas são sequestradas. O mundo é um perigo em si. Estar com o seu celular na bolsa ou na mão não impede que seja assaltada.
    "Pokémon Go" é só o inicio do que vem em relação as novas tecnologias. Principalmente tecnologias que vão ser usadas na publicidade. O comportamento do consumidor gira em torno de novidades e para isso a publicidade, seja online ou offline, vai aproveitar disso. E quem for inovador, diferente vai se destacar nesse grande mercado que une o mundo todo.

    ResponderExcluir
  44. Acho que todos nós somos cientes de que isso começou antes do Pokemon Go chegar e que existe outros aplicativos que te monitoram sem você saber, ou acham que o "aceito os termos"dos aplicativos não incluem coleta de dados ?
    Acho que é realmente uma tendência dos aplicativos é deixar o consumidor mais proximo dos desenvolvedores e empresas, usar como ferramenta coisas divertidas para um objetivo ( no caso a gameficação do pokemon para coleta de dados).
    O jogo em só não é um bicho de 7 cabeças que vai alienar a população, pokemon virou tipo um movimento social, pessoas saindo de casa para se divertir, saindo da frente dos computadores e fazendo exercício físico que é a caminhada, que é algo que o jogo estimula a fazer, pessoas fazendo amizade pelas praças por um simples "joguinho idiota", como muitas pessoas costumam falar.
    O mundo está evoluindo,e fenômenos assim irão acontecer de uma forma ou outra.

    ResponderExcluir
  45. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  46. Este aplicativo vem causando muita polemica desde que foi lançado devido a sua tecnologia revolucionária e também devido aos problemas sociais e psiquicos que o jogo pode causar. Será o primeiro de muitos que virão com a mesma proposta, cada vez mais próximo do real, viabilizando pesssoas a terem experiências tecnologicas jamais vividas.
    Em contrapartida nossa sociedade (principalmente Brasil)ainda não está preparada para tal revolução, tendo em vista tantos problemas.
    Publicitariamente falando, o jogo tem sido pretexto para grandes jogadas de marketing. Um exemplo são os comerciantes e empresários que promovem este tipo de evento e fazem publicidade do seu empreendimento.

    Yanna-pp noite

    ResponderExcluir
  47. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  48. Dado isso, acredito que as mídias digitais, o e-mail e nossa própria navegação na internet expõe muito mais nossa privacidade de dados do que um game que utiliza simplesmente o mesmo que ja disponibilizamos. Não sou usuário do game, mas acredito que a única preocupação a ser tomada seja duas: Entender que é uma ferramenta de diversão, e saber o limite para que não se torne algo que traga problemas a mente e aos hábitos diários. E o risco físico ao perambular com o aparelho sem perceber o mundo ao redor. Fora isso, o mundo mais uma vez está exagerando.

    Lucas Bambirra • LBA

    ResponderExcluir
  49. Partindo inicialmente da estratégia de marketing e publicidade do game, com certeza a criadora do jogo utilizou da Tipologia do Consumidor para atingir seus resultados iniciais, como downloads. É fácil fazer esta afirmativa, pois de acordo com Ernesto Michelangelo em O Comportamento do Consumidor, a tipologia do consumidor se divide em diversos tipos, que ajudam a explorar e entender os fenômenos humanos, neste caso baseados na compra e no consumo.

    O jogo é um grande sucesso, e a base de jogadores é separada por diversos tipos de consumidores, com idades diferentes, gêneros diferentes, condições financeiras diferentes e muito mais. Com isso a exposição de dados pessoais é inevitável. E mais inevitável ainda é um jogo de sucesso gerar um Buzz, seja positivo ou negativo.

    Pensando na exposição de dados, o jogo pode ser uma das poucas preocupações. Estudos atuais afirmam que a Google possui um acesso gigante sob nossas informações, e que até mesmo nos ouve. Isso mesmo, não pasmem, a Google ouve o que falamos. E isso não assusta, pois hoje em dia cada vez mais as grandes empresas querem saber o que falamos, como agimos, pra na hora certa oferecer aquele produto que basicamente é empurrado em nossa cara.

    Outras formas de acesso a informações pessoais acontece diariamente de um jeito muito mais devastador que a do game. Midias digitais, o e-mail e nossa navegação na internet dispõe uma base de dados enorme que nunca mais serão apagados da memória.

    As pessoas deveriam lembrar que antes mesmo de baixar o jogo, já disponibilizamos na simples pesquisa de termos na Loja de aplicativos, nossos desejos, gostos e muito mais.

    Não sou usuário do game, mas acredito que a única preocupação a ser tomada seja duas: Entender que é uma ferramenta de diversão, e saber o limite para que não se torne algo que traga problemas a mente e aos hábitos diários. E o risco físico ao perambular com o aparelho sem perceber o mundo ao redor. Fora isso, o mundo mais uma vez está exagerando.

    Lucas Bambirra • LBA

    ResponderExcluir
  50. Nos últimos dias o jogo vem ganhando a mídia com criticas boas e criticas negativas, as negativas vindo a maior parte dos religiosos, que veem o jogo como doença e uma coisa satânica. Alguns meios de comunicação já divulgam noticias sobre pessoas que tem dificuldade de se relacionar, como autistas vem conseguindo interagir com outras pessoas, saindo de casa, conhecendo amigos virtuais, tudo por causa de um jogo, isso é incrível, o poder da interação que esse jogo nos da. O jogo não "rouba" nenhuma informação como dizem, muito pelo contrario, todas as informações que o jogo "retira" dos celulares, as pessoas disponibilizam em vários outros aplicativos. O preconceito com a tecnologia não vem de hoje, o começo da era digital onde as pessoas precisavam dar seus dados para cadastro era o caos da época. Devemos olhar o jogo como também oportunidade para a profissão como está sendo para melhorar a auto estima de varias pessoas, encontrando um meio para favorecer as duas partes da moeda consumidor e marcas.
    Anna Carolynne - LBA

    ResponderExcluir
  51. Os dados apresentados esclarece todo potencial que um game ou rede social pode ocasionar sobre o comportamento dos consumidores e como isso pode ser vantajoso para as empresas. É claro como o game foi pensado estrategicamente para atingir um determinado tipo de consumidor, entendi-se que grande parte do público atingido pelo jogo foi tocado de uma forma nostálgica e como esses indivíduos tinham um desejo de fazer parte do game. O modo de como se joga, muito semelhante a uma realidade virtual, tendo que se descolocar pela cidade e visualizando os pokemons atravez da camera, trouxe ainda mais o consumidor para perto desse produto, satisfazendo suas necessidades como cliente. Todos esses requisitos fez com que o game se tornasse uma febre, fazendo com que mais uma vez o consumidor se esqueça dos ricos.

    ResponderExcluir
  52. Todos temos ciência dos dados que estão sendo disponibilizados pela internet ou aplicativos instalados em nossos celulares. Tanto é que nenhum aplicativo é instalado sem que aceitemos os termos e condições de uso.
    Por se tratar de um aplicativo especial e que usa de recursos tecnológicos mais avançados para entretenimento do usuário, como a utilização da câmera do celular para trazer uma realidade virtual, e uso do gps muitos taxam como perigosa a "exposição" promovida pelo jogo, esquecendo por muitas vezes que existem outras coisas que utilizam de recursos parecidos, mas não são tidos como ameaça.
    O sucesso de determinadas coisas é muita vezes atribuído à coisas ruins numa tentativa desesperada da concorrência frear um fenômeno de lucros. O comportamento dos usuários não é o mesmo desde a febre tecnológica. A internet queira o consumidor ou não , é a maior reserva de dados que existe, e não é apenas um aplicativo que irá "vazar" nossas preciosas informações por aí, ou mudar nosso comportamento.


    Débora C. de Souza - LBB

    ResponderExcluir
  53. Diego Martins LBB

    As classificações são infinitas, já que cabe a cada negócio e produto definir seu consumidor típico. O gerente do produto que deve pesquisar seu público-alvo e definir suas tipologias, pois usar as tipologias de outros produtos com outros consumidores, pode acarretar no fracasso de investimento. Apesar de serem diferenciadas, as tipologias se agrupam em alguns fatores: conjuntos da variáveis demográficas, os traços de personalidade, os estilos de vida, as variáveis comportamentais específicas do momento da compra e consumo.
    Por fim, as tipologias são muito aceitas na área de Marketing, já que colocas as pessoas em seus devidos lugares, separando-as por características semelhantes que facilita a empresa para auxilia-las e melhore atende-las. É muito recomendado que cada empresa tenha suas próprias tipologias, já que cada uma tem seus próprios tipos de cliente, fazendo um estudo de comportamento e ver como reagem ao produto, criando assim, classificações para os mesmo.

    ResponderExcluir
  54. Gabriela Gomes LBA 31412270
    Não é que hoje que a informação e conteúdo podem ser consideradas moedas de troca, assim como o petróleo e água.
    Sou usuária (não maníaca) do aplicativo, apenas faço uso em locais seguros com acesso ao wifi.
    Confesso que não tinha pensado sobre o rapto das informações e como o aplicativo pode servir para influenciar a movimentação de determinados lugares.
    Acredito que o uso não execesivo não faça mal algum, afinal é um aplicativo de entretenimento que mistura um fenômeno que foi febre na infância de muitos usuários.
    E se, realmente, formos ficar vidrados nesse rapto de informação, nós podemos "deslogar" de todo e qualquer aplicativo em nosso smartphone e parar de usar os principais meios de pesquisa que facilitam a vida cotidiana.

    ResponderExcluir
  55. Hoje em dia o comportamento dos usuários das mídias são facilmente influenciados pelo o que mundo virtual oferece, muito difícil encontrar uma pessoa que passe pelo menos um dia sem visualizar suas redes sociais ou seu celular.Os jogos entre outras atividades na internet vem condicionando o comportamento das pessoas, o que da a entender é que a internet tem um total controle sobre os usuários,o maior problema é que não a maioria das pessoas não estão preparados para lidar com a internet hoje em dia. Esse tipo de jogo tem acrescentado muito na mudança de comportamento da sociedade.
    Natália Regina de Oliveira LBA

    ResponderExcluir
  56. Fernando Ribeiro LBB Noite
    Primeiramente o jogo Pokémon Go é sucesso absoluto desde que foi lançado, e os brasileiros contavam as horas para que o jogo chegasse até o nosso pais. Desde o seu lançamento oficial no Brasil o jogo tem conquistado muitos e muitos adeptos, o que nos mostra a força de um “produto” perante aos seus consumidores, são números que não param de crescer mesmo sabendo que muita gente ainda não sabe realmente o que é nem como funciona este novo entretenimento.
    Muitos destes consumidores, ou não consumidores, acreditam que este jogo não irá passar de uma “modinha” o que não deixa de ser verdade pois sabemos que não existe o sucesso absoluto e que sempre surgem novos fenômenos que mudam todo o cenário ao qual tenhamos nos acostumado.
    Podemos destacar o interesse do consumidor em seu comportamento que o faz desejar coisas intangíveis, porque de fato ninguém pega um Pokémon, o simples fato dele existir virtualmente já é capaz de aguçar este desejo do consumidor. Sem falar nos diversos tipos de estabelecimentos que apostam nessa pegada Pokémon para conseguir atrair mais público e também gerar mais visibilidade para seus produtos ou serviços.
    Com relação a posse dos dados de seus usuários, acredito que isso é algo que já vivenciamos desde que existe google e facebook, e mesmo que isso possa fazer com que o poder de conquista deles sobre nós aumente, não vejo isso como uma grande ameaça e acredito que daqui pra frente a tendência é piorar. Se não quiser ter seus dados rastreados e armazenados por “alguém” em que você não confia, simplesmente não se submeta a esta febre, não instale, não jogue, mantenha distância do Pokémon.

    ResponderExcluir
  57. Gabrielle Rosa - LBA - Noite

    Atualmente, é comum observarmos a coleta de dados no mundo digital. As plataformas desenvolvidas recentemente utilizam o banco de dados como uma das principais ferramentas. A posse dessas informações permite que o desenvolvedor tenha conteúdo suficiente pra aprimorar o seu trabalho com base no conhecimento exato do seu usuário. Outra ferramenta que coleta nossos dados e constantemente promove ações acerca disso é o Facebook. A plataforma, a cada dia, é aprimorada de forma que você não precisa sair dela para obter qualquer tipo de informação ou serviço. Com base nos seus acessos, localização e gosto, as ferramentas se desenvolve e suprem toda e qualquer necessidade do usuário.

    Obviamente, em termos de segurança da informação, essa postura digital deve ser questionada e controlada tanto por parte do usuário, quanto do desenvolvedor. A fim de que as chances das informações vazarem seja a menor possível.

    Não acredito que essa situação vá mudar ou ter fim. No mundo business, quanto mais informações sobre o seu cliente, mais acertivo é o seu trabalho.

    ResponderExcluir
  58. Percebemos que as pessoas no geral estão sempre se encaixando em tipologias, coisas que podem influenciar em grupos e formação de sociedade em geral, as pessoas entram em caixas onde elas se encaixam e se identificam, o que para nós publicitários ajuda a trabalhar e alcançar esse publico. Percebemos através do pokemon go, um jogo para celular q pode ser usado por qualquer pessoa, basta ter um celular compatível , porém nem todos se identificam.

    ResponderExcluir
  59. Percebemos que as pessoas no geral estão sempre se encaixando em tipologias, coisas que podem influenciar em grupos e formação de sociedade em geral, as pessoas entram em caixas onde elas se encaixam e se identificam, o que para nós publicitários ajuda a trabalhar e alcançar esse publico. Percebemos através do pokemon go, um jogo para celular q pode ser usado por qualquer pessoa, basta ter um celular compatível , porém nem todos se identificam.

    ResponderExcluir
  60. O jogo Pokémon Go, é umas das maiores febres relacionadas a tecnologia que eu possa me lembrar, febre essa que atraíssem tantos usuários, em tão pouco tempo. Vejo como interessante o fato de a grande maioria dos usuários serem jovens, o que me faz pensar na questão que vem sendo levantada com grande frequencia nos dias atuais, sobre o uso excessivos de aparelhos celulares, tablets. Essa notícia, e as demais informações e dados que tive acesso relacionados ao jogo, nos últimos dias, me faz reforçar a opinião de que está na hora da população repensar não só o uso dos aparelhos, mas também do "mundo virtual".
    O aplicativo e sua dinâmica não me atrai, porém penso que como todos esses recursos tecnológicos que vem sendo apresentada a população nos últimos tempos, o app tem o seu lado positivo e o negativo. Existem pessoas para as quais, o jogo teve seu lado benéfico em diversas questões, porém do outro lado, existem fatos como o apresentado na reportagem, onde especialista levantam a questão de uma ferramenta de controle da população.

    Estou aqui no laboratório escrevendo esse comentário e tem um rapaz ao meu lado pedindo que o amigo dele termine logo o trabalho para eles irem até a Praça da Liberdade praça fazer a captura dos Pokémons.

    Rodrigo Parreiras Campos - LBA / noite
    RA: 31412272

    ResponderExcluir
  61. Não é novidade que programas de computador, aplicativos, e-mails, redes sociais e jogos eletrônicos usam nossos dados para nos direcionar publicidade e ser mais assertivo quando nos oferecem conteúdos, serviços ou produtos. Não seria diferente com Pokemon Go, que nos primeiros dias já bateu recordes de acesso e arrecadação. Esses dados servem para selecionar cada vez com mais exatidão a que tipo de grupo o cliente faz parte e facilitar a identificação de qual tipologia ele pertence.
    O jogo chegou como revolucionário por usar realidade aumentada, talvez por ser tão dinâmico tenha feito tanto sucesso, o uso de GPS faz com que o jogador interaja com a cidade e que o campo de jogo se amplie. Não vejo esse hype diminuir tão cedo, a Niantic produtora do jogo ainda tem cartas na manga, Pokemon Go ainda tem bastante pano pra manga.
    Douglas Rodrigues LBB - Noite

    ResponderExcluir
  62. Acredito que a repercussão do fato de que o jogo Pokemon Go faz uma coleta de dados e informações dos usuários, se dá pelo motivo do game ter atingido um grande número de usuários em pouquíssimo tempo de lançamento. Afinal, não é novidade que esse e outros aplicativos e até mesmo sites utilizam de ferramentas que coletam essas informações, sejam aquelas que temos conhecimento de que estamos fornecendo ou, em alguns casos, até mesmo aquelas que nem percebemos que estamos fornecendo. Essa é, inclusive, uma prática muito utilizada por estratégias de Marketing de Conteúdo, para um maior engajamento e segmentação de conteúdo. E é aí que vemos a tipologia do consumidor sendo aplicada: essa coleta de dados, segmentam os usuários, colocando-os em várias caixas classificadas e diferenciadas por gostos, jeitos, classes e por aí vai, afim de criar um vínculo mais estratégico e assertivo entre empresa e consumidor. Acredito que essa prática é importante de certa forma, porque a mente do consumidor muda... não podemos definir uma tipologia pra um usuário como sendo eterna... Nossa mente, corpo, ideias e vontades podem sofrer alterações com o passar do tempo ou até mesmo em questões de segundos. Posso me interessar pelo jogo agora e daqui há alguns minutos desinstalá-lo do meu celular. Por isso essa coleta de informações acontece a todo tempo, para que as empresas consigam chegar o mais próximo possível das necessidades e vontades de cada usuário.

    Karine Fernandes - LBA Noite

    ResponderExcluir
  63. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  64. O jogo de fato é uma grande ferramenta de coleta de dados. Pessoalmente, não sou contra a coleta de dados, desde que sejam usados para fins não nocivos ou invasivos, como uso de dados para o Marketing ou para melhorar os serviços oferecidos. O grande problema, é que se tivermos outras grandes empresas e corporações como base, veremos que nem sempre esse é o caso. Veja as empresas de telecomunicação por exemplo, que possuem todos os dados do seu público e utilizam essa informação para cobrar o máximo possível pelo serviço oferecido. Outro exemplo é a industria da televisão, que usa tais dados para produzir conteúdos cada vez mais poderosos para controlar as grandes massas.
    Resumindo, a coleta de informações pode ser muito beneficial para o mundo, porém deve ser utilizada com muita ética e discernimento, algo que eu, pessoalmente, não acredito que irá acontecer.

    Felipe Leal - LBB Noite

    ResponderExcluir
  65. Não é novidade que a internet e todos os adventos da globalização tecnológica adotam os dados pessoais cadastrais como metodologia de publicidade focalizado no âmbito de seus interesses, uma vez que muitas redes sociais, assim como o facebook utiliza-se bastante desta rede de compartilhamento de interesses afim de conquistar clientes sob o que realmente lhes motivam. No entanto, quando conectados, sob quaisquer veículo, estamos sujeitos aos malefícios e benefícios de aplicabilidade, sendo que independente da plataforma estamos constantemente suscetíveis aos riscos, um contraponto que reafirma o quanto devemos estar atentos na utilização de dados pessoais ou não em rede.

    Tiago Teixeira LBB noite

    ResponderExcluir
  66. Estamos em uma era de muita tecnologia, e não tem como escapar disso, estamos conectados o tempo inteiro, sendo em Facebook, Whatapp, Twitter ou Instagram e liberando nossos dados para a rede sem se importar, e com o Pokémon Go não foi diferente, os fã do desenho animado e até mesmo agregados(que não são tão fãs) cedem seus dados, sua localização com o intuito de jogar em uma realidade aumentada. Estamos correndo o risco de sermos "roubados" ou espionados o tempo todo mesmo sem o aplicativo do Pokémon Go, nas redes sociais.

    Kathleen Thais Ferreira - LBB NOITE

    ResponderExcluir
  67. O jogo atinge um nível tecnológico relevante, porém, o que o jogo dispõe de localização de usuários outros aplicativos, como o serviço do Google mapas, também dispõe de tais informações, emitindo até mesmos alertas de acontecimentos que acercam o local em que o usuário encontra. O interessante do Pokémon go é a facilidade de encantar o usuário ponto de obter informações sem questionamentos, dispondo de um banco de dados atraentes a publicidade, aplicando com uma enorme facilidade a tipologia, criando mais laços entre determinados públicos capazes de serem detectados e formalizados em informações coesas.

    Lbb noite

    ResponderExcluir
  68. O jogo atinge um nível tecnológico relevante, porém, o que o jogo dispõe de localização de usuários outros aplicativos, como o serviço do Google mapas, também dispõe de tais informações, emitindo até mesmos alertas de acontecimentos que acercam o local em que o usuário encontra. O interessante do Pokémon go é a facilidade de encantar o usuário ponto de obter informações sem questionamentos, dispondo de um banco de dados atraentes a publicidade, aplicando com uma enorme facilidade a tipologia, criando mais laços entre determinados públicos capazes de serem detectados e formalizados em informações coesas.

    Lbb noite

    ResponderExcluir
  69. Realmente não é nenhuma novidade para nós que as empresas do ramo digital coletam nossos dados a todo momento, a partir de quando aceitamos os seus termos de uso do serviço. O Facebook, Whatsapp, Instagram, entre outros, já adotaram esse método de coleta de dados dos usuários muito antes do lançamento de Pokemón GO. Definitivamente, este é um processo muito interessante para as empresas, uma vez que conseguem fazer com que o contato direto com o seu consumidor seja muito mais assertivo. De certa forma, até mesmo o consumidor sai ganhando com a coleta dessas informações, pois acaba tendo uma vitrine de produtos/serviços baseados nas suas características de consumo, escapando de resultados que sejam irrelevantes aos seus interesses. Acredito que a coleta de informações e dados do usuário seja parte importante para os avanços das relações empresa/consumidor na era digital, mas que cada vez mais, tais coletas serão feitas de forma mais orgânica e segura, para que o usuário não tenha a sensação de invasão da sua privacidade e nem fique inseguro quanto ao vazamento dessas informações.

    GUILHERME MARINHO - LBA/NOITE

    ResponderExcluir
  70. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  71. As tipologias são sempre bem vindas no marketing, pois com base na pesquisa de mercado, você consegue construir um cenário previsível para a venda ou introdução de um produto no mercado.

    Com base nisso podemos ver que toda rede social utiliza a prática da "venda de dados" para a empresa que esteja disposta a pagar, com o objetivo de ajudar em sua campanha de marketing (ex: Anúncios no Facebook que podem ser segmentados com base em idade, região e até gostos) . Mas há um porém, a prática não deixa de ser válida a partir do momento em que você aceita os termos de uso para se juntar a rede social ou aplicativo (no caso do Pokemon Go).

    A conclusão que tiro é que quem detém a informação, terá sempre em suas mãos o poder de decidir o que fazer com ela. Uma vez que todos estamos sempre conectados e fornecendo informações "inconscientemente" à sites e aplicativos, eles utilizarão dessas informações para o que bem entender.


    LBB - Noite

    ResponderExcluir
  72. O que jogo Pokémon Go vem fazendo não e nenhuma novidade em relação aos demais aplicativos e redes sociais já existentes, todos eles já fazem a coleta de dados de seus usuários. O app em questão, proporciona aos seus jogadores uma nostalgia, e ganha, cada vez mais, um público muito grande, preenchendo suas necessidades de fazerem parte de um determinado grupo e também de estarem atualizados com as novas tendências. Como publicitário, vejo essa febre que se tornou o Pokémon Go como um fator favorável, quanto mais informações temos das pessoas, podemos oferecer produtos e serviços mais personalizados de acordo com a necessidade do nosso público. Como no próprio texto diz, nenhum usuário foi forçado a baixar o aplicativo, portanto, cabe a cada um a responsabilidade de consumo.

    Juan Felipe / LBA – Noite
    RA: 314110780

    ResponderExcluir
  73. Existe uma linha tênue entre a evolução da tecnologia e o controle da informação. Com o pokémon Go este assunto é colocado em voga novamente. É interessante ver como um aplicativo mexeu com o comportamento da população de forma nunca antes vista. Para uma visão crítica e comportamental da situação, podemos ver as pessoas se apoiando em aparelhos tecnológicos para terem uma interação. Além de visualizar, dentro da matéria de comportamento do consumidor, critérios demográficos, modo de compra, etc.

    Igor Ritter / LBB - Noite
    RA: 314115821

    ResponderExcluir
  74. Para mim o Pokémon Go é um jogo que virou uma febre momentânea que logo irá passar. O seu público cresceu de uma forma rápida pelo fato do jogo ser uma mais uma ''modinha'' onde pessoas entram nessa jogada só para fazerem parte de um determinado grupo (ou por quererem se encaixar no grupo). Com relação a coleta de dados, isso não acontece somente com o app do Pokémon Go e sim com vários outros aplicativos que temos. Usamos diversos app que também consegue coletar os nossos dados.

    Rubiane Ferreira / LBB - Noite
    RA: 314117431

    ResponderExcluir
  75. Para mim o Pokémon Go é um jogo que virou uma febre momentânea que logo irá passar. O seu público cresceu de uma forma rápida pelo fato do jogo ser uma mais uma ''modinha'' onde pessoas entram nessa jogada só para fazerem parte de um determinado grupo (ou por quererem se encaixar no grupo). Com relação a coleta de dados, isso não acontece somente com o app do Pokémon Go e sim com vários outros aplicativos que temos. Usamos diversos app que também consegue coletar os nossos dados.

    Rubiane Ferreira / LBB - Noite
    RA: 314117431

    ResponderExcluir
  76. Rogério sabino fraga/LBA noite ra:314116826


    Mais uma mania que é um lançamento muito bem pensado e criado,alcançou um público que talvez os próprios criadores não pensariam que seria tao grande a visibilidade e que tomaria total rotina dos usuários do aplicativo.Essa coleta de dados informada não seria nenhuma novidade ou espanto hoje em dia tudo que usamos em redes sociais e praticamente uma coleta de nossas vidas a privacidade das pessoas estão presas e abertas para aplicativos.

    ResponderExcluir
  77. A popularidade imediata do jogo fez com que ele fosse cada vez mais comentado e com isso se tornou visível a muitas críticas. Em todas as redes sociais somos expostos e temos nossos dados divulgados, mas estamos tão acostumados com as redes mais "antigas" que vemos o problema somente naquela que chega de forma bombástica igual foi o jogo. É visível proporção que tomou, em qualquer lugar é possível ver as pessoas entretidas no celular "caçando". Acho que temos que ter consciência na hora de usar qualquer rede social/aplicativo, porém essa consciência tem que partir do próprio usuário, não acho que deva ser algo a ser controlado pelo próprio aplicativo. Daniele Cristina Torres Santos - LBA noite

    ResponderExcluir
  78. Dayanne Cassimiro Elias31 de agosto de 2016 19:07

    O questionamento maior que tive ao instalar o jogo em meu celular foi: qual é o valor da nossa privacidade?
    Assim como os inúmeros outros aplicativos que também armazena os nossos dados pessoais, é inquestionável a forma que esses apps influenciam no nosso comportamento.

    Achei de fato interessante a proposta do aplicativo onde o usuário necessita caminhar para capturar os pokémons pois isso afeta diretamente no convívio social (muitas vezes eu estava andando pela praça quando um desconhecido puxava papo sobre algo do jogo por exemplo). Por outro lado, achei um tanto perigoso devido a violência que dia a dia bate em nossa porta pois. Da mesma forma que temos pessoas que utilizam o jogo para o bem, também percebemos o que utilizam para o mal. E estar ciente disso ao disponibilizar nossos dados para as inúmeras redes/plataformas/aplicativos é extremamente importante.

    Dayanne Cassimiro Elias - LBB noite

    ResponderExcluir
  79. Com uma união entre a nostalgia do desenho e a tecnologia atual utilizando métodos de localização e realidade aumentada, o Pokemón Go virou, indiscutivelmente uma mania mundial.

    O que não é novidade nenhuma é a coleta de dados pessoais, visto que outras empresas já vinham praticando isso, como o Facebook, por exemplo. Para a divulgação de anúncios, ele coleta dados e classifica seus usuários por faixa etária, localização, interesses, entre outros.
    Não podemos dizer que essa prática é sem o nosso consentimento, pois antes de instalar qualquer aplicativo, aceitamos os termos de responsabilidade e uso de informações.
    A questão é, que nos dias atuais, quem obtém melhores informações sobre o seu consumidor, obtém as melhores chances de se destacar no mercado.

    Alex Sander Júnior- LBB Noite

    ResponderExcluir
  80. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  81. Vivemos numa era dotadas de meios tecnológicos no qual nunca imaginamos poder existe um dia, isso é incrível mais como tudo na vida existe um lado positivo e um negativo. O lançamento do jogo Pokemon Go virou uma febre mundial , o desejo de fazer parte ou possui o que é “novo” é algo que novo esta na vida do individuo, estamos sempre querendo um celular novo, um carro novo, uma roupa nova ou ate mesmo uma vida nova , sempre terá algo no qual queiramos “novo” isso por necessidade ou satisfação. O jogo PoKEmon Go ser tornou isso algo novo, diferente, descolado, no qual não existia antes e isso é o que atrai o individuo, o jogo oferece uma proporção de prazer na qual o satisfaz e o mantem á continuar jogando não importando a hora ou o lugar. Cada ser é único, diante disso sabemos que diferentes opiniões serão formadas diante o fenômeno do jogo Pokemon Go, alguns falam que é um jogo para gente idiota, outros que é puta diversão , outro que é jogo para gente sem serviço, e outros que o jogo proporciona grande consequências. Referente ao que é retratado na reportagem sabemos quer somos observados pelo campo digital á muitos tempo antes de ser lançado o Jogo Pokemon Go , diversos são as coletadas de dados nas quais nos mesmo disponibilizamos, seja através de um e-mail , rede social aplicativos ou ate mesmo um jogo, consequências como roubos, assistentes, falta de atenção no que faz sempre existirão, no lançamentos do whap app tivemos prova disso, então acredito que cada individuo tem consciência do que faz, inteligente foi a pessoa na qual teve a ideia de criar o Jogo PokemonGo.

    Karina Vieira Silva-LBB NOITE

    ResponderExcluir
  82. Eu acredito que "pokemon go" é apenas mais um aplicativo comum da atualidade usando nossos dados pessoais. O jogo de interação com a vida real se tornou um sucesso no mundo inteiro; e isso o torna visível a muitas críticas e pesquisas. Os usuários do aplicativo concordaram com seus termos de uso, e estão sujeitos a essa invasão de privacidade. Mas, ao mesmo tempo, vários outros aplicativos utilizam de termos parecidos, e não recebem as mesmas críticas. Estamos sujeitos a essa mesma invasão utilizando email, facebook, twitter, instagram e etc. Cabe a cada um de nós reconhecer os benefícios e malefícios das novas invenções. Ao entrar na internet você está sujeito a isso e deve controlar as informações pessoais divulgadas na rede. Não sou usuária do jogo, mas acredito que ele trouxe diversos benefícios para crianças, adolescentes e adultos, possibilitando a interação social e diversas distrações. Devemos nós mesmos ser os supervisores disso.

    Sofia Cury - LBA, noite

    ResponderExcluir
  83. Não vejo o aplicativo apenas como um "coletor de dados em massa", pois as grandes empresas (vide Google, usando podendo estar usando o Google Maps para espionagem no Pokemon Go) já tem ferramentas populares para fazer isso, se analisarmos Facebook, Twitter, Whatsapp e afins, todos usam ferramentas de localização e podem obter informações e manter um banco de dados sobre o seus usuários.
    O fenômeno Pokemon Go como com uma explosão, mas logo depois foi decaindo, cerca de 2 semanas após o lançamento o game já havia perdido 15 milhões de usuários, restando apenas o grande público que já era fã do desenho ou quem realmente foi cativado pelo jogo ao decorrer do tempo jogando.
    A transformação no comportamento dos usuários é notável, pessoas já andaram mais de 100km em pouco menos de um mês de o lançamento no jogo, o jogo se transformou uma ferramenta contra o sedentarismo e aproximo pessoas com um gosto em comum, já que quase nunca se encontra um pokestop vázio.

    Gabriel Vinícius Alves - LBA, noite.

    ResponderExcluir
  84. Em relação aos estudos de Comportamento do Consumidor, o aplicativo surge no mercado e ajuda a realçar as carências mais profundas do ser humano: pertencer a um grupo, ser igual aos demais, ter que se identificar com algo e participar doq ue todo mundo participa. No âmbito do marketing, é inegável o potencial que o aplicativo tempara atingir o público alvo e entender seu comportamento através dos recursos de monitoramento de localização e de hábitos. Esse monitoramento já vem sendo feito por diversos aplicativos, mas o jogo Pokemon Go inovou e tem se apresentado um exemplo de marketing tanto no que se refere a suas funcionalidades, que conquistaram o público-alvo, como ao fato de ter se tornado um fenômeno de publicidade despertando a atenção do mundo através de notícias que foram se propagando de forma exponencial e "espontânea".
    Carolina Vaz de Mello - PUB LBB noite

    ResponderExcluir
  85. Bárbara C. Rodrigues - LBA - Noite

    Não acho que as empresas estão investindo tanto em monitoramento, isso é teoria da conspiração. Quem está online de fato esta sendo monitorado, ferramentas como facebook, google tem perfil de personalização pessoal, expondo informações e interligando usuários por compatibilidade de informações. Isso também é monitoramento e hoje mais do que nunca um desenvolvimento de programa da acesso e interliga a internet e os usuários em tempo real. Estaria o pokemon monitorando nossas casas? Acho que o governo não está muito interessado em perder tempo com isso.

    ResponderExcluir
  86. Acho que todos nos sabemos que as empresas do meio digital coletam nossos dados sempre, a partir de quando aceitamos os seus termos de uso do serviço. O Facebook, Whatsapp, Instagram, entre outros, já adotaram esse método de coleta de dados dos usuários muito antes do lançamento de Pokemón GO. E com isso se fazem com que todos nós tenhamos um medo maior de entrar, acessar esses certos programas, jogos e ate mesmo site, pois eles nos restringe do que fazemos, nos expõem as nossas coisas. Mas ainda acho que o jogo Pokemon não esta interessado em verificar nem monitorar desse modo os nosso a fazeres entre outras coisas, já se possui muitos outros métodos para isso.

    Fernanda Teles - LBB NOITE

    ResponderExcluir
  87. A coleta de dados e monitoramento do consumidor é um "detalhe" esquecido, escondido ou ignorado ao "aceitar os termos de uso" do produto e/ou serviço sem de fato fazer a leitura. Em uma era onde a novidade é um dos produtos mais vendáveis, a possibilidade do controle total não assusta os usuários. Os jogadores do Pokemon Go, assim como usuários de redes sociais e ferramentas do google não estão preocupados com o armazenamento e monitoramento de seus dados e caminhos, afinal, se o estivessem, nenhuma das ferramentas citadas teria o alto índice de popularidade. Em outras palavras, podemos considerar que a coleta de dados não intimida o consumidor, tão pouco muda o seu comportamento diante do produto.
    Carolina Santos Fernandes - LBA Noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carolina Santos Fernandes - LBA Noite.
      31412171

      Excluir
  88. Ariane Marques - LBB Noite.6 de setembro de 2016 13:31

    São inúmeros os questionamentos, especulações e teorias em torno do game " Pokemon Go". Pessoalmente, vejo o jogo como uma forma de alienação, uma vez, que se utiliza do "sonho" de várias pessoas em se tornarem mestres pokemons, para conseguir milhares de seguidores e consequentemente informações importantes sobre cada um. Entretanto, acredito que estamos vivendo na " era do controle total" há muito mais tempo, pois diariamente nos deparamos com a necessidade de expor algum dado pessoal, seja ao responder uma pesquisa na internet, baixar um ebook, ou até mesmo para entrar em algum estabelecimento de entretenimento. Dessa forma, tudo o que está em nossa volta, vem sendo moldado através da coleta de dados pessoais, afim de que as empresas possam analisar com riqueza de detalhes a tipologia de seu público alvo e até prever, como o mesmo se comportará no futuro.

    Ariane Marques - LBB Noite.

    ResponderExcluir
  89. O jogo em si não nos obrigado a baixá-lo ou usá-lo constantemente no nosso dia a dia, a escolha de se torna um jogador de Pokemon GO parte da decisão de cada um, e creio eu que muitos foram com o intuito de explorar uma inovação que surgiu no meio digital.
    Infelizmente a sociedade em que vivemos tem, por prazer, a necessidade de botar um defeito em tudo que há de novo, e em alguns casos exageram nem nenhuma necessidade.
    O Pokemon GO permite aos usuários negar aquelas solicitações que são feitas para que eles não sejam "espionados", mais uma prova de que o jogo veio com o intuito apenas de aumentar a interação do seu público.
    O Pokemon GO veio para somar, não apenas na interação mas também na inovação, e muitos inovações virão posteriormente a ele.

    Nilo Magno - LBB Noite

    ResponderExcluir
  90. Acredito que no desenvolvimento do Pokemon Go, as tipologias foram de extrema importância, mas ao mesmo tempo claramente abrangentes, visando o grande alcance que o app teve. A variedade de pessoas que jogam é incrivelmente grande, podendo ser observada em qualquer grande centro urbano. A inclusão digital é cada vez mais visível, e atinge pessoas de todas as idades e classes sociais. Não seria diferente com um jogo que, em escala global, é inovador e de fácil acesso. É claro que o consumo é sempre visado, e, nesse caso, é diretamente ligado ao uso dos dados móveis. As operadoras se beneficiam, o aplicativo alavanca seus números de downloads, e as pessoas se divertem. Mas, em meio a toda essa euforia inovadora e próxima, onde fica nossa privacidade? E nossa vida social? A interação física e real, fora do mundo digital? A situação é cada vez mais interessante por um lado, e ainda mais preocupante por outro. Cabe a cada um de nós enxergar até onde podemos ir sem escorregar pelas linhas do "mundo perdido".

    ResponderExcluir
  91. Caçadores de Pokemon
    De onde vem?
    Para onde vão?
    Como chegaram aqui?

    Sexta no Globo Repórter.

    O consumo excessivo no chegado do aplicativo no Brasil poderia ter sido gerado por vários fatores; modinha, líderes de opinião, interesse, resgate de alguma parte da infancia, preferencia etc..
    Sendo qualquer um desses fatores o fato é que movimentou o mercado de consumo, o índice foi muito alto nos downloads, sem contar o numero significativo dos assaltos por causa de um aplicativo.

    Talita LBA Noite

    ResponderExcluir
  92. Quando foi lançado o aplicativo do Pokemon Go, foi um momento onde surgiram e dispersaram diversas opiniões sobre o jogo.

    Alguns se identificaram com a infância, outros ficaram vidrados com a tecnologia de juntar a realidade virtual e a real, outro falaram que era coisa do capeta.

    É interessante quando analisamos esses comportamentos diversos, até mesmo para entender e refletir sobre comportamento e consumo.
    Como cada um age, acredita, defende e age.

    ResponderExcluir
  93. O Jogo é tão poderoso que pode até fazer uma segmentação de mercado, somente com os dados dos jogadores, e podem colocar monstrinhos em determinadas lojas para atingirem ao público alvo desejado, de repente as lojas podem até procurar a empresa que criou o jogo para que ela mande determinado publico de acordo com a seguimentação para a sua loja. Esse jogo pode se tornar uma arma poderosa para o mercado. Ass: Silvia de Lima Reis - LBB Noite - PP Una Liberdade

    ResponderExcluir
  94. Very nice post here and thanks for it .I always like and such a super contents of these post.Excellent and very cool idea and great content of different kinds of the valuable information's.
    PEGA Training in Chennai

    ResponderExcluir