segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Crianças ganham Guia do Consumidor Mirim



Por Metro Jornal SP - 10/10/2016 às 2h00

As crianças estão ganhando à véspera de seu dia o Guia do CDC Mirim (Código de Defesa do Consumidor Mirim), uma publicação on-line, que pode ser baixada gratuitamente (www.proteste.org.), dirigida ao público infantil.

Nas relações de consumo, as crianças não podem ser tratadas como adultos porque ainda não têm todas as condições para analisar o que expõem as propagandas. Antes dos 12 anos, ainda falta experiência para selecionar os itens de mais qualidade pelos melhores preços.

O Guia do CDC Mirim mostra ainda que o futuro adulto deve aprender, nos primeiros anos, conceitos como do orçamento familiar e da comparação entre artigos que pretenda comprar.

A publicação trata também de questões de cidadania; tópicos da legislação; como evitar o consumismo; a publicidade abusiva; alimentação saudável; mesada; dicas para as compras; e consumidor de A a Z.

De acordo com Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste,  responsável pelo trabalho, havendo educação para o consumo na infância, o adulto saberá, entre outras coisas, que não deve se endividar.

Também aprenderá, diz ela, a avaliar qualidade e preços de diversos produtos e serviços, além de exigir o cumprimento do que foi estabelecido pelo Código de Defesa do Consumidor dos adultos.

Pessoal, analisem a cartilha a partir do que falamos em sala e dos conhecimentos de produção publicitária que já têm, e apontem suas qualidades e possíveis aprimoramentos. 


100 comentários:

  1. Caio Leroy Corrêa - LBA - NOITE
    A cartilha demonstra de forma bem didática noções e lições de consumo, todas bem exemplificadas para crianças residentes em cidades grandes (vide um exemplo dado que cita um passeio no shopping, coisas que no interior não existe, mas enfim, não vem ao caso), mostrando termos complicado de explicar como a economia, saber guardar dinheiro e priorizar gastos, repensar aquele velho termo que é "eu realmente preciso disso?", mas como é voltada para as crianças, os pais também tem, obviamente, acesso à publicação onde é mostrado o consumo de publicidade para crianças e o por que eles são contras. Ao início da pagina 12 é mostrada essa frase: "Felicidade, porém, nada tem a ver com ‘ter’, e sim com ‘ser'". Mostrando que valores monetários são menores que os valores carregados na personalidade.

    ResponderExcluir
  2. Achei a ideia sensacional! O CDC Mirim é uma ótima forma de educar os jovens no aspecto do consumismo. Os temas são pertinentes e as informações são bem explicadas. O meu irmão de 13 anos já tem uma próxima leitura a fazer, com certeza! hahah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Núbia Gabriella - LBA NOITE

      Excluir
    2. Uma ótima ideia ao lançarem essa cartilha. Demonstra o quanto a publicidade pode ser agressiva a uma criança e o quanto temos que nos preocupar e evoluir nesse assunto. Para que possamos num futuro ter adultos mais conscientizados de como consumir sem colocar em check o orçamento de suas famílias.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Diego Martins
    LBB

    Através da visão proposta pelos meios de comunicação, as crianças são constantemente bombardeadas por conteúdo especial direcionado a elas. Dentro desse contexto de mercado, as crianças estão cada vez mais informadas (devido ao amplo acesso às mídias eletrônicas: principalmente a internet, o celular e a televisão). E nos dias atuais onde essas informações chegam de forma mais rápida, o controle dos pais nessa situação é mais complicado. Por um lado isso é bom, as crianças estão se desenvolvendo para o mundo de forma mais rápido, se preparando para o mercado e desafios da vida.
    Referente a cartilha pelos estudos dados em sala pode se dizer que a publicação trata de questões de cidadania; tópicos da legislação; como evitar o consumismo; a publicidade abusiva; alimentação saudável; mesada; dicas para as compras e de consumidor de A a Z. Isso são benefícios para as crianças de hoje. Quem dera se a maioria de nossos políticos fossem educados com esse GUIA CDC MIRIM, não teria tanta corrupção.

    ResponderExcluir
  5. Weslei Marcelo - LBA - Noite - 6°pp15 de outubro de 2016 20:03

    Não sou contra a publicidade para crianças, como muitos são.
    Claro, publicidade de forma não agressiva, onde pode despertar o desejo da criança por determinado brinquedo/produto.
    A idéia da cartilha é muito boa, muitos pais podem até ultilizar ela para educarem os filhos de maneira onde eles vão ser bons consumidores.

    ResponderExcluir
  6. Fábio P. Chehayeb - LBA NOITE
    Começo essa discussão com uma letra do Reaper/escritor/poeta Gabriel O pensador:

    Manhê! Tirei um dez na prova
    Me dei bem tirei um cem e eu quero ver quem me reprova
    Decorei toda lição
    Não errei nenhuma questão
    Não aprendi nada de bom
    Mas tirei dez (boa filhão!)

    Sim, isso mesmo, os métodos de ensino devem haver uma reforma, e nada melhor do que ensinar para a criança fatos que possam a ocorrer com ela no futuro, e a cartilha evidencia essas situações e lhes dão opções para enfrenta-las, cada dia a criança se "adulta" mais cedo, e temos que prepara-las para entender como as coisas funcionam, outra parte da musica é :

    "A rua é perigosa então eu vejo televisão
    (Tá lá mais um corpo estendido no chão)
    Na hora do jornal eu desligo porque eu nem sei nem o que é inflação
    - Ué não te ensinaram?
    - Não. A maioria das matérias que eles dão eu acho inútil
    Em vão, pouco interessantes, eu fico pu.."

    eu sou a favor de ensinos alem da didática cotidiana mas uma especie de preparo para a vida adulta e essa iniciativa é basicamente isso e me agradou muito.

    ResponderExcluir
  7. Com certeza a consciência sobre o consumo não atinge exclusivamente a criança, mas se expande também ao círculo de convivência da mesma.É preciso desde cedo educar as crianças e prepará-las para a vida em todos seus aspectos. A leitura e o conhecimento dos direitos sobre consumo e educação para com o consumismo, formam na criança um senso crítico e fazem com que ela não absorva imediatamente toda publicidade que é empurrada "goela abaixo".

    Débora C. de Souza - 6º Período lBB noite

    ResponderExcluir
  8. ideia realmente é incrível e inovadora, porém, deve ser tratada de forma cautelosa. A criança deve sim ser educada para que ela cresça um adulto que não desconte sua ansiedade em consumo. Sendo assim, tudo ótimo.
    Creio que a educação enquanto criança sobre o consumo deve ser dos pais. Já na adolescência sim obter ensinamentos de orçamento, dinheiro e etc. Como havia dito anteriormente, o guia tem que obter uma grande didática e força para que a leitura não fique chata. As crianças de hoje não se interessam por leituras e muito menos ensinamentos. O guia deve e tem que ser bem elaborado e talvez quem sabe ser uma matéria na educação infantil?
    Nos nossos estudos vemos que isto será/seria importante para que a criança seja um adulto com “consumos corretos” e que não sejam “válvulas de escape”.

    Rafael Duarte Lincoln de Almeida - LBA

    ResponderExcluir
  9. A ideia realmente é incrível e inovadora, porém, deve ser tratada de forma cautelosa. A criança deve sim ser educada para que ela cresça um adulto que não desconte sua ansiedade em consumo. Sendo assim, tudo ótimo.
    Creio que a educação enquanto criança sobre o consumo deve ser dos pais. Já na adolescência sim obter ensinamentos de orçamento, dinheiro e etc. Como havia dito anteriormente, o guia tem que obter uma grande didática e força para que a leitura não fique chata. As crianças de hoje não se interessam por leituras e muito menos ensinamentos. O guia deve e tem que ser bem elaborado e talvez quem sabe ser uma matéria na educação infantil?
    Nos nossos estudos vemos que isto será/seria importante para que a criança seja um adulto com “consumos corretos” e que não sejam “válvulas de escape”.

    Rafael Duarte Lincoln de Almeida - LBA

    ResponderExcluir
  10. Particularmente adorei a cartilha e seu desenvolvimento didático. Se educarmos quando crianças teremos adultos com uma educação financeira melhor. Partindo do principio que somos um país emergente , tal instrumento fará uma grande diferença.
    Crianças são bombardeadas a todo tempo com publicidade. Hoje mesmo assistindo um vídeo no youtube com meu sobrinho de um ano , fomos interrompidos com um comercial de suco que usava uma musica chiclete.
    Nosso pais seria melhor se Guia Cdc Mirim existisse a mais tempo.

    ResponderExcluir
  11. A cartilha possui um conteúdo muito interessante, apesar de alguns detalhes não serem devidamente explorados, como a questão do machismo e dos açúcares. Isso torna necessária a intervenção da escola em sua análise e também da família, afinal, as crianças não são somente afetadas pela publicidade infantil.

    Acredito que a linguagem da cartilha, para ser trabalhada em diferentes faixas etárias e para serem lidas sem auxílio, pudesse ser mais simples e em formato de história em quadrinho, por exemplo, tornando-a mais interessante.

    ResponderExcluir
  12. A cartilha é uma ótima forma de ensinar às crianças desde cedo como se tornarem um consumidor não compulsivo. Vemos muitas publicidades dirigidas às crianças, e com este ensinamento desde cedo, pode ser uma forma deles não serem compulsivos e quererem tudo que veem na TV.
    Como o material aborda temas variados, os hábitos serão mudados desde a fase infantil. Os pais, por sua vez, também têm acesso ao material, e é uma forma de ajudá-los a incentivar os filhos a economizarem, fazer pesquisas de preços, economizar mesada, etc.
    Tratando desde cedo, o consumo consciente será empregado a todos, pois a criança deve se tornar um adulto mais consciente de seus consumos.

    Rafaela Cavalcanti Ribeiro - LBB

    ResponderExcluir
  13. Devemos educalas sim. Mais com cautela para nao perder essa inocencia que toda criança precisa para sua vida. Mais podemos mostrar e ensinar como estão as coisas de forma que nao assuste ELA,Mais sim que de una noção pra ela.

    Felipe de Souza Sodre Mendes LBB noite

    ResponderExcluir
  14. É de extrema importância a educação para as crianças voltado pro meio do consumo, já que a cada dia a influência a esse comportamento vem se aumentando. Aplicar esse conhecimento de forma cautelosa a crianças, irá ajudar em seu comportamento de consumo também na fase adulta, auxiliando na administração de suas ansiedades e gastos, tornando-se consumidores conscientes.

    Carlos Miguel de Oliveira, LBB Noite

    ResponderExcluir
  15. achei a ideia da cartilha incrível, as crianças desde sempre são expostas a tantos conteúdos que brigam por sua atenção, seja em um desenho na tv que tem uma propaganda dentro do próprio ou até em um video do youtube, esse é um assunto delicado que tem que ser tratado com cautela, a criança desde sempre tem que ser educada para ter um consumo correto e não ver isso como uma válvula de escape.
    Anna Carolynne- LBA

    ResponderExcluir
  16. A cartilha é uma ótima ferramenta para mostrar as crianças desde sempre como não serem pessoas mais compulsivas.. Hoje em dia as publicidades estão muito distintas para as crianças, para chamar mais a atenção delas.
    Desde de pequenas as crianças devem entender que nem tudo que se vê que se tem que ter, e isso vem de casa, com os mais mostrando que nem sempre o que e mostrado na tv, e o melhor e o que se deve obter.


    Fernanda Teles - LBB Noite

    ResponderExcluir
  17. Ariane Marques - LBB Noite.18 de outubro de 2016 11:50

    Elaborar formas para instruir e preparar as crianças para o consumo, são com certeza ótimas iniciativas. A cartilha traz assuntos pertinentes aos pequenos, provocando um entendimento maior sobre o mercado e o cuidado que se deve ter em consumir. Esse é o primeiro passo de um longo caminho, ainda há muito a se fazer para que as crianças se tornem consumidores conscientes no futuro.

    Ariane Marques - LBB Noite

    ResponderExcluir
  18. Carlos Lara - LBB

    Uma de suas qualidades é a linguagem utilizada, mas ao mesmo tempo creio ser um problema pelo seu tamanho, crianças hoje em dia não leem vinte e quatro páginas.

    Em meu ponto de vista as crianças hoje em dia estão todas conectadas a internet, utilizando sites como Youtube, Facebook e jogando partidas online com seus amigos.

    Uma maneira de aprimorar o guia seria apostar na interatividade e visibilidade que outras mídias podem oferecer.

    ResponderExcluir
  19. A forma como o livro é bem estruturado é uma de suas qualidades.

    Mas como todo defeito dos livros hoje em dia (principalmente para as crianças) é a falta de interatividade (assim como nosso amigo aqui de cima falou) minha sugestão seria apostar em algum APP do livro ou até mesmo uma versão em desenho do livro para que a criança possa interagir mais com o livro, ai a usabilidade dele para o publico alvo ficaria melhor.

    ResponderExcluir
  20. A cartilha é sensacional, porém não o bastante.

    Tais ensinamentos devem ser ensinados no dia a dia na escola e em casa, para evitarmos grandes crises econômicas geradas por grandes débitos e financiamentos, como a crise imobiliária americana.

    Felipe Pinheiro - LBB Noite

    ResponderExcluir
  21. Sâmara Paz da Silva (LBA)21 de outubro de 2016 05:20

    Sâmara Paz - LBA

    O conteúdo é indispensável. Consciência financeira deve ser trabalhada desde cedo, somente assim é possível que as pessoas não se deslumbrem ao se verem dotadas de poder de compra direto.

    ResponderExcluir
  22. Jean Alfredo Souza - PUB LBB

    Achei a cartilha de extrema relevância. É uma iniciativa fundamental. Concordo, porém, com alguns comentários acima sobre a falta de interatividade, visto que o público infantil está cada vez mais inserido nesse contexto.

    Trabalhar as formas de distribuição dessa cartilha, como o desenvolvimento de um aplicativo, ou a adaptação do conteúdo para videos, por exemplo, podem ser alternativas mais eficazes.

    ResponderExcluir
  23. A cartilha é uma ótima forma para educar uma criança sobre o consumo e econômia. Com ela a criança pode tanto aprender quando se sentir um adulto e responsável, conscientes do que é certo e errado. Um lado negativo é que querer ensinar uma criança como ser adulto na sua fase mais importante, pode acabar tirando um pouco da sua fase criança, onde se precisa brincar e conhecer coisas novas, portanto dependendo da forma que o livro for passado para a criança é sim um ótimo recurso de ensino.

    Dárcio Júnior - LBB Noite.

    ResponderExcluir
  24. A cartilha é uma ótima forma para educar uma criança sobre o consumo e econômia. Com ela a criança pode tanto aprender quando se sentir um adulto e responsável, conscientes do que é certo e errado. Um lado negativo é que querer ensinar uma criança como ser adulto na sua fase mais importante, pode acabar tirando um pouco da sua fase criança, onde se precisa brincar e conhecer coisas novas, portanto dependendo da forma que o livro for passado para a criança é sim um ótimo recurso de ensino.

    Dárcio Júnior - LBB Noite.

    ResponderExcluir
  25. Estamos constantemente envolvidos em circunstâncias que mudam nossos conceitos culturais, mas inevitavelmente somos moldados culturalmente na infância. Esta cartilha apenas reforça a ideia de introduzir nas crianças desde cedo conceitos de consumo e economia. Desta forma, gerando na criança a ideia de responsabilidade desde a infância até a fase adulta, norteados pelo que ditamos como o correto no contexto social. Em contrapartida enveredamos por um caminho que tenta atribuir responsabilidade em crianças, que estão na fase de suas vidas em que se vivem estritamente baseados na responsabilidade de seus pais. Creio que deve se ter muito discernimento ao introduzir uma cartilha deste cunho, procurando estipular a melhor faixa etária e o momento oportuno para essa aplicabilidade, deixando de afetar diretamente na infância dessas crianças.

    Tiago Martins Teixeira LBB noite

    ResponderExcluir
  26. A ideia da cartilha é sensacional uma vez que as crianças da atualidade estão se transformando em seres mais pensantes de forma rápida. É imprescindível que deixe claro para os seres humaninhos a importancia da educação no consumo. Como citado acima eu concordo no aperfeiçoamento da cartilha em outras versões, como por exemplo um aplicativo.
    Rhayane de Oliveira Santos - LBB

    ResponderExcluir
  27. Emanoel Lopes - LBB Noite24 de outubro de 2016 03:49

    Achei genial a criação da cartilha e da campanha em si, porém não acredito que seja o suficiente para que esse publico aprenda de fato o conteúdo.
    Para uma maior eficiência da campanha será de grande potencial ministrar nas escolas um curso e acompanhamento, com aulas teóricas e praticas, abordando o conteúdo da cartilha.

    ResponderExcluir
  28. Corsino, LBA

    Trata-se de um material que reforça a importância do conhecimento sobre os direitos e deveres do consumidor. A redação da cartilha é de um tom infantil e que provoca o reconhecimento de situações cotidianas das crianças para ilustrar o mundo do consumo no Brasil.
    Desenvolver - através da educação e conscientização - um cidadão responsável e crítico em relação ao consumismo e ao ideal de um ambiente mercadológico favorável ao consumidor e não à empresa é essencial e, por se demonstrar claramente esse intuito na cartilha, creio ser de grande valia, mesmo que em um resultado tardio - entre 8 e 10 anos.
    O que pode ser uma problemática para a cartilha é o fato de ser uma introdução generalista ao mercado e que necessita de um conhecimento prévio do funcionamento das operações de compra e venda.
    É interessante como a cartilha indica um caminho para a discussão social de cidadania, se baseando no ECAD (Estatuto da Criança e do Adolescente), para fomentar a importância do assunto tanto para o ambiente escolar, quanto para o ambiente sociofamiliar.

    ResponderExcluir
  29. Vejo a cartilha com bons olhos, acredito que ela tenha um valor e é importante, porém creio que ela sozinha seja pouco, pois o processo de construção de um bom consumidor, de um consumidor consciente, é muito mais complexo. E penso que mesmo que seja trabalhado essas ideias durante a infância e juventude, fatores eventuais podem influenciar e mudar o comportamento desse consumidor quando adulto.
    Um aprimoramento possível é promover a cartilha com palestras e eventos interativos, que realmente despertem atenção das crianças. Esses eventos poderiam acontecer em escolas.
    -
    Rodrigo Parreiras Campos - LBA / noite
    RA: 31412272

    ResponderExcluir
  30. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  31. A cartilha tem função educativa,com linguagem voltada para crianças, um publico que necessariamente precisa desde cedo ser orientado em relação ao consumo uma vez que é bombardeado por inúmeras campanhas agressivas. A cartilha pode auxiliar a criança, dando uma noção básica de consumo e assim torna-la consciente.

    ResponderExcluir
  32. A cartilha é uma excelente ferramenta para se educar as crianças desde cedo. É essencial que tais temas como o consumo sejam abordados desde a infância para que possamos formar cidadãos com mais consciência financeira. A cartilha também ajudará as crianças a desenvolverem seu senso crítico perante todo o conteúdo publicitário que é recebido diariamente.

    Juan Felipe de Oliveira Santos
    LBA NOITE – RA: 314110780

    ResponderExcluir
  33. Acredito que a iniciativa de tentar educar a criança em relação ao consumo e aspectos que o rodeiam é de extrema validez. Isso porque, a criança é grande parte influenciadora do movimento de compra dentro das famílias. São elas que muito das vezes ditam o que será comprado para si mesma, e isso é um problema, pois assim com indica a cartilha, a criança não é capaz de distinguir até onde o gasto monetário é prejudicial a economia dos pais.

    Observações como Publicidade Infantil e a Alimentação Infantil, presentes na cartilha, são de extrema importância e de inegável disclusão. Ao se falar sobre saúde com a criança, a educação não está sendo somente a ela, mas diretamente aos seus pais, que são os principais fornecedores de alimento a criança.

    Porém, para mim, há grandes falhas na construção do Guia. Pautar um assunto como o consumismo e detalhar valores monetários não é uma forma atrativa de abordar uma criança. Isso causa um desconforto e desinteresse da mesma.

    Outro ponto errôneo do Guia é grande quantidade de texto. Se é um material direcionado a criança, o mesmo foi mal construído ao ponto de se tornar cansativa a leitura. O correto seria abusar das imagens e representações gráficas ao invés de encher o guia com parágrafos e mais parágrafos. Tudo é uma questão de conhecimento do público e de Design.

    Tirando estes detalhes, a iniciativa é super válida e educacional para qualquer tipo de pessoa.

    Lucas Bambirra - LBA

    ResponderExcluir
  34. Uma ótima ideia para conscientizar as crianças sobre o consumo adequado das coisas, porém na minha visão publicitária, o público alvo deste projeto não são as crianças mas sim seus pais, por ter pouco conteúdo imagético. Acredito que é necessário realmente difundir esses conceitos nas crianças e de grande valia essa cartilha, porém não acho que traria resultados positivos.

    ResponderExcluir
  35. Para mim a cartilha é uma excelente ideia.

    A cartilha tem o dever de ajudar as crianças desde cedo a entender assuntos que não são ensinados nas instituições de ensino. Acho super válido todos os assuntos que são abordados na cartilha.

    Penso que a cartilha deveria ter mais imagens criativas ligadas aos assuntos (por ser um material direcionada para o público infantil), na verdade deveria ter menos textos (para também não ficar cansativo).

    Rubiane Ferreira - LBB Noite

    ResponderExcluir
  36. Camila dos Santos Rodrigues - LBA - noite

    Acho que a cartilha aborda todos os tópicos importantes para a conscientização do consumo de uma criança. Ela trata de assuntos que vão desde o conceito de cidadania, como economizar na mesada, até se colocar no lugar dos pais quando a criança exige um presente caro demais. Acredito que ela poderia ter uma linguagem mais simples e poderia envolver mais didática, como por exemplo jogos e brincadeiras para as crianças colocarem em prática o que leram. Além de construir uma responsabilidade desde pequeno, essa criança poderá se tornar um adulto que tomará suas decisões com mais responsabilidade.

    ResponderExcluir
  37. A cartilha pode dar um senso crítico maior para as crianças e assim, para os futuros adultos que constituirão a sociedade de direitos. Mas ao mesmo modo, vemos que cada vez mais cedo a cultura atual vai se tornar forte e dogmática, pois essa será a realidade aprendida por cada criança, educada pela cartilha.

    ResponderExcluir
  38. É uma ideia interessante e bastante útil, porque desde cedo a criança já vai ser direcionada para um consumo mais consciente. Dá muitas dicas também para os pais que não sabem direito como lidar com as crianças nesses assuntos. É importante que os pais e as crianças criem mais consciência em relação aos assuntos abordados pela cartilha. As chances de se tornaram adultos cheios de dívidas e dominados pelo consumismo é menor.

    Raianny Paiva - LBA

    ResponderExcluir
  39. Eu acho a cartilha excelente. Traz o informativo e já conscientiza as crianças. Talvez deveria ter uma linguagem mais adequada para as crianças se identificarem. Talvez mais imagens e textos mais enxutos.

    Igor Ritter
    LBB - Noite

    ResponderExcluir
  40. Gustavo Henrique de Almeida Ferreira - LBB Noite

    A ideia da cartilha é ótima. O conteúdo é bem completo. Senti falta de mais ilustrações/imagens. Por ser direcionado para o público infantil existe muito texto e isso pode torná-la inutilizável. Acredito que a leitura infantil deve ser estimulada com mais figuras pra poder melhorar o entendimento do conteúdo.

    ResponderExcluir
  41. Achei a ideia da cartilha uma boa! Além de ser um ótimo material de apoio para adultos que ainda carecem de informações desse tipo ou aos que queiram educar e ensinar seus filhos sobre o assunto. No entanto, acredito que para surtir o efeito esperado de conscientização infantil acerca do consumo e economia, o material deve ser mais divulgado e melhor aproveitado. Seja nas escolas ou em qualquer outro meio em que esse público esteja inserido. Apesar da boa diagramação, linguagem simples do texto e utilização de muitas cores, eu senti falta de mais imagens e de algo que estabeleça uma interação com o público. Talvez apostar em um material de apoio como um aplicativo, por exemplo, que permita com que as crianças pratiquem e exerçam o conteúdo do material publicado. Muitos adultos ainda falham em termos de economia e consumo porque não têm conhecimento sobre o assunto e acabam se endividando ou consumindo produtos de forma errada. Essa cartilha é um pontapé inicial para mudar essa realidade, e tentar, ao menos, amenizar esses erros constantes que vemos por aí.

    Karine Fernandes - LBA

    ResponderExcluir
  42. Achei uma ótima iniciativa criarem essa cartilha orientando e conscientizando ás criança, isso mostra que as crianças não têm maturidade suficiente para se proteger da persuasão exercida pela publicidade, sendo facilmente seduzidas para o consumo. Na minha opinião os pais tem um papel fundamental no quesito de orientarem no que se refere ao consumismo, para que assim elas cresçam tendo opinião própria e senso critico perante as publicidades que são impostas a ela.

    Karina Vieira Silva LBB

    ResponderExcluir
  43. Dayanne Cassimiro Elias25 de outubro de 2016 18:03

    A cartilha é de fato interessante, pois orienta detalhadamente para as crianças os seus direitos, destacando diferentes aspectos. Ao mesmo tempo que é ilustrativa, informa de uma forma direta os caminhos mais assertivos que precisam ser tomados para solucionar determinadas situações.

    Um ponto que acho que seria interessante mudar é a linguagem, pois, muitas das vezes (no inicio da cartilha) a linguagem é muito adulta e acredito que isso possa dificultar na compreensão dos textos para algumas crianças.

    Dayanne Cassimiro Elias LBB Noite

    ResponderExcluir
  44. Bruno Eustáquio Rocha Sena - LBA NOITE

    O Guia do CDC Mirim foi uma ótima sacada para que as crianças sejam conscientizadas desde cedo. Sua abordagem didática, a fácil leitura, é uma ótima forma de educar as crianças quanto a sua educação financeira. É claro que o guia ajuda bastante, mas também é papel da família trabalhar todos esses temas dentro de casa. Com isso, ganhamos cidadãos mais conscientes e mais críticos diante todo bombardeio publicitário que somos expostos.

    ResponderExcluir
  45. Reginaldo Maia - 31417163 - LBA

    O mundo de hoje está cada vez mais precoce, assuntos que antigamente eram somente introduzidos em uma fase em que a pessoa já tinha atingido uma certa maturidade hoje são tratados cada vez mais cedo. O consumismo contribui fortemente para que isso seja cada vez mais presente, onde, como vimos no texto, crianças são ensinadas a terem a noção de como consumir adequadamente.

    ResponderExcluir
  46. Thamer B. Ferreira LBA 31511214326 de outubro de 2016 05:23

    O intuito da cartilha é interessante partindo do ponto de que ajuda a educar as crianças para um mercado de publicidade extremamente ativo e competitivo, porém ao mesmo tempo, pode confundir o ensinamento das crianças, pois é básico e pouco prático. Particularmente este ensinamento deveria ser empregado em escolas e não por uma cartilha enxuta de conteúdo. E por um outro ponto negativo, para aqueles que não possuem, por exemplo uma mesada, ler sobre isso pode levar a um possível gatilho de depressão ou tristeza. Passível de aprimorar e discutir melhor como funciona tal informação.

    ResponderExcluir
  47. Achei interessante o intuito da cartilha uma vez que quando trabalhamos essa questão de consumo desde a infância você se torna um adulto bem mais informado. Dou como exemplo eu mesma que quando pequena queria várias coisas e não tinha ao crescer sempre usei a desculpa que: Eu agora posso ter, e muitas vezes comprava coisas sem necessidade.

    Mas por outro lado vejo a cartilha com conteúdo demais para pequenas crianças, gosto muito da ideia mas se for trabalhada de uma forma mais dinâmica seria melhor.

    Janaina Souza LBA

    ResponderExcluir
  48. A cartilha trás uma proposta muito válida. Obviamente que quando cria se um dialogo para criança é necessário que se utilize o lúdico para melhor compreensão, talvez tenha ficado devendo um pouco nisso, acredito que o excesso de conteúdo também poder ser um pouco enfadonho, mas o objetivo principal sendo bem aplicado de forma coerente agregará muito na formação do futuro consumidor.
    Núbia Ribeiro LBB Noite

    ResponderExcluir
  49. O conteúdo da cartilha é extremamente válido, partindo do suposto que quando mais cedo educarmos as crianças e ensinarmos sobre consumismo, mais rápido teremos adultos bem informados e menos compulsivos em relação ao consumo. Porem acredito que esta cartilha não está tão convidativa para crianças, a ponto de chamar a atenção delas. Menos textos e mais ilustrações seria uma ótima opção.

    Luiza Pantuzza - LBB

    ResponderExcluir
  50. O conteúdo da cartilha é extremamente válido, partindo do suposto que quando mais cedo educarmos as crianças e ensinarmos sobre consumismo, mais rápido teremos adultos bem informados e menos compulsivos em relação ao consumo. Porem acredito que esta cartilha não está tão convidativa para crianças, a ponto de chamar a atenção delas. Menos textos e mais ilustrações seria uma ótima opção.

    Luiza Pantuzza - LBB

    ResponderExcluir
  51. Muito boa a ideia, mais uma forma de educar as crianças e ensina-las a crescer e economizar com responsabilidade, comprar com moderação e ensinando o que comprar, aprendendo isso desde cedo, só vai trazer bens futuros para o mesmo e para sua familia, sobre a cartilha, para crianças acho que está com o conteúdo muito extenso, poderia ser um pouco mais curto, mas como eu disse a ideia é ótima.

    Gracielle Oliveira LBB - noite

    ResponderExcluir
  52. A iniciativa dessa cartilha parece uma ação muito boa, tentando formar um consumidor consciente desde cedo. Mas por outro lado não sei se essa cartilha seria um modo de estimular o consumo das crianças desde cedo, além das propagandas existentes voltadas para esse publico. Mas ai cabe o modo como os pais irão aplicar em seus filhos os ensinamentos descritos na cartilha. Sendo que a cartilha por si só não irá construir um jovem consumidor consciente. E como qualquer ferramenta sem instrução, ela se torna inútil. Então alem de repassar essa cartilha para as crianças, deveria ter uma formação para os pais para instruir as crianças, já que são os primeiros formadores das crianças e que executores da compra.

    ResponderExcluir
  53. Achei super interessante a ideia do Guia CDC Mirim, os assuntos são super pertinentes e acredito que vai se de grande ajuda para instruir as crianças de hoje. Mais uma forma de educar as crianças, que se for usada de forma correta vai ser de grande proveito.
    Danielle Cristina - LBA Noite

    ResponderExcluir
  54. Este Guia é educativo quando se trata de ensinar a criança em como se deve gastar seu dinheiro ou economizá-lo, mas dependendo da base que está criança tiver, ela poderá entender que é um dever consumir..
    Vivian Alvim Coutinho
    Turma 6º - noite.

    ResponderExcluir
  55. Acho extremamente importante a educação financeira começar desde cedo. Como discutido em sala, aprender os conceitos básicos evita a criação de consumidos impulsivos e "inconscientes". A ideia do Guia do CDC Mirim é ótima para dar um pontapé inicial nesses conhecimentos quando ainda pequeno. Porém, ela pode ser mais bem trabalhada. Pela linguagem utilizada, a criança já deveria ter aproximadamente 12 anos para entender muitos dos conceitos, e acredito que esse ensinamento poderia começar desde antes, mesmo que de forma mais superficial. Vejo o Guia Mirim, na forma em que está atualmente, como uma ótima base para os professores ensinarem aos pequenos de forma mais simplificada. Além disso, os textos muito longos podem não ser atrativos para as crianças, que ainda são ligadas às figuras. Portanto, acho importante fazer uma versão mais simplificada do Guia e, para que a educação financeira fosse ideal, deveria ser inclusa nos currículos escolares.

    ResponderExcluir
  56. Ser sincera com as crianças com todos os temas já faz uma mega diferença na formação de caráter de cada jovem. Compartilhar com as crianças sobre a educação financeira de modo divertido e educativo para elas faz mais do que bem, porque desde cedo a criança aprende a ter responsabilidades e entendem mais as necessidades de casa e dos pais na hora de consumir alguma coisa. Essa educação acaba evitando o a vontade insaciável de consumo infantil e conscientiza as crianças de que a infância/felicidade delas está muito além de um produto.

    Bruna Doti - LBB - Noite

    ResponderExcluir
  57. Acho que no mundo capitalista a qual vivemos é de extrema importância educar as crianças em relação ao consumo, só assim trabalhando o assunto desde cedo, teremos adultos mais responsaveis e conscientizados. A cartilha pra mim está de parabéns, aborda temas relevantes e é de facil entendimento.

    ResponderExcluir
  58. A ideia da cartilha é muito boa ! Acredito que é uma boa forma para instruir as crianças e os pais no geral. Porém penso que esses ensinamentos devem vir de todos os lados, da escola, de casa, do dia a dia... A cartilha foi uma ótima ferramenta utilizada, porém como no mundo de hoje até a leitura está escassa, eu sugeria uma nova ferramenta que teria mais interatividade e que gerasse um interesse maior pelas crianças. No mais, a cartilha veio com uma boa intenção que é alertar sobre o consumo consciente desde a infância para que isso não gere um problema no futuro, acho muito válido.

    Gabriella Camila - LBB/Noite

    ResponderExcluir
  59. A iniciativa da cartilha é incível. o CDC Mirim é uma ótima forma de educar os jovens quanto ao consumismo. Os temas são relevantes e as informações são bem explicadas, de forma a levar o real conhecimento para as crianças. é preciso formar a mente consciente desde cedo, uma vez que o consumismo é inevitável.

    Sofia Cury - LBA - noite

    ResponderExcluir
  60. Larissa Rodrigues LBB Noite3 de novembro de 2016 17:42

    Como todos sabemos o que mais falta no Brasil é a entrega do conhecimento ao jovem, essa cartilha é muito importante pois é na infância que aprendemos mais e absorvemos mais as informações, e é de muita valia apresentar noções de um consumo consciente para a criança auxiliando a uma vida financeira mais consciente, podendo assim fazer com que seu futuro seja mais tranquilo e estável.

    ResponderExcluir
  61. Alex Sander Júnior3 de novembro de 2016 20:08

    A proposta da cartilha é uma ótima ideia para a criança se conscientizar e se tornar um adulto mais controlado com seus gastos e ansiedades.
    Apesar de que a cartilha poderia ter uma linguagem mais jovem e simples, utilizando métodos que chamem a atenção da criança, já que é voltada a esse público.
    Mas com certeza esse é um importante passo para uma sociedade adulta mais estável e menos consumista.

    Alex Sander - LBB Noite

    ResponderExcluir
  62. A cartilha tem uma ótima finalidade, ainda mais nos dias de hoje onde pessoas defendem e sugerem que educação financeira deveria fazer parte da grade escolar das pessoas desde a infância, ensinando como administrar seus ganhos.
    Tentar ensinar isso enquanto as pessoas são mais jovens é mais fácil e aproveitável, tendo em vista que elas ainda não foram tão "corrompidas" pelo espírito do capitalismo e tem mais chance de usar o aprendizado da cartilha no seu dia-a-dia.

    Gabriel - LBA noite

    ResponderExcluir
  63. Eu concordo com a cartilha. Vivemos em um mundo onde o consumo é priorizado e as relações são colocadas em segundo plano. Quando bombardeada por propagandas, a criança aprender que a maneira que ela deve existir no mundo é consumindo. Ela aprende que ela só existe, só tem algum valor, à partir do momento em que ela consome o produto x, ou age da maneira x. Esse é o poder da mídia na nossa sociedade.

    Felipe Leal - LBB Noite

    ResponderExcluir
  64. Acho que poderia chamar mais a atenção, com cores mais vibrantes e um desenho mais chamativo, particularmente eu achei a cartilha muito formal para ser mirim. De uma certa forma crianças se atraem mais por coisas mais coloridas e divertidas e também pode ser um papel mais trabalhado, com cortes e efeitos.
    Rafael Mártir LBB noite

    ResponderExcluir
  65. Crianças gostam de cores mais vivas e mais divertidas, por isso acho que deveria ter mais alegria nas cores,esta faltando um pouco de alegria para chamar atenção da criançada.

    FELIPE DE SOUZA SODRE MENDES LBB NOITE

    ResponderExcluir
  66. Tudo que é bem usado para educar é bem vindo.
    Uma ótima ideia para que as crianças conheçam e se desenvolvam com o consumismo, crescendo e mantendo hábitos saudáveis de consumismo.

    ResponderExcluir
  67. Acho muito bom usar uma cartilha voltada para o público infantil, para que desde pequenos saibam economizar é não se tornarem adultos consumistas que antes mesmo de receber seu salário já está com dívidas, se torna um adulti responsável e controlado.

    Kathleen Thaís Ferreira - LBB NOITE

    ResponderExcluir
  68. As crianças precisam conhecer o mundo desde pequenas, saber como gastar, o que fazer, "certo e errado". Educar crianças financeiramente é uma excelente forma de evitar adultos descontrolados.

    Amanda Silva Antunes - LBB

    ResponderExcluir
  69. Os métodos de consumo são desde cedo aplicado a crianças, ou seja, não tem idade para ser consumidor e alvo de determinados produtos, o quanto antes trabalharmos isso na cabeça das crianças teremos consumidores conscientes e responsaveis.

    Kelly Taynara
    LBB Noite

    ResponderExcluir
  70. Enxergo um lado positivo e um lado negativo, levando a ideia em consideração. O consumismo é incentivado desde que nascemos, atingindo tanto as crianças, quanto os pais. A ideia de conscientizar e educar as crianças com formas de consumo é algo extremamente importante. Isso envolve questões grandes, como a preservação do meio ambiente e até mesmo uma vida saudável.
    Porém, não enxerguei facilidade na leitura da cartilha em questão. Além de textos carregados de informação, a linguagem deveria ser mais simplificada. Utilizar algumas palavras de fácil interpretação e elementos infantis não faz a cartilha 100% adaptável a crianças. E por ser um assunto delicado e confuso, deveria ser retrabalhada a ideia.

    Não sei se posso afirmar que uma cartilha seria a melhor opção nos dias de hoje. Pensar numa forma de interferir na publicidade infantil, contrapondo ao que é passo (de forma grotesca, geralmente), talvez seria muito mais eficiente e desgastante a criança.

    ResponderExcluir
  71. A cartilha é uma ideia maravilhosa, pois como a mídia vem influenciando o dia-a-dia de todos é uma ótima ferramenta para abrir os olhos e educar crianças com relação ao consumo e também aos seus direitos.

    Roberta Rocha - LBB

    ResponderExcluir
  72. Gabriela Gomes LBA 31412270
    Um Guia do CDC Mirim é algo bem inovador e necessários nos dias de hoje.
    No entanto acho que antes de apresentar este para seus filhos, acredito que você deva ler (ou reler) o CDC, pois é aquela velha histórica de “os pais devem dar exemplo”.
    Realmente acredito que a publicidade infantil está muito agressiva e os impactado (vulgo crianças) precisam ser supervisionadas e direcionadas para um melhor e saudável consumo.
    Opinião final: Nada vai adiantar um CDC Mirim sem uma supervisão adulta, mas acredito que seja uma excelente maneira se criar consumidores conscientes.

    ResponderExcluir
  73. Achei a cartilha uma excelente iniciativa, pois é desde cedo que precisamos aprender bons hábitos de consumo. Sem este tipo de educação, só estaremos reproduzindo os mesmos costumes e cada vez mais se direcionando ao consumo inconsciente e exagerado. Acho também que o acompanhamento de um adulto é imprescindível na criação destes valores durante o crescimento da criança/jovem, pois eles estão cada vez mais expostos ao consumismo.

    ResponderExcluir
  74. A quantidade de informações é muito boa, mas acho que nao envolva a criança (se a cartilha for realmente voltado para o publico adulto).
    Eu sugiro que tenha mais imagens, infograficos e coisas mais envolventes e interativas.

    ResponderExcluir
  75. A cartilha é uma ideia bem válida, creio que depois de uma certa idade, já é bom começar conscientizar as crianças de gastos financeiros. Mostrar o que é possível ter e o que é desnecessário, assim possivelmente, evita futuros adolescente que acham que podem ter tudo o que querem e se acharem superiores por isso. Porém acho deveria ser tratada de forma mais dinâmica voltada para as crianças.

    Jéssica Rodrigues - LBA

    ResponderExcluir
  76. São extremamente válidas as ações que buscam educar as crianças no que se refere a consumo. A atual geração de crianças apresenta forte inclinação ao consumo desenfreado, causado pelo excesso de estímulos publicitários e de oferta de produtos. Tal comportamento também é incentivado pelos rumos que têm tomado a educação familiar de pais mais ausentes, que incentiva o comportamento baseado na condição "ter algo em troca". As crianças são mais vulneráveis ao consumo, são alvos fáceis. Além de conscientizá-las sobre o valor do trabalho, do dinheiro e do orçamento dos pais, é também necessário incentivá-las a se tornarem cidadãs mais conscientes, construtoras de uma sociedade menos materialista, imprudente e destrutiva.

    Carolina Vaz de Mello - PUB3BN - LBB

    ResponderExcluir
  77. A ideia da cartilha é interessante, o publico infantil é grande e precisa ser levado em conta, apesar do dinheiro não sair diretamente do bolso deles, muitas das decisões de compra são as próprias crianças que tomam. Sendo assim o quanto antes elas forem educadas a respeito de finanças e planejamento financeiro mais organizadas serão quando adultos.

    Douglas Rodrigues Fernandes LBB - Noite

    ResponderExcluir
  78. Cecília de Paula Cândido26 de novembro de 2016 06:07

    Particularmente, adorei a ideia inicial. O texto de introdução do blog me fez ver que é importante não apenas os pais mas as instituições educarem as crianças. Educação é sempre o melhor caminho.
    Porém, a cartilha está horrível. Crianças que querem brincar, encontrar amigos, fazer coisas legais. E a cartilha não está nem de longe como algo atrativo para elas. Muito conteúdo escrito, muita informação que, nessa idade não é importante. A cartilha foi feita na intenção de educar crianças mas não se foi pensado na atratividade para que elas tenham interesse em ler. Afinal, qual importância isso tem na vida delas?
    Continuo acreditando no projeto de educação do consumo infantil da CDC. Mas acho que é necessário fazer um trabalho do qual despertaria interesse das crianças, com mais imagens, por exemplo. Textos mais enxutos. Destaque para informações relevantes. E conteúdo que realmente seja importante para elas, para que seja absorvido, compreendido por elas.
    Entretanto, não exumo a importância da educação dentro de casa e de uma publicidade mais responsável e ética.

    Cecília de Paula Cândido - LBA/Noite

    ResponderExcluir
  79. O conteúdo é bem relevante e serve de grande ajuda para as crianças, aprimorando o conhecimento para o futuro da mesma.
    Também apresenta muitos detalhes e o livro é bem resumido, então a criança vai se interessar se for levar em conta o "tamanho".
    Um aprimoramento legal para o livro é adição de desenhos mais bem bolados e relacionado ao o que a criançada gosta, dando até mesmo referência de desenhos.

    Nilo Magno - LBB/Noite

    ResponderExcluir
  80. Otima iniciativa pois dai as crianças poderiam aprender mais sobre consumo e ajuda a elas a se torarem pessoas com melhor comportamento consumista.
    Raphael Pereira LBB NOITE

    ResponderExcluir
  81. Uma campanha extremamente pontual e necessária para as crianças, que estão sendo inseridas cada vez mais precocemente no mercado de consumo. Uma forma esclarecedora e didática de se abordar o comportamento consumista.

    Caio Braga - LBA

    ResponderExcluir
  82. Já que a criança desde pequena é inserida no contexto do consumismo, uma ação dessa é o minimo de amparo pra um problema muito grave em que os adultos já deveriam estar despertando em vez de viverem e ensinarem essa realidade escrota.

    Thiago Santos LBB

    ResponderExcluir
  83. A CARTILHA É DIDÁTICA E ATINGE BEM O PÚBLICO ALVO DELA. CONTÉM TEXTOS BEM EXPLICATIVOS QUE AJUDA SIM AS CRIANÇAS A ENTENDER SOBRE O ASSUNTO. ALÉM DE CONTER ASSUNTOS QUE MUITOS PAIS NÃO SABEM EXPLICAR E QUE MUITOS NÃO SABEM PARA SE MESMO.É UMA IDEIA CRIATIVA DE ABORDAR ESSE ASSUNTO COM AS CRIANÇAS, MAS SERÁ QUE ESTA NA HORA DISSO, E A INOCÊNCIA DELAS, O DESEJO DE TER TAL COISA?
    DANILO RODRIGUES DO NASCIMENTO, LBB

    ResponderExcluir
  84. Num primeiro momento, o título da matéria causa um certo impacto e espanto, a primeira impressão é que estão induzindo as crianças a se tornarem compradores, mas quando se lê o texto e visualiza a cartilha, toda a impressão negativa é revertida em satisfação, uma vez que a atitude de informar e conscientizar as crianças a se proteger e se preparar para o mercado que muitas vezes é bem cruel, é uma ótima forma de educar e criar mentes conscientes, na questão mercadológica.

    ResponderExcluir
  85. A cartilha demonstra o quanto a publicidade pode influenciar os valores de uma criança e tenta evitar com que a mesma se torne um adulto preocupado em viver nos padrões que a sociedade e o capitalismo impõe,além de ter o intuito de reeducar e proteger as mentes para se prepararem para a vida no quesito mercado e comenta também sobre os motivos para não se endividar.

    Talita Honorato LBA Noite

    ResponderExcluir
  86. Acho relevante a educação de consumo, aplicar a realidade no meio infantil é algo extremamente importante. Entretanto acredito que para que isso seja feito da forma correta é preciso um apelo bem lúdico. O que pode induzir a criança a aprender e compartilhar com outras crianças e adultos. A cartilha, na minha opinião atende bem a esses pontos, aborda temas relevantes e é de facil entendimento.

    Bárbara Rodrigues LBA NOITE

    ResponderExcluir
  87. Ana Gabriela - Lba
    Uma otima ideia, como queria ter lido isso quando mais nova.
    Ensinar as crianças desde cedo o valor do dinheiro, faz com que pensem mais antes de fazer uma compra sem necessidade.
    A cartilha ilustrada vai ser um meio divertido de ensinar os pequenos a se controlarem quando forem mais velhos

    ResponderExcluir
  88. Carlos Bonomi - LBB Noite1 de dezembro de 2016 18:19

    A criação de um guia que ensina as crianças a consumirem de maneira correta, é de fato uma excelente ideia. Entretanto há muitas modificações, para serem feitas levando em consideração o cenário tecnológico em que elas estão inseridas. A interatividade e a presença de conteúdos rápidos e diretos, são fatores ausentes na cartilha, que podem ser determinantes para a pouca aceitação da mesma.

    Carlos Bonomi - LBB Noite

    ResponderExcluir
  89. É uma ótima iniciativa ensinar as crianças o código de defesa do consumidor, para que cresçam conscientes.
    As modificações que eu faria, é primeiramente tornar o material mais leve no sentido de mais imagens, pontos mais objetivos, interação de alguma forma (se possível). Isso tornaria a cartilha mais chamativa para crianças e faria com que aprendessem e entendessem mais.

    ResponderExcluir
  90. A cartilha é uma ótima ideia, pois como a mídia vem influenciando a vida eo cotidiano das pessoas é uma ótima ferramenta para abrir os olhos e educar crianças com relação ao consumo e também aos seus direitos.

    Antônio Vinicius do Carmo
    RA:314115817
    LBB

    ResponderExcluir
  91. Fernando Ribeiro - LBB noite

    O lançamento desta cartilha é algo sensacional, pois com certeza diversas crianças já são expostas ao consumismo desacerbado. Fazer com que eles tenham acesso a este tipo de material desde muito cedo é muito importante para que eles já tenham a formação de uma ideia mais positiva com relação ao consumismo.

    ResponderExcluir