segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Os desafios da segunda plasticidade cerebral

Resultado de imagem para passagem da adolescencia para a juventude
O filme 'Divergente' é considerado como uma metáfora desta época da vida

Por Lino de Macedo - Revista Nova Escola - Setembro 2016

Muito se fala da importância da primeira infância e da estimulação para o desenvolvimento sensório-motor e cognitivo da criança. De fato, nesse momento da vida, o cérebro tem maior plasticidade, ou seja, alto índice de criação de sinapses (conexões entre as células), o que interfere diretamente na capacidade que ela terá de aprender. O cientista suíço Jean Piaget (1896-1980) valorizava imensamente essa etapa. Mas também atribui ao período que vai dos 12 aos 20 anos de idade a última e mais sofisticada etapa de desenvolvimento, o das operações formais. É que nessa época amadurece o córtex pré-frontal, área cerebral em que se processam as funções executivas, que são habilidades cognitivas, afetivas e sociais necessárias para a vida adulta, como controlar emoções, se relacionar e tomar decisões.

O momento é complexo para o que passam por ele e também para quem acompanha essa passagem. São cinco os principais desafios enfrentados pelos jovens e que nós, adultos, devemos ficar atentos para auxiliá-los a superá-los.

1. A ESCOLA. Até o 5o. ano do Ensino Fundamental, a criança conta com um professor principal que orienta suas atividades.  A partir do 6o. ano, ela já não tem mais essa estrutura externa que o guia o tempo todo. Tem que aprender a ser gestora de sua própria vida escola. Espera-se que cuide de si mesma e de seu tempo e que saiba administrar os vários docentes e obrigações como lições de cada, estudos, provas e anotações das aulas.

2. A VIVÊNCIA EM FAMÍLIA. O sujeito ganha responsabilidades em casa, como arrumar a cama, cuidar do irmão e ir e volta da escola sozinho. Já não é tratado como criança e os pais deixam de ser as únicas figuras importantes para ele.

3. A VIDA SOCIAL. Os amigos adquirem grande valor. Há o desafio de fazer amizades e mantê-las, de se relacionar. Compartilhar confidências e opiniões com os pares, desabafar sobre problemas e falar sobre desejos são rotina.

4. O INTERIOR. Nessa fase, é problemático gerenciar sentimentos como a culpa e descobrir a sexualidade; ser você e também alguém participante ativo de uma sociedade; moderar a tendência à impulsividade ao mesmo tempo que se tem a necessidade de experimentar coisas novas; aprender a fazer escolhas e ir além das regras impostas, mas estabelecendo e respeitando limites. Não à toa, muitos se iniciam no uso de drogas e bebidas.

5. O FUTURO. Ele é o grande mistério. Momento de decidir que profissão seguir, de perseguir sonhos, de optar por continuar como está ou fazer tudo diferente, experimentar ou reprimir.

Nessa travessia dos jovens para a fase adulta, não podemos ser indiferentes ou omissos. Principalmente, não se dá para sermos os últimos a saber o que se passa com eles. Dialogar, orientar, respeitar, observar e dar alternativas às suas ações e ideias faz parte de nossa responsabilidade para com os que se preparam para ser como nós ou, quem sabe, melhores do que somos.

Pessoal, invistam alguns instantes para pensarem em vocês, para analisarem seus comportamentos recentes e perceberem em que momento desta travessia para a fase adulta vocês se encontram (revejam os cinco desafios). Mas não precisa responder aqui, apenas para si mesmo. Nos comentários deste post o que precisamos escrever é em que acreditam que essa travessia afeta no consumo dos jovens e na consolidação de seus hábitos de consumo quando maduros.

94 comentários:

  1. Como comentamos em sala na ultima aula, esses conflitos da transição entre a infância e a vida adulta, as responsabilidades que assumimos, e as escolhas que devemos fazer nos tornam ansiosos. Cada um lida com a ansiedade de uma forma, alguns podem comer, comprar coisas por impulso, etc. essas formar de lidar com essa ansiedade que nos levam ao consumo, são como uma "válvula de escape" algo que usamos para amenizar inconscientemente a ansiedade para poder tomar a decisão necessária.

    João Pedro Ferreira - LBA - Noite.

    ResponderExcluir
  2. Acredito que essas fases da vida de uma pessoa devem ser muito bem vividas e identificadas, ao passar de cada fase devemos nos certificar que tudo que tínhamos que "resolver" em determinada época foi resolvido, para depois não ficarmos presos a uma coisa que já se tornou passado. Nossos hábitos de consumos quando maduros se da muito pelo que passamos nas outras fases de nossa vida. Um adulto compulsivo,provavelmente teve algum problema mal resolvido no passado e assim cresce e muitas vezes não sabe resolver seus próprios problemas, que não consegue encarar as dificuldades do dia a dia e acaba descontando essas frustrações em alguma outra coisa.
    Camila Gosling LBA

    ResponderExcluir
  3. Acho que o consumo quando jovem vai muito do que ele vê em casa e em outros ambientes, pode criar uma ansiedade que ele não consiga lidar, assim ficando muito confuso com o que o cerca. Ele pode chegar na fase madura sendo um consumidor exagerado ou mais prático.

    LBB - Noite

    ResponderExcluir
  4. Fábio P. Chehayeb - LBA

    Passamos por um momento de criação de identidade, onde nossos gostos estão em transição, e nossa insegurança de mudar de fase nos torna ansiosos e influencia diretamente no momento de compra, deixando claro que ainda não somos adultos e que não deixamos de ser crianças, alimentando a ansiedade e a confusão da transição, mas com o tempo nos adaptamos a fase madura e conseguimos consumir um pouco mais consciente, como foi dito em sala de aula, consumimos uma determinada coisa de criança, sabendo que é de criança mas consumimos somente pelo fato de nos trazer lembranças, afetos ou sensações boas, sem deixar a maturidade a desejar, sendo reflexo de algum trauma em quanto era menor.

    ResponderExcluir
  5. Não é de se espantar que somos tão ansiosos, a transição de uma fase da vida para outra colabora muito com isso, são muitas responsabilidades e obrigações de escolha. Para muitos, inclusive para mim, uma forma de aliviar as tensões do mundo adulto é através das compras. Dia ruim? Compra um sapato que resolve. E por aí vai... No principio era um problema, porque era compulsivo. Hoje é contralado e quase uma terapia. Mas pra quem está entrando nesse mundo, é muito complicado saber diferenciar o ‘eu quero’ do ‘eu preciso’ e isso pode gerar adultos desequilibrados financeiramente. Talvez o importante seja deixar que, desde criança, as pessoas já participem de decisões de consumo para que, mais tarde, elas possam determinar suas próprias compras sem que isso traga problemas na vida adulta.

    Raianny Paiva - LBA

    ResponderExcluir
  6. Nós passamos por diversas fazes na vida, cada uma delas afetando nos de uma forma. Por tando defenindo como agimos tanto para o bem quanto para o mau, referindo se ao consumo. acredito que devemos viver plenamente cada uma dessas fazes e olhando internamente para nós mesmos, para que possamos avaliar de forma bem acertiva, para amenizar os efeitos que podemos sofrer tanto para o consumo quanto para a vida em si.

    ResponderExcluir
  7. Thamer B. Ferreira 315112143 LBA4 de outubro de 2016 16:27

    Cada uma das fases apresenta uma possibilidade de estímulo para o indivíduo, criando parte de seu comportamento tanto como pessoa como consumidor.

    Para tanto, em cada uma das fases temos as seguintes consequências:
    1 - A Escola, uma vez que é uma fase de maior desenvolvimento, digamos que talvez a mais longa, o indivíduo pode gerar dependências e se tornar mais ou menos retraído, dependendo da sua capacidade com os demais, em quesito de entendimento e aplicação dos conhecimentos, gerando talvez o consumo (de aulas de reforço, acompanhamentos, mais materiais para entendimento e afins, ou o oposto, na procura de mais informações e afins, investindo em conhecimentos para seus gostos iniciais)

    2 - A vivência em família pode gerar duas situações também, pois ela está diretamente ligada ao início de uma responsabilidade maior, como gestor, aprendendo a gerenciar responsabilidades e gastos, podendo dar indícios de pessoas que podem ou não ser mais ou menos controladas em relação aos gastos pessoais, futuramente.

    3 - A vida social pode influenciar no quesito do que será consumido, uma vez que o ciclo de amizades passará a definir ou criar a tendência em grande parte do que será ou não consumido pelo indivíduo.

    4 - Na fase do interior, existe um estimulo muito utilizado, que pode ou não tornar a pessoa impulsiva por consumo, não necessariamente a compulsão por compra, mas do consumo de determinado produto (drogas lícitas ou não, jogos, produtos para a estima como maquiagens, academia, esportes, enfim), tendendo a ser um excelente momento de comércio para o mercado, pois há uma gama gigantesca a ser ofertada para o indivíduo, gerando um aquecimento excessivo, podendo deixar até mesmo perdido em relação ao que pode, quer e deve consumir. A famosa ansiedade de consumo.

    5 - O futuro trabalhará mais no quesito da incerteza e da busca por afirmações e segurança. Sendo talvez um divisor do segundo ponto, pois aqueles que se demonstraram anteriormente como bons gestores, terão uma definição melhor de gastos e perfil para como consumir futuramente, enquanto os demais se manterão afetados pelo quarto ponto em grande parte, tendendo a ser uma boa oferta de produtos no indivíduo.

    ResponderExcluir
  8. E bem particular cada fase de vida de cada indivíduo,pode até ter algo em comum como exemplo de algo que passou de semelhança mas pode ter certeza o resultado pode ser o mesmo, mas o processo e bem diferente até chegar na fase adulta.Como foi sempre dito nas salas de aulas o comportamento e reflexo do passado da sua infância e reflete na vida adulta.

    ResponderExcluir
  9. como debatemos em sala os conflitos causados pelas transições da vida nos torna ansiosos pelas responsabilidades e obrigações que nós são dadas a cada etapa, responsabilidades essas que apenas crescem com o decorrer do tempo. O modo mais comum no mundo capitalista que vivemos para aliviar esse estresse é através do consumo de diversos produtos, como compra de roupas, sapatos, comidas e festas. Isso tem se tornado uma compulsão em varios casos, o que acaba por fazer mal a vida do individuo.
    Anna Carolynne - LBA

    ResponderExcluir
  10. A ansiedade nada mais é do que o resultado de todos os conflitos que surgem durante a transição entre a infância e a vida adulta. E como foi esclarecido em sala, cada um trabalha e canaliza a ansiedade de diferentes formas. O poder de consumo, principalmente, é um fator chave, por chegarmos num nível de vida que EXIGE que tomemos escolhas - vindo com elas, a responsabilidade.

    ResponderExcluir
  11. Na fase do Interior, as possibilidades de consumo são extensas. Como existem conflitos internos sobre seus sentimentos, gostos, desejos, etc., várias opções de consumo são levadas em consideração.

    Um exemplo: uma pessoa que está nessa fase, e deseja participar de um grupo urbano, consome diferentes produtos em busca da sua identidade. Ela pode adquirir roupas góticas, ou roupas mais cleans. Podem ser consumidos locais de encontro que tocam determinados tipos de música, ou teatros, que são mais tranquilos. Até mesmo o que foi discutido em sala entra nessa fase: a indecisão entre querer resgatar sua infância, com adereços ou peças de roupas infantis, ou se portar como um adulto.

    Toda essa indecisão, que traz inúmeras experimentações, leva a um consumismo acelerado e, muita das vezes, exagerado.

    ResponderExcluir
  12. Além da ansiedade que é gerada nessa transição também são gerados desejos, além das necessidades básicas, quando uma pessoa está em formação de criança para adulto, ela irá precisar se alimentar e coisas do tipo, onde entram as necessidades básicas e depois disso jà suprido ele irá consumir pelos seus desejos, onde jovens vão comprar roupas para se sentirem mais descolados e fazer coisas para se mostrar para os outros, portanto durante o periodo de transição pode se ter todo tipo de consumo, é necessário saber em qual fase se consume determinado serviço ou produto, podendo fazer disso um ótimo negócio.

    Dárcio Júnior - LBB

    ResponderExcluir
  13. Além da ansiedade que é gerada nessa transição também são gerados desejos, além das necessidades básicas, quando uma pessoa está em formação de criança para adulto, ela irá precisar se alimentar e coisas do tipo, onde entram as necessidades básicas e depois disso jà suprido ele irá consumir pelos seus desejos, onde jovens vão comprar roupas para se sentirem mais descolados e fazer coisas para se mostrar para os outros, portanto durante o periodo de transição pode se ter todo tipo de consumo, é necessário saber em qual fase se consume determinado serviço ou produto, podendo fazer disso um ótimo negócio.

    Dárcio Júnior - LBB

    ResponderExcluir
  14. Sâmara Paz da Silva (LBA)5 de outubro de 2016 06:08

    Muito embora possa-se enumerar as "crises", todo o processo é muito fluido e muitas vezes simultâneo. O que acontece, na prática, é que o mundo vai nos entregando pacotes de responsabilidade que no fundo não temos a mínima ideia do que fazer com aquilo. Vamos aceitando, porque não temos outra opção mesmo e temos que aprender a lidar com todo o universo. Junto das novas responsabildiades, vamos ganhando possibilidades e "voz". Passamos a escolher cada vez mais o que queremos ou não para nós mesmos (quer seja o sucesso estudando muito na 5ª séria, quer seja comprando uma mini-saia lurex). Diante da infinidade de possibilidades que o mercado nos oferece e com todo o nosso despreparo, tendemos a querer sempre tudo. Se não por gosto, pelo menos pelo sentido de conhecimento. Em fase de muita responsabilidade e nenhuma certeza (crise essa que acho que nunca termine) podemos utilizar o consumo como válvula de escape. A inútil sensação de que "no meu consumo, mando eu". Somos uma nação de obrigações e incertezas, um prato cheio para o consumo!

    ResponderExcluir
  15. Afeta diretamente no consumo, cada vez que passamos por cada uma dessas fases precisamos de novas necessidades de consumo, por exemplo na parte da Vida social temos a necessidade de se entrosar isso acarreta em consumos para entrar dentro de um padrão, um estilo de roupa ou de vida, como se trata de períodos incertos e transitórios o consumo se torna cada vez mais alto.

    ResponderExcluir
  16. Gabriela Gomes LBA 31412270
    Particularmente estou na fase das descobertas e decisões do futuro.
    O momento da conclusão da faculdade e a oportunidade de poder trabalhar em um agência de publicidade (fazendo o que eu amo fazer) me faz sentir vitoriosa e desafiada a cada dia.
    O consumo age para atingir e acompanhar os desafios e metas - que graças as vontades humanas – são infinitas. Esse mesmo consumo que dialoga com as vontades, acompanha também os declínios das “não” conquistas e fracassos.
    A publicidade atua para ocupar esses espaços vazios, suprir qualquer fase ainda não tão bem concluídas e amenizar problemas/ dificuldades ainda não vencidas.

    ResponderExcluir
  17. Tenho passado pela fase de pensar mais no futuro.
    Na verdade se muitos dos consumidores pensarem igual a mim, certamente eles estarão passando por um dilema muito grande, a ansiedade de se conquistar algo, faz com que muitas vezes tomemos decisões erradas, atrapalhando um pouco o processo de conquista. Por muitas vezes nos deparamos com situações que nos fazem tomar decisões imediatas, mas que influenciarão diretamente no futuro, como: Adquirir uma casa ou não, comprar um carro ou não, ir morar fora do país ou não, pagar um plano de saúde agora ou não. São situações que determinarão coisas vindouras, mas que precisam de um certo esforço agora.


    Vivian Alvim Coutinho
    6º - una - noite - PP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Analisando todas as crises que passamos ao longo da vida, a crise de identidade é a pior de todas. Passei por momentos muito difíceis até aceitar o fato de que minhas escolhas dependem inteiramente de mim mesma, aceitar o fato de que se algo deu errado foi porque eu escolhi a opção errada, aceitar o fato de que tenho que ter responsabilidades, emprego, contas, faculdade, profissão, vida social, vida amorosa dentre mil outros departamentos rs.
      A todo momento mesmo sabendo que cresci e que hoje tenho responsabilidades e uma vida ''diferente'' da que eu tinha até os 18 anos busco coisas que resgatam um pouco dessa ''pessoa'' que eu era antes da maior idade, como por exemplo o meu gênero preferido para filmes é o de animação.. me lembra muito a minha infância e ideia de que eu não tinha problemas pra enfrentar.
      Gosto de cinema mas não sou apaixonada por cinema.. eu vou na estréia de filmes de animação mas não vou em outros gêneros (tirando os da Marvel porque, É DA MARVEL NÉ?" kk)
      Assim como eu, existem várias, diversas pessoas que passaram ( ainda passam ) por situações semelhantes como a aceitação da maior idade (ô fase ruim) eu consegui superar (eu acho kkk) e hoje eu entendo que a vida segue, continua e devemos aproveitar cada instante e fase dela (♥). Muitas pessoas não conseguiram ''vencer'' concluir essa fase, estão presas nelas até hoje e isso é ótimo para o fator consumo.
      Camisas de super-heróis para adultos (♥), roupas iguais para mães e filhas etc etc...
      É complicado, imagina quando chegar o chefão desse jogo chamado vida?
      Segura na mão de Deus e vai.

      Talita LBA Noite ♫

      Excluir
  18. Ariane Marques - LBB Noite.6 de outubro de 2016 13:13

    Essa nossa jornada pela qual passamos para construir a nossa personalidade, é algo extremamente desafiador. Ter que descobrir em cada etapa, um pedacinho de nós é surpreendente. Etapas estas, que não são facilmente vencidas, precisamos passar por vários conflitos internos até conseguir aprender tudo o que necessitamos e estarmos aptos a passar para a próxima fase. O período de se descobrir ( Interior) é um dos mais complexos, na minha opinião, pois é onde você deve ser você mesma, sem ao menos ter certeza se sabe quem realmente é.Se descobrir é uma tarefa árdua, é necessário entender e aceitar nossas reais preferências, gostos, pensamentos, valores, sentimentos e ponderar tudo isso, para ter uma identidade formada. O consumo nos influencia bastante em todas as etapas, mas nessa fase principalmente, já que é comprando determinados produtos ou serviços que somos capazes de nos assumir para a sociedade como um tipo de pessoa ou outra. Contudo, todo esse processo se torna necessário e importante em nossas vidas, pois a maneira que vamos reagir a diversas situações em nossos caminhos, vão depender de como fomos formados em cada um desses ciclos.

    ResponderExcluir
  19. Weslei Marcelo - LBA - Noite - 6°9 de outubro de 2016 10:06

    Acredito que nós como seres humanos, sempre vamos enfrentar essas transições.
    Sempre vamos evoluir, a princípio vamos "não" aceitar as mudanças, e depois conviver com elas, e em sua maioria até gostar.
    Os momentos de errar/acertar são nessas transições, afinal esses "erros" e "acertos" vão ajudar a construir a nós seja como crianças, adultos, e outras fases.
    Todo ser humano tem medo do "novo" temos também como já disse um problema com aceitação, e muitas vezes lidamos com isso com consumo exagerado, seja de álcool,sexo, roupas, carros,bens em geral.

    ResponderExcluir
  20. Ao analisar as diversas crises de transição , percebemos que o consumo tem grande influencia e até mesmo motivo para tal. Nessa transição para a adolescência o indivíduo geralmente quer se destacar na maioria das vezes. Entretanto querem usar roupas de marca, ter o celular mais moderno, ter o computador mais caro também é uma maneira de se destacar.
    Nessa fase de desequilíbrio emocional, é comum o aparecimento de doenças como bulimia. A pessoa com essa doença vai consumir mais alimentos e em decorrência disso também há de consumir tratamentos médicos.
    Denise Rinara LBA

    ResponderExcluir
  21. A travessia, acontece em uma fase muito importante para o jovem, fase a qual acredito ditar como será a vida adulta. Como foi falado no texto, o jovem que passa por essa fase, e está se tornando adulto, necessita de um bom apoio, que lhe ajude a enfrentar os novos desafios, fazer as escolhas certas. Penso que esse apoio, também chamado de criação é o fator mais importante na formação da personalidade de cada um quando adulto. Os pais devem guiar os filhos, mas também devem deixar que eles tenham suas próprias experiências e descobertas, essa autonomia ajudará a enfrentar a vida adulta. Uma super proteção certamente fará com que o jovem tenha dificuldades no futuro, assim como pouco apoio também trará dificuldades.
    Quando adulto, o potencial de consumo do indivíduo é bem maior do que quando criança/jovem, pois ele tem acesso a muito mais informações, realiza um volume maior de atividades. Dessa forma, penso que as vivências durante essa idade da travessia, irão afetar diretamente nos hábitos de consumo durante o restante da vida. Quanto mais autônomo da própria vida o indivíduo for, mais ele irá consumir.
    -
    Rodrigo Parreiras Campos - LBA / noite
    RA: 31412272

    ResponderExcluir
  22. Jean Alfredo - Pub LBB / Noite

    Acredito que essa travessia afeta e influencia sim as formas de consumo do indivíduo maduro. Por isso, é realmente importante que os pais (e/ou "influenciadores" de cada fase)estejam atentos aos estímulos, opiniões e atitudes em relação aos pequenos.
    A infância é um bom momento para educar o caráter e condicionar as crianças a avaliar melhor as suas opções de consumo.

    ResponderExcluir
  23. Dayanne Cassimiro Elias10 de outubro de 2016 14:42

    As fases que passamos em nossas vidas são responsáveis por construir o que somos e formar por fim a nossa personalidade. Isso significa que, até mesmo nos hábitos de consumo, essa vivência nos influencia. Quando crianças, consumimos produtos conforme a nossa idade. Quando adultos, consumimos produtos conforme a nossa necessidade sem afetar diretamente na nossa idade. Por exemplo, um adulto pode tranquilamente comprar uma blusa do seu desenho favorito da infância para relembrar dos velhos tempos ou por simplesmente desejar obter esse produto. Isso de fato agrega e engrandece o mercado consumidor, que inova cada vez mais os seus produtos e personaliza os mesmos para atingir de uma forma certeira o seu público.

    Dayanne Cassimiro Elias LBB noite

    ResponderExcluir
  24. De acordo com os diálogos dentro da sala de aula, as fases da nossa vida são de grande importância para a formação do consumidor em si. Uma vez que nos encontramos entre a fase adulto/criança é bem mais vantajoso para a sociedade alimentar nossas ansiedades, medos e objetivos, já que nos encaixamos nos dois perfis. Creio eu que essa travessia influencia na vida das pessoas por ter um resquício dos influenciadores, da sociedade e da própria memória da pessoa quando criança.

    ResponderExcluir
  25. Todas essas fases contribuem grandemente em nosso crescimento, pois, uma vez que amadurecemos queremos nos enquadrar no perfil social, como ter um celular na moda, roupa, carro etc. O fator X nesse caso, talvez é a ansiedade que nos impulsiona a fazer mais e mais.

    Rhayane De Oliveira Santos

    ResponderExcluir
  26. O consumo nessa fase ele é muito influenciado por ansiedade e necessidades. E essa fase influencia muito no que a pessoa vai ser quando adulto. Por isso os pais e/ou responsáveis por ser um influenciador deve educar bem, para que essa fase não seja negativa para o futuro.

    ResponderExcluir
  27. Acredito que o ato de uma pessoa consumir por si só já a caracteriza com uma pessoa de personalidade a ser analisada.

    Pensando nisso o inverso pode ocorrer no processo de conquista e auto conquista da identidade. Ou seja, a pessoa jovem podem ser auto influenciada no processo de seus valores, personalidade e gostos a partir do ato de consumir determinado produto ou serviço.

    Quando crescemos nos desenvolvemos ao absorver o universo ao nosso redor. Quando se consome jogos a pessoa esta consumindo gosto por tecnologia,por conhecimento, por lazer. Agora pense, o jovem pode consumir filmes, arte, música, enfim desde alimentos a serviços. Tudo ira construir a sua personalidade, o que ira nortear a qual caminho seguir profissionalmente ou simplesmente num ato que nunca mais ira se repetir.

    Uma coisa é fato, há consumos que geram em nos mesmo a sensação de firmeza, já outros de déjà vu, o que pode nos acompanhar o resto da vida, prosseguindo para a vida adulta e de maturidade.

    Por isso devemos consumir aquilo que sabemos que nos atrai, completa nossos desejos e necessidade e nos transforma no melhor que podemos ser.

    Lucas Bambirra LBA

    ResponderExcluir
  28. Creio eu que todas as fases da vida são importante para a formação do nosso próprio eu na face adulto. Quando adolescente somos movidos pela ansiedade e o nosso poder de consumir é influenciado pelo poder do compra dos nossos pais, mais quando os pais não conseguem suprir os desejos do adolescente eles passa pela face de buscarem sua própria independência como arruma um emprego, a mídia é uma das maiores causadora do consumismo na adolescência, pois mostra o luxo e o glamour tão sonhado, eles vêem os amigos tento e querem também. Então eu acho que a exposição diária dos adolescentes aos anúncios publicitários estimula o consumo de forma inconsequente, e pode influencia na formação de seus valores sociais, em seus gostos, preferências de consumo e padrões estéticos quando adultos.

    Karina Vieira Silva - LBB

    ResponderExcluir
  29. Essa determinada travessia influencia as formas de consumo do indivíduo, e sempre bom os pais analisarem o dia a dia das crianças(e/ou "influenciadores" de cada fase)estejam atentos ao que acontece ao seus redores.
    A infância é o momento que as crianças estão começando a entender melhor a realidade do mundo, fazendo assim os pais mostrarem a realidade de que consumo o que se tem necessidade e o que não tem.

    Fernanda Teles - LBB - Noite

    ResponderExcluir
  30. Acredito que cada uma dessas fases são de extrema importância para o desenvolvimento da nossa personalidade e consequentemente dos nossos hábitos de consumo. E esses hábitos também mudam no decorrer de cada etapa. Em cada uma dessas etapas temos visões diferentes de mundo, o que nos faz consumir ou não consumir algo. Ao fim de tudo isso temos claro em nossas mentes aquilo que nos agrada, o que não agrada e o que eu quero fazer para mim e para o mundo ao meu redor, desta forma é de extrema importância estar atento a cada uma dessas etapas.

    Débora Macedo - LBA

    ResponderExcluir
  31. Conforme discutido em sala, a transição entre as fases de nossa vida não são respeitadas nos dias de hoje, ou seja, o tempo que cada pessoa precisa para desenvolver tudo o que é necessário em determinada fase não está sendo respeitado. Tal “desenvolvimento precoce” imposto pela sociedade acarreta em deficiências de personalidade, emocionais, psicológicas, etc. Devido a isso, muitos de nós vivem mais de uma fase de cada vez. Para o consumo é muito vantajoso, pois acabamos consumindo produtos relativos a todas as fases que estamos vivendo. Além disso, todos os transtornos citados podem nos levar a consumir ainda mais, seja por ansiedade, nervosismo, depressão, impulso... Portanto, a transição entre cada uma das fases é de extrema importância para o desenvolvimento pessoal e pode afetar diretamente os hábitos de consumo.

    LBA - Noite

    ResponderExcluir
  32. cada fase da nossa vida é marcada por momentos importantes. Sendo assim, cada fase, em específico é deve ser devidamente vivida da maneira correta, procurando sempre absorver o máximo de bom que cada uma delas quer dizer para cada um de nós, vem também de cada um decidir-se pelo livre arbítrio se vão julgar aquela determinada situação como boa ou como ruim e aprender a lidar se vale a pena conservá-la para si no futuro. Mesmo que algumas coisas não "sirvam" naquele dado momento, futuramente a pessoa pode, mesmo que sem perceber, seja um reflexo de um passado bem desenvolvido, ou não.

    Caio Leroy Corrêa - LBA - NOITE

    ResponderExcluir
  33. Estamos em constante transição, durante a infância não temos muito noção das coisas, queremos tudo que estamos vendo nas lojas e nos anúncios, depois durante a adolescência temos as influências dos nossos ídolos e amigos, onde queremos tudo também, depois já adultos temos outros tipos de desejos, ou seja, é bom viver cada fase da vida e a mídia e propaganda está aí pra nos fazer consumir em cada fase.

    Kathleen Thaís Ferreira - LBB NOITE

    ResponderExcluir
  34. É muito interessante parar para refletir e perceber que mesmo já quase na vida adulta ainda enfrentamos de alguma forma estes 5 desafios. Tenho um irmão de 13 anos e vejo claramente ele passando mais intensamente por esse processo, e sim, acredito que essa transição interfere de alguma forma no que ele gosta e quer consumir. O que a gente projeta nesses processos sem dúvidas interfere no nosso consumo maduro.

    Núbia Gabriella - LBA NOITE

    ResponderExcluir
  35. Diego Martins
    LBB Noite

    É interessante falar dessa transição pois isso é da natureza do ser humano.
    De 0 a 5 de 5 a 10 de 10 a 15 anos...até chegar a fase adulta onde as responsabilidades vão aumentando de forma constante .
    São fases que a mente vai se desenvolvendo e descobrindo coisas novas, até que chega uma certa idade de se tornar independente, é nessa hora que uma boa estrutura familiar pesa para que a cabeça não tome outros rumos e perca a noção.

    ResponderExcluir
  36. As responsabilidades impostas para nós a cada passo de nossa vivência, faz com o que agimos pela ansiedade. Descontadas claro em alimentos, em consumo de bens e outras coisas. O comportamento na infância reflete grandiosamente na fase adulta. Por isso, a criança deve ser bem educada ou assegurada sob a ansiedade.
    Resumidamente, as transições possuem a sua específica importância, sendo assim, age diretamente nos hábitos de consumo do humano.

    Rafael Duarte Lincoln de Almeida - LBA

    ResponderExcluir
  37. Nossas projeções estão muito ligadas à cultura de consumo que é passada diariamente.

    O que desejamos para o futuro: Formar,ganhar dinheiro, ter um carro, alugar uma casa pra morar com os amigos/namorado(a), viajar, fazer tatuagens. Nos afirmar diante da sociedade tem a ver com a roupa que usamos, como nos comportamos, quais experiências adquirimos(e tudo isso, direta ou indiretamente, reúne dezenas de práticas de consumo).

    Acredito que é importante não fazer do consumo uma pauta de vida. Reafirmar pra nós e nossos entes e amigos que, por mais minimalistas que sejamos em consumo, é quase impossível não pensar nisso, mas nos lembrarmos que nada que compramos nos resume, e não depositarmos nossas frustrações ou felicidade em expectativas de consumo.

    ResponderExcluir
  38. Nossas projeções estão muito ligadas à cultura de consumo que é passada diariamente.

    O que desejamos para o futuro: Formar,ganhar dinheiro, ter um carro, alugar uma casa pra morar com os amigos/namorado(a), viajar, fazer tatuagens. Nos afirmar diante da sociedade tem a ver com a roupa que usamos, como nos comportamos, quais experiências adquirimos(e tudo isso, direta ou indiretamente, reúne dezenas de práticas de consumo).

    Acredito que é importante não fazer do consumo uma pauta de vida. Reafirmar pra nós e nossos entes e amigos que, por mais minimalistas que sejamos em consumo, é quase impossível não pensar nisso, mas nos lembrarmos que nada que compramos nos resume, e não depositarmos nossas frustrações ou felicidade em expectativas de consumo.

    ResponderExcluir
  39. Acredito que todas as etapas tem uma porcentagem de influência no nosso desenvolvimento e nos nossos hábitos de consumo. Uma vez que estamos em constantes mudanças durante essas etapas, nossos gostos também acabam que acompanham essa mudança. O INTERIOR, acredito que é uma das fases mais importantes, quando chegamos no ponto de olharmos para nos mesmo e perguntar quem somos, o que queremos, o que gostamos .. Acho que nunca teremos uma resposta definida, a essência da personalidade se mantêm, mais com o decorrer da vida vamos sempre acrescentando algo mais, mais conhecimento, novos hábitos e desejos.
    Danielle Cristina - LBA noite

    ResponderExcluir
  40. A transição entre a infância e a vida adulta nos torna ansiosos. Ansiosos pelas novas responsabilidades, deveres, desafios, etc. Essa transição e novos obstáculos são essenciais na nossa formação como consumidor.
    O fato de ser ansioso nos impulsiona a sermos consumistas, cada um de uma forma, consome aquilo que lhe sacia. O fato de nesta transição termos este problema pode nos levar a sermos adultos com hábitos exagerados de consumo.
    Rafaela Cavalcanti Ribeiro - LBB noite

    ResponderExcluir
  41. Temos que viver ao máximo, para que nossa transição seja perfeita. Pois comisso adquirimos experiencia de vida,nos ajuda ate uma noção melhor de nossas vidas,como responsabilidades que devemos tomar para as nossas vidas e com isso ficamos preparados para a vida adulta.

    Felipe de Souza Sodre Mendes LBB noite

    ResponderExcluir
  42. O momento de transição da infância para a fase adulta, atinge diretamente no comportamento de consumo dos indivíduos. Devido a diversos fatores que vem com a maturidade, influencia em suas decisões, desejos, ansiedades, etc. Por isso é importante o trabalho da personalidade da criança em sua infância, para que ela saiba lidar com as mudanças futuras.

    Carlos Miguel de Oliveira , LBB noite

    ResponderExcluir
  43. A transição da infância para a vida adulta, o jovem quer ser antes de tudo independente. A questão entretanto é que na sociedade de consumo a "independência" é estritamente ligada ao consumo.
    Exemplo: Para se tornar independente, o indivíduo quer comprar suas próprias coisas, seu próprio carro...
    O que temos que fazer é consumir com sabedoria e ter em mente que para se afirmar como independente, não precisa necessariamente estar ligado ao consumo exagerado.

    Alex Sander Francisco Júnior - LBB Noite

    ResponderExcluir
  44. Acredito que essas 5 fases da vida tenha uma certa relação com a pirâmide de Maslow, no sentido que ao passarmos por uma etapa, sem que realmente tenhamos vivenciado tudo que era para acontecer, dificulta nossa formação como adultos. E essas “pendências” que ficaram mal resolvidas podem influenciar diretamente no comportamento das pessoas. Sob a ótica da publicidade isso pode ser vantajoso, pelo fato de aproveitar essas oportunidades para estimular o consumo de produtos e serviços.

    Juan Felipe de Oliveira Santos
    RA:314110780 - LBA NOITE

    ResponderExcluir
  45. Em cada etapa desta transição nós ganharmos um pouco mais de autonomia, e como consequência os problemas também chegam. Cada um de nós enfrentamos isso de uma maneira diferente,em alguns casos a ansiedade é uma válvula de escape. Quando percebemos que temos o poder de escolha também vemos que temos o poder de consumo, na maioria dos casos os sentimentos são extravasados no ato de consumo. Crescemos em autonomia, responsabilidade e consumo.

    ResponderExcluir
  46. O ser humano, evolui conforme o ambiente em que ele vive, e quanto mais velho a pessoa vai ficando, ela se torna mais independente pelas escolhas que ela toma, porém a pessoa não perde a essência do ambiente em que ela foi gerada, ela nunca vai odiar uma música que seus pais gostavam de ouvir, ou nunca vai odiar aquele programa que os seus pais assistiam com você de noite.

    ResponderExcluir
  47. Somos educados desde novos a entender que nascemos incompletos. Sempre vamos crescer, sempre temos conquistas para atingir, coisas para aprender e um mundo para explorar. O que acontece é que em momento algum aprendemos a olhar para dentro, em momento algum aprendemos a ser quem nós realmente somos. Desde pequenos somos doutrinados pela escola, pelos pais, pelas regras sociais e outros costumes, mas nunca pelas nossas próprias convicções. Isso acaba gerando um grande vazio no interior das pessoas, pois acabamos todos perseguindo sonhos de outras pessoas, e perdemos o contato com o nosso verdadeiro eu.

    ResponderExcluir
  48. Acredito que todas as fases citadas são de extrema importância, pois ajuda a formar o caráter das pessoas e isso afeta diretamente o comportamento do mesmo, desde hábitos, ideais, princípios e valores.
    Na minha opinião, a A VIDA SOCIAL é a que mais afeta, pois está presente desde o começo, quando a família nos cria, ela está dentro de uma sociedade e isso irá afetar a nossa criação, logo depois nos tornamos independentes, mas continuamos vivendo uma uma sociedade, que nos impacta direta e indiretamente.
    O ser humano está sempre em constante mudança, e vai absorvendo aos poucos tudo que lhe aparece, de certa forma.

    Gabriel - LBA noite

    ResponderExcluir
  49. Jean Alfredo Souza - PUB LBB

    Somos um reflexo de todas as cinco fases. E, claramente, cada uma dessas fases participa de um processo de consumo diferente. Ao alcançar a independência, e podemos escolher por nós mesmos, utilizamos das experiências anteriores para definir quando e como o nosso consumo vai acontecer.

    ResponderExcluir
  50. Todas as fases citadas são de extrema importância na formação de nosso caráter, principalmente por sermos moldados aos olhos de quem nos criam, definindo hábitos e valores conforme os ambientes ao qual frequentamos e as pessoas que nos circundam. Com isso definimos nossos valores de criação, que atrelados aos valores sociais ao qual somos submetidos durante a nossa busca por autonomia social, criam um embate de conceitos que conflituam-se e proporcionam uma mudança em nossos conceitos, afinal estamos moldando nossos conceitos a todo instante desde o nosso nascimento. O fato é que vamos absorvendo tudo que nos pareci agradável e nos possam impactar diretamente e indiretamente.

    Tiago Martins Teixeira LBB noite

    ResponderExcluir
  51. Emanoel Lopes - LBB Noite24 de outubro de 2016 04:27

    Essa travessia irá afetar na forma como o jovem vê o mundo ao seu redor. Acredito que nessa fase irá definir e construir os seus gostos, hábitos e preferências de consumo.

    ResponderExcluir
  52. Todos as fases citas são de de extrema importância na nossa formação. Acredito que o consumo se define muito nas experiencias anteriores vividas. Cada um ao adiquir a independência, irá decidi quais serão as suas escolhas de consumo (lembrando que as experiências passadas podem influenciar muito na sua escolha).

    Rubiane Ferreira - LBB Noite

    ResponderExcluir
  53. Camila dos Santos Rodrigues - LBA - Noite

    Parece um processo simples e natural, mas não é muito bem assim que acontece na prática. Na maioria das vezes somos submetidos a enfrentar e tomar decisões sob a qual não estamos prontos ou não temos maturidade suficiente. Mas com o passar do tempo vamos aceitando pois não há outra opção a não ser passar por essas fases, consequentemente escolhemos o que queremos ou não queremos muito em determinado momento da vida. O mercado é uma ótima armadilha para o adulto que cresceu assim, pois nele há infinitas possibilidades para suprir toda essa impulsividade. Consumindo, achamos que finalmente somos donos de nós mesmos, quando na verdade estamos apenas servindo de combustível para alimentar a máquina do consumo.

    ResponderExcluir
  54. Gustavo Henrique de Almeida Ferreira - LBB Noite

    Eu me vi inteiramente nas cinco etapas. Passei por tudo isso. Por ter me reconhecido nessa experiência, acredito que o resultado de cada etapa pode influenciar em como será o comportamento do individuo na próxima e assim por diante. Sendo assim é traçado um mapa de personalidade que definirá como será o consumo durante sua vida. Acredito também que depoois de certo tempo isso pode mudar.

    ResponderExcluir
  55. Thamer B. Ferreira LBA 31511214326 de outubro de 2016 04:52

    No que tange o comportamento do consumidor, entendo que a primeira e segunda etapa (escola e família) são estágios introdutórios de responsabilidades do indivíduo, para que ele comece a aprender sobre administração de tempo e recursos.

    Apenas na terceira fase o indivíduo começa a ter mais conhecimento dos próprios gostos e a se relacionar com aquilo que tem de fato interesse individual, e não influenciado pelos seus pais. Ao mesmo tempo, as influencias se tornam mais frequentes, agora também presentes por amigos e demais colegas.

    Porém penso e ouso afirmar que a fase mais lucrativa para os negócios e de maior consumo do indivíduo é a quarta, pois toda a pressão externa, insegurança interna e a busca por auto afirmações, afirmações sociais e conforto para se encontrar meio aos grupos, faz com que o indivíduo consuma quase que desenfreadamente vários produtos de tipos diferentes para que consiga se sentir e pertencer à determinado grupo que se sinta confortável ou almeje.

    Já o futuro nos faz persistir em bens talvez mais duráveis, o que é um grande investimento e planejamento, porém em questão de pico de consumos, ainda insisto na quarta etapa.

    ResponderExcluir
  56. Acredito que as cinco etapas são de extrema importância para a formação do indivíduo. O consumo - em cada etapa - será de acordo com as influências e o meio em que vive este indivíduo. Passado as duas primeiras etapas, o indivíduo começa a consumir aquilo que acredita, porem, o que acredita sempre será reflexo do que viveu e viu até ali.

    Luiza Pantuzza - LBB

    ResponderExcluir
  57. Acredito que as cinco etapas são de extrema importância para a formação do indivíduo. O consumo - em cada etapa - será de acordo com as influências e o meio em que vive este indivíduo. Passado as duas primeiras etapas, o indivíduo começa a consumir aquilo que acredita, porem, o que acredita sempre será reflexo do que viveu e viu até ali.

    Luiza Pantuzza - LBB

    ResponderExcluir
  58. Bom levando em consideração essas cinco fases, elas podem ser determinantes na forma de consumir desses dos jovens, porque a a partir dos valores da família, tipos de amizades feitas na sua vida, ele vai moldar o seu modo ser, com suas crenças e filosofia de vida, sendo que esses fatores influenciaram na sua escolha de compra, porque através do que ele vai consumir sera muito em relação ao seu desejo de afirmar todas as suas crenças perante ao meio em que ele vive.

    Marcus Vinicius -LBB

    ResponderExcluir
  59. A transição, na teoria, deveria ocorrer de maneira natural, sem muita pressão e de uma forma mais leve, cada um no seu tempo e cada um buscando o que realmente o deixa feliz e o que ajuda no seu crescimento.
    Na pratica, essa transição chega a ser um tanto quanto malvada, agressiva e que deixa muitas marcas/cicatrizes no pessoal de cada um, esse processo se tornou uma escolha dos outros, o meio influencia DIRETAMENTE em todas as decisões pessoais desde a infância, tira toda a autonomia de qualquer ser. Esse tipo de transição agressiva é aproveitada (acredito que criada) por grandes nomes/marca para aumentar o consumo de saúde (médicos, rémedios, tratamentos), alimentar (ansiedade e outras doenças alimentares causadas por padrões de beleza que tem que ser seguido nessas transições), de objetos (roupas, acessórios, coisas de casa, celulares, carros e outros produtos que aumentem o ego e que melhorem auto-estima externa).....


    Bruna Doti - LBB / Noite

    ResponderExcluir
  60. Acredito que essa travessia de fases na nossa vida sempre irá afetar o nosso consumo. No mundo de hoje as pessoas são mais consumistas, tem sonhos maiores e querem a todo custo realizá-los... Principalmente quando estamos passando por essa fase do interior e do futuro, ali começamos a fazer nossas escolhas, começamos a ter o conhecimento do que pode vir a nos prejudicar e a ter consciência de gastar e consumir aquilo que realmente precisamos. Creio eu que a ideia de consumo vem desde a infância; quando queremos muito algo e são os nossos pais quem acabam fornecendo determinada coisa. A partir deste instante é bom ter um acompanhamento para que o consumismo não vire algo que irá nos atrapalhar no dia a dia, tendo em vista que somos influenciados todos os dias pela mídia nos atraindo para a compra imediata.

    Gabriella Camila - LBB/Noite

    ResponderExcluir
  61. As fases de transições nos afetam de diferentes formas e nos levam a nos tornarem os individuos que somos. todas elas são essenciais na nossa formação, e acredito que influenciam sim diretamente no consumo, pois queremos ada vez mais nos adaptar a sociedade ligada em produtos. o consumo supre os nossos desejos e vontades, e complementam as transições.

    Sofia Cury - LBA - noite

    ResponderExcluir
  62. Larissa Rodrigues LBB Noite3 de novembro de 2016 17:36

    Essa travessia é um grande responsável pelo consumo "fútil" na fase jovem até a fase adulta, pois no meio dessa caminhada queremos nos auto afirmar através de objetos importantes, para obtermos um status de sermos mais além do que pessoas legais e sim pessoas legais e com coisas legais para atrairmos admiração e respeitos de nossos companheiros de jornada.

    ResponderExcluir
  63. Alex Sander Júnior3 de novembro de 2016 20:19

    Cada vez mais, as transições por essas fases afetam diretamente no modo em que consumimos.
    Desde crianças, somos acostumados a consumir, devido à referência que temos, nossos pais. Cria-se o hábito de presentear exageradamente a criança e, quando crescidas, elas querem consumir para ter um prazer passageiro ou se encaixar em algum grupo. A maioria dos adultos hoje, acreditam que para ter felicidade é preciso consumir. Seja uma casa ou um automóvel.

    Alex Sander - LBB Noite

    ResponderExcluir
  64. Os conflitos que as crianças são expostas são o que determinam como ela vai interagir com o mundo. É natural da criança o aprendizado, e ela busca referencias no mundo para saber como aprender. É necessário uma boa educação e muita sensibilidade dos pais para uma sociedade menos consumista.

    Felipe Leal - LBB Noite

    ResponderExcluir
  65. Quando crescemos, começamos a perceber que devemos investir nosso dinheiro em algo que nos dê futuro, digo em relação a ter algo de melhor para frente, em ter uma estabilidade, começamos assim a comprar coisas que durem, que sejam permanentes.
    Rafael Mártir LBB noite

    ResponderExcluir
  66. A realidade de consumo é bem destinta para cada tipo de classe, somos criados a partir de um tipo de economia familiar.
    A educação também é educação economica, de consumo.
    Você é criado de uma forma, mas talvez no futuro não se sustentará da forma econômica que foi criado.

    ResponderExcluir
  67. A transição entre as fases da nossa vida, seja ela precoce ou não, influencia no consumo a partir do momento em que nossa personalidade muda. Conforme vamos mudando nosso jeito, maneira de pensar e sentir, nossos desejos e necessidades também mudam, fazendo com que tenhamos o interesse em adquirir coisas novas, seja para se auto satisfazer ou para ser aceito em determinado grupo, de acordo com a fase em que estamos vivendo. Essa transição é muito importante pois ao longo dela moldamos nossos gostos e interesses e vamos descobrindo melhor nossa personalidade. Isso de certa forma, nos faz ser mais conscientes em relação ao consumo (embora o impulso e a influência midiática por comprar algo muitas vezes atrapalhe isso).

    Karine Fernandes - LBA Noite

    ResponderExcluir
  68. Conflitos da transição entre a infância e a vida adulta, responsabilidades a serem assumidas, escolhas, e rotinas formam pessoas ansiosas. Claramente cada indivíduo se porta de uma maneira mediante a toda essa rotina. Vemos atualmente a doença do século a depressão, o que pode ser uma das consequências dessa sociedade "ansiosa".

    Amanda Silva Antunes - LBB

    ResponderExcluir
  69. Essas fases se associam a formação do carácter do individual, as experiencias vividas nelas diz muito no futuro e sobre formas de consumo, a transição da infância para a vida adulto da enfase nisso, responsabilidades e adaptações sociais, as vezes pode sobrecarregar causando a tão dita ansiedade.

    Kelly Araujo
    LBB Noite

    ResponderExcluir
  70. Igor Ritter
    LBB Noite

    Acredito que a fase de amadurecimento e transição para a vida adulta traz uma mudança de pensamento nos seres humanos. Passamos a pensar em algumas questões como impulsos de compra e necessidade de algumas coisas. Os hábitos de consumo mudam. Como sabemos, somos produto do meio em que vivemos e as fases que passamos e com quem vivemos, interfere em como vamos ser, então tudo é uma construção em nossa vida.

    ResponderExcluir
  71. Essa travessia se faz muito importante nos atos de consumo do ser humano. Sua necessidade de adaptação na sociedade atua diretamente nos costumes de consumo, para se infiltrar em um grupo social, se identificar com pessoas de convívio diário, ou por status pessoal, mesmo que o foco não seja a observação de outras pessoas.

    O mercado cada vez mais investe nisso, e podemos ver quando enxergamos publicidade filtrada em cada lugar, para cada etapa. A publicidade infantil nos programas de desenhos pela manhã, as propagandas de cosméticos durante as novelas a noite ou os produtos "discolados" durante programas de adolescentes exemplificam como as fases filtram o consumo.

    ResponderExcluir
  72. A fase de transição trás muitas mudanças e com isso as formas de consumo mudam e os impulsos também. A travessia influência total, pois o convívio é outro e as influências mudam e os gostos também.

    Roberta Rocha - LBB

    ResponderExcluir
  73. Acho que nesta fase de transição é que o jovem começa a tirar as suas conclusões enquanto consumidor. Com a rotina de conhecer pessoas novas, frequentar novos ambientes, ele começa a acompanhar tendências, acompanhar os hábitos de consumo do seu grupo e construir seus próprios hábitos embasados nas suas novas vivências. Diria que é onde o indivíduo forma sua opinião como consumidor.

    Guilherme Marinho - LBA

    ResponderExcluir
  74. Gabriela Gomes LBA 31412270
    As transições da nossa vida marcam processos e etapas de nosso crescimento.
    Da infância a maturidade passamos por desafios, conquistamos poder e nos descobrimos seres donos de si.
    As etapas passadas e bem resolvidas refletem em ações futuras e isso acompanha os hábitos de consumo, pois uma criança cheia de vontades pode se tornar um adulto compulsivo e ansioso.
    Acredito que a educação financeira e comportamental deva ser aplicada desde a infância, dessa maneira estimulamos e ensinamos o auto controle e a “sabedoria consumista” desde cedo.

    ResponderExcluir
  75. A fase jovem serve para o amadurecimento, assim como todas as fases.
    Estamos sempre em busca do aprimoramento, analisando os erros do passado.
    Luiz Eduardo Rezende Tavares
    312111161

    ResponderExcluir
  76. Todo mundo passa por essas fases, alguns bem vividas e outros nem tanto. As descobertas, aprendizagens, direcionamentos, opiniões, ao longo da vida são base para o que nos tornamos. Passamos por diferentes grupos, escola, faculdade, trabalho, família, igreja, todos nos influenciam, querendo ou não. Nossos consumos e hábitos são resultado de tudo isso, e que está sempre em constante evolução, estamos dia a dia nos descobrindo, nos refazendo, mudando.

    Jéssica Rodrigues

    ResponderExcluir
  77. Os hábitos de consumo durante a adolescência são bastante impactados pelos grupos em que os adolescentes estão inseridos, pois é uma fase em que se está definindo a personalidade e buscando aprovação da sociedade, e muitas vezes esta aprovação é buscada em bens de consumo. Eles são mais vulneráveis ao que é publicado nas redes sociais e nas mídias em geral, que costumam ressaltar uma realidade inalcançável, gerando consumo inconsciente Quando se faz a transição para a vida adulta, os anseios e os objetivos de vida deixam de girar em torno desta aprovação social, logo os hábitos de consumo também mudam. Diminui a probabilidade de um produto ser consumido para atender exclusivamente o desejo de se inserir num grupo, por exemplo, se não atende uma necessidade. O consumo tende a tornar-se mais consciente, de um modo geral. Mudam as necessidades, mudam os desejos, muda o comportamento de consumo.

    Carolina Vaz de Mello - PUB3BN - LBB

    ResponderExcluir
  78. Os grupos e fazes da vida em que o ser humano se encontra contribuem para o consumo do mesmo, quando se é mais jovem por exemplo é comum consumir coisas para ser bem aceito no grupo da escola ou faculdade, quando se é um pouco mais velho o a influencia passa a ser da família e amigos mais próximos, o consumo muda a cada faze e cabe as empresas enxergarem onde estão os seus consumidores.

    Douglas Rodrigues Fernandes LBB - Noite

    ResponderExcluir
  79. Cecília de Paula Cândido26 de novembro de 2016 06:30

    Eu não sei dizer qual a fase mais importante do desenvolvimento de uma pessoa. Mas sem dúvida alguma a idade que vai de 12 à 20 anos é crucial para o desenvolvimento em vários aspectos, não apenas de consumo.
    Relembrando uma fase da minha vida que tenho muita memória, a separação dos meus pais, vejo hoje o quanto as coisas são complexas e confusas na nossa cabeça. Queremos ser tratados como adultos mas sem assumir responsabilidades de um. No entanto, lembro da necessidade de querer ser aceita pelas pessoas, em especial aos amigos, paqueras, a turminha da rua. A época da separação foi marcada principalmente pela dificuldade financeira, mas mesmo assim me lembro de querer e muitas vezes ter coisas da moda. O celular, ainda que usado, não poderia ser qualquer um. Roupas, mesmo que não fossem de marca conhecida, tinham sempre que estar na moda... em tempos onde se guardava o almoço para comer na janta. Hoje, mais de 10 anos depois tenho tentado me controlar na hora da compra. Com muita dificuldade perceber, que o consumido para mim, assim como para minha mãe, passou a ser uma válvula de escape. "Poxa, estamos passando por tanta dificuldade em todos os âmbitos, merecemos uma roupa nova". De forma inconsciente esse foi o pensamento que, junto da minha mãe, desenvolvemos após a separação dela.
    Vejo sim a importância da relação família, amigos e sociedade na influência do consumo. Da mídia que empurra todos os dias um mundo lindo e colorido em forma de consumo.

    ResponderExcluir
  80. A ansiedade explica toda esta transição da vida jovem para a adulta. Somos compulsivos quando ansiosos e consumidos várias coisas de diferentes formas, e nessa etapa também se determina a maturidade.
    O ato de consumo pode servir de cura para a ansiedade, e com ela também vêm as responsabilidades, dando mais ênfase a vida adulta.

    Nilo Magno - LBB/Noite

    ResponderExcluir
  81. Se é uma criança impulsiva se torna impulsivo ou uma criança que tem tudo nas maos pode ter problema quando for um consumidor ativo na juventude.

    ResponderExcluir
  82. A ansiedade nada mais é do que o resultado de todos os conflitos que surgem durante a transição entre a infância e a vida adulta. E como foi esclarecido em sala, cada um trabalha e canaliza a ansiedade de diferentes formas. O poder de consumo, principalmente, é um fator chave, por chegarmos num nível de vida que EXIGE que tomemos escolhas - vindo com elas, a responsabilidade.


    Caio Braga - LBA

    ResponderExcluir
  83. DA INFÂNCIA ATE A VIDA ADULTA AS RESPONSABILIDADES AUMENTAM, AS ESCOLHAS MUDAM POR CONSEQUÊNCIA E POR OBRIGAÇÕES O CONSUMISMO VEM TORNANDO PRESENTE NO NOSSO DIA A DIA. CADA UM LIDA COM UMA FORMA DIFERENTE OU ATE MESMO UM FORMA MAIS ADAPTÁVEL A SITUAÇÃO. COLOCANDO TAMBÉM A ANSIEDADE NA FRENTE E TORNANDO ELA MOTIVO DO SEU CONSUMO EXCESSIVO.
    DANILO RODRIGUES DO NASCIMENTO, LBB

    ResponderExcluir
  84. O comportamento inadequado no consumo em determinadas fases da vida tem variáveis, isto depende de como cada um assimila a sua criação, sua classe social, e outros fatores de sobrevivência. Mais uma vez a mídia influencia "dizendo" o que temos que comer ou vestir, ou ter. Nos obriga a nos cobrar por não termos tudo o que gira na moda, existem pessoas que se frustam e quando tem condições melhores de vida , se afogam em dívidas para ter tudo o que não teve quando mais jovem.
    Alguns se desviam de seus princípios, entram no mundo de bebidas, drogas, tráfico, dentre outros , para atingir seus objetivos de vida de forma mais rápida.

    Talita Honorato LBA Noite

    ResponderExcluir
  85. Em cada fase ganhamos um pouco de "experiência" e o consumo é diferente em cada uma delas também, dependendo da forma que vivemos cada fase da vida, da forma que enfrentamos elas e o desafio de cada uma, o nosso comportamento ao consumo vai mudando e muitas vezes se adaptando de acordo com o sentimento vivido naquela fase, sabemos que a nossa auto- estima pode ser o fator que mais afeta no nosso consumo, não da nem para falar que uma fase é mais difícil que a outra, porque em cada uma delas enfrentamos os desafios de forma diferente e em cada uma o nosso consumo pode ser afetado.
    Gracielle Oliveira LBB NOITE.

    ResponderExcluir
  86. O despertar das pessoas para o consumo, acontece na infância, são diversos os fatores que influenciam, o texto acima nos descreve 5 desafios determinantes para a formação da mente de determinada pessoa e ocasionalmente o seu lado de consumidor. Todos os 5 desafios são significantes e fazem muita diferença, mas o interior e o futuro são os que atingem e despertam de maneira mais intensa o lado consumidor das pessoas, pois mexem como lado material e de se sentir bem perante a sociedade.

    André Mota - LBB

    ResponderExcluir
  87. Os hábitos de consumo durante a adolescência são impactados por grupos e por tendencias de moda, onde os indivíduos são atribuídos. Buscando aprovação da sociedade diante do comportamento e dos bens de consumo, estão naturalmente vulneráveis ao que é publicado nas redes sociais e nas mídias em geral, que costumam ressaltar uma realidade inatingível, gerando consumo incontrolável. Quando se faz a transição para a vida adulta, os anseios e os objetivos de vida mudam da os objetivos de futuro. Diminuindo a probabilidade de um produto ser consumido para atender somente ao desejo de se inserir num grupo, por exemplo, se não atende uma necessidade.

    ResponderExcluir
  88. O momento da travessia que é um mistério, onde não se sabe ainda o que seguir, como seguir, como agir e afins. Interfere diretamente no consumo, pois é o momento de experimentos.
    É o momento em que é interessante experimentar uma turma nova, um grupo social novo, começar a se identificar com o que gosta e o que quer seguir.

    Isso afeta positiva e diretamente no consumo do jovem. E quando fica maduro quanto à isso, é mais fácil consumir, pois é mais fácil escolher o que consumir.

    ResponderExcluir
  89. O consumo nessa fase é muito influenciado por ansiedade e necessidades, Essa fase influencia muito no que a criança vai ser quando adulto. Por isso os pais e/ou responsáveis por ser um influenciador devem educar bem, para que essa fase não seja negativa para o futuro.

    Antonio Vinicius do Carmo Nascimento
    RA: 314115817
    LBB

    ResponderExcluir
  90. Fernando Ribeiro - LBB Noite

    Acredito que o habito de consumo se torna muito mais frequente em certa fase da vida. Os adolescente por exemplo são estimulados o tempo inteiro a consumir cada vez mais, ainda mais nessa era tecnológica onde é possível ter quase tudo ao alcance das mãos. Cabe a cada um a medida que irá amadurecendo, saber controlar seus gastos e saber controlar seu hábito de compra.

    ResponderExcluir