segunda-feira, 10 de abril de 2017

A guerra dos Roses

Resultado de imagem para Can Neuroscience Change Our Minds?
Por Hélio Schwartsman - Folha de S. Paulo - 2 abr. 2017

Ceticismo. Se, em doses cavalares, ele nos empurra para posições solipsistas que levam ao imobilismo, em quantidades apropriadas, converte-se no motor da filosofia e da ciência. Ao instilar um pouco de dúvida em tudo, o ceticismo nos faz examinar criticamente as ideias recebidas, permitindo que nos livremos das piores e tenhamos chance de substituí-las por hipóteses mais adequadas. Ninguém nunca perde por aplicar um pouco de ceticismo às coisas, nem que seja para em seguida descartá-lo.

Faço essas reflexões a propósito de "Can Neuroscience Change Our Minds?" (a neurociência pode mudar nossas mentes?), do casal Hilary e Steven Rose. Ela é socióloga da ciência, e ele, professor emérito de neurobiologia na Open University de Londres. O livro tem uma agenda política muito clara. Os Roses frequentemente falam como militantes do PSOL, denunciando complôs neoliberais entre indústria e políticos conservadores para espoliar os pobres.

Se esses complôs são reais, eu não sei, mas sei que a obra é útil para analisarmos criticamente o oba-oba que se faz em torno do cérebro e do prefixo "neuro-" que hoje se acopla a quase tudo: neuromarketing, neuroeconomia, neuropsicanálise etc.

Os Roses não negam que houve importantes avanços na neurociência -Steven contribuiu para alguns deles- que aumentaram muito nossos conhecimentos sobre o cérebro, mas levantam uma série de problemas nos métodos e nos pressupostos daqueles que já querem extrair aplicações práticas desse saber.

Eles mostram, por exemplo, que a teoria do apego, segundo a qual recém-nascidos precisam conectar-se com ao menos um cuidador primário para crescer de forma saudável, que está na base de várias políticas públicas do Reino Unido, tem mais buracos que um queijo suíço. Mesmo que não compremos todas as ideias dos Roses pelo valor de face, seu livro nos aguça um saudável neuroceticismo.

Pessoal, depois de tanto tempo discutindo sobre visões do que nos motiva, encerrando com a Psicologia Evolucionista/ Neurociência, a partir do texto acima, que lições podemos tirar?

94 comentários:

  1. Acredito que depois de transpassar por várias teorias em escolas completamente diferentes tratando o mesmo assuno de forma tão distinta, deixando ao fim de tanto aprendizando um mundo de dúvidas em nossas cabeças, acredito que é cada vez mais válido o pensamento cético e o ensinamento que a filosofia nos passa de sempre questionar a realidade. Quando nos deparamos com uma "teoria" devemos saber nos portar como céticos com relação a ela e saber distingui-la de uma verdade absoluta e comprovada em vários âmbitos. O mundo deve ser questionado para que possamos evoluir.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Acredito que com tudo isso,pode-se tirar a seguinte conclusão:
    Que a motivação é importante para que a evolução aconteça.
    Cada um com a sua perspectiva é o que move o mundo, é o que faz as coisas acontecerem.
    Karolaine Elias
    5º período manhã

    ResponderExcluir
  4. Sabrina Mares Oliveira

    Quando nos propomos a duvidar de tudo aquilo que nos é dito e a procurar as respostas por nós mesmo, temos chances maiores de encontrar uma verdade que realmente represente aquilo em que acreditamos.

    ResponderExcluir
  5. Depois de conhecer tantos pontos que instigam a motivação, pudemos perceber que ela está relacionada com cada pessoa de uma maneira distinta. O ceticismo a partir das teorias, assim como em todos os aspectos presentes no cotidiano, é necessário de certa forma, nenhum ponto de vista é certo ou errado, não existe receita para explicar o que motiva alguém a algo, existem maneiras de analisar e todas são válidas.

    ResponderExcluir
  6. Apesar de a motivação apresentar elementos em comum para todos, a forma com que eles se expressão e nos motivam internamente é singular para cada um de nós, variando de acordo com a cultura, ambições, religião, valores e necessidades. Uma dose equilibrada de ceticismo é um motor importante para que questionemos as coisas ao nosso redor e como elas funcionam e se funcionam como deviam. O estímulo gerado pelo ceticismo, se exagerado, nos leva à estagnação total, ou seja, se duvidarmos de tudo, paralisamos e simplesmente não vivemos, uma vez que o conhecimento é infinito e que as descobertas muitas vezes podem fazer com que deixemos de consumir algo, como alimentos industrializados por exemplo. Atualmente, seria impossível viver sem o consumo industrializado. Concluo, portanto, que questionar é importante, mas saber lidar com as respostas é mais importante ainda para alcançar o equilíbrio.
    RA: 317124472 PP/Manhã

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Brenda Silva
    R.A:31425570

    Acho que toda análise que tivemos ao longo das aulas deixou claro que existem inúmeras explicações sobre quem somos, e como agimos. Contudo, com toda a nossa singularidade, é comum crenças distintas devido a fatores, como: cultura, religião, entre outros. Os nossos valores determinam o que iremos crer, o ceticismo se relaciona a isso, o que nossos valores vão determinar como crível ou não. A neurociência é o estudo que tenta entender a singularidade , os processos de verbos de autoridade em nossas vidas. É uma área complexa como qualquer outra que tenta entender o raciocínio do homem. Porém, é interessante pelo fato de tratar a singularidade presente em cada ser como indivíduo e como objeto grupal.

    ResponderExcluir
  9. Questionamentos são a porta de entrada para toda mudança e evolução. Indivíduos confortáveis com algo não buscam mudanças, mas permanecem estacionados. Mas àqueles que se sentem desconfortáveis em algum momento, procuram respostas, as encontram e decidem como pensar a partir disso. E são de pessoas assim que o mundo é feito e motivado a evoluir, positivamente, ou não.


    Fabrícia Helena de Souza Silva
    314120475

    ResponderExcluir
  10. As mudanças mudam a partir das nossas motivações. São vários fatores que influenciam nas nossas escolhas mas sempre com base em uma motivação. Até mesmo aquela pessoa que acorda e não sabe o que fazer durante o dia, está motivado por algo.
    Analisar esses comportamentos além de ser totalmente interessante para a nossa profissão, é bacana para nos conhecermos melhor. Pensando por este lado, estaremos sempre nos questionando e buscando formas para nos adaptarmos melhor em cada situação...

    ra: 31621627

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Acredito que o que podemos extrair de tudo que estudamos até aqui, é que sim, o ceticismo é super válido, nos fazendo questionar as mais diversas questões, de uma forma filosófica isso quer nos dizer que devemos sempre pensar com base na razão, e acho isso muito válido na comunicação, em tudo, na vida, sei lá.
    Geferson Moreira Magalhães
    RA 31427650
    Sala 16/17 noite

    ResponderExcluir
  13. O ceticismo é importante porque leva à relativização. Estudamos diversos modelos de análise do comportamento humano e vimos que não há uma verdade absoluta, mas uma construção da verdade a partir de vários fatores científicos, sociais, culturais, e muitas vezes, como por exemplo na neurociência, considerando as particularidades de cada indivíduo. Se não houver ceticismo na análise, acabamos limitando nosso campo de estudo, o que reflete no insucesso na hora de conhecer melhor os consumidores e segmentá-los.

    ResponderExcluir
  14. Bom, como disse Raul Seixas “prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”. Acho essa frase muito relevante para discutirmos sobre ceticismo e todas as teorias que explicam o que nos motiva. Foi possível entender que os indivíduos se comportam de diferentes formas, devido os diferentes estilos e objetivos de vida, além disso, aprendemos que se tínhamos um ideia formada sobre determinado grupo, devemos mudar a forma de pensar, usar o ceticismo para questionar, abrir a mente para novas possibilidades, pois, dentro de um mesmo grupo cada indivíduo pode ter objetivos completamente diferentes e devemos estar atentos para a percepção dessas diferenças.

    ResponderExcluir
  15. Acredito ser inegável o fato de que todos nós deveríamos ter doses de ceticismo, em relação às teorias e conceitos que nos é imposto. Manter esse um equilíbrio entre nosso lado dogmático e o lado cético, nos faz ter uma compreensão mais clara das coisas, facilitando a nossa leitura de situações de vivência. É muito importante que as pessoas, tenham motivação em procurar entender, compreender as coisas, antes de tomarem aquilo como verdade absoluta. O questionamento nos faz crescer, e nos motiva na busca pelo conhecimento.

    Celso L O Santos
    Publicidade e Propaganda/Noite 6ºP
    Una - Liberdade

    ResponderExcluir
  16. É fato que precisamos de alguma motivação para prosseguirmos com qualquer atividade ou ideal, e isso também se adéqua ao nosso conhecimento, é necessário questionarmos as verdades antes enblocadas em nossa mente desde crianças para evoluirmos como seres humanos, é balancear o ceticismo com as verdades absolutas ditadas pela sociedade para compreendermos o mundo e assim evoluir.

    Bruno Henrique de Abreu
    PP Noite
    RA: 31429666

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Nayara Cristina Machado
    RA: 31425576
    PP Noite

    Concluo que nossas motivações podem ser estudadas e analisadas de diversas formas, embasadas em múltiplas teorias. Não há nenhuma teoria objetivamente certa ou errada, cabe a nós a análise da motivação levando em consideração o tempo em que se vive, a cultura de cada sujeito e outras características pontuais. E para obtermos respostas mais claras, devemos sim, utilizar de forma equilibrada, uma dose de ceticismo afim de evitar parcialidades.

    ResponderExcluir
  19. Matheus Parreiras Junqueira
    RA: 314210479
    PP Noite

    O ceticismo é uma fonte necessária pois
    são praticamente nossas decisões. As motivações nos levam a realizar apenas aquilo que analisamos como favorável e correto. Além de tudo, o lado ético parece bem presente no ceticismo quando se tem uma analise crítica de todas as hipóteses.

    ResponderExcluir
  20. KAMILA CHRISTI DA SILVA
    RA: 346118076
    TURMA: 6º NOITE SALA: 16/17


    Acredito que todo o conteúdo estudado nas ultimas semanas, e juntamente com este, vemos o qual a motivação que temos a todo tempo vem de varias maneiras e formas, são N estudos, e cada um a sua maneira, sem a existência do certo ou errado entre elas, são todas corretas a sua maneira.

    ResponderExcluir
  21. Ana Paula Ribeiro
    RA 3152149578
    Publicidade e Propaganda/Noite

    Podemos avaliar as motivações do ponto de vista das mais diversas teorias. Isso não significa que todas elas estão corretas ou estão erradas(isso inclui a neurociência), mas prova que temos a nossa disposição todas estas maravilhas do conhecimento, que podem ser aproveitadas ou reinventadas. Nenhuma destas pode ser tida como verdade absoluta, elas são mutáveis e questionáveis, o ceticismo deve estar em uma medida certa para que toda este precioso material (desde o behaviorismo até a neurociência) possa ser aproveitado da melhor maneira possível.

    ResponderExcluir
  22. Igor Antunes Ferreira17 de abril de 2017 08:58

    Todos os seres humanos não nascem sabendo, aprendem ao longo da vida, e todos nós temos, se não questionarmos não seriamos ninguém e alem de tudo a terra ainda seria quadrada. O questionamento é uma parte importante da motivação, pois sempre nos questionaremos para ai sim termos motivos para buscar uma resposta. Sem o ceticismo a vida estaria parada e pouco evoluída.

    ResponderExcluir
  23. Nathan Barbosa da Silva
    RA: 31425575
    Noturno

    Eu concordo com a opinião do casal com relação ao desapego. Vejo isso como uma construção social e cultural e não algo do inconsciente. Mas a real questão é que na Ciência não existe verdade definitiva. Tudo é uma leitura.

    ResponderExcluir
  24. Katheryne Martins
    R.A: 31426983
    Aprendemos varias teorias diferentes, que se pensarmos que uma delas é "A" certa, perderemos muito, pois cada uma pode se adaptar a uma situação diferente, quando precisarmos delas. Não há uma verdade absoluta. Aprendemos a questionar quando virmos uma teoria e pensar, no que dentro da mesma se encaixa em nossa vida, e em um âmbito profissional, no que se encaixa dentro da campanha e/ou estratégia.

    ResponderExcluir
  25. Vimos que colocar as teorias em duvida é importante. Em sala vimos e aprendemos modelos de analise com propostas parecidas, porém também vimos alguns modelos com propostas opostas, tal como o behaviorismo e cognitivismo. Ao estudar essas diferentes propostas conseguimos analisar sob um olhar critico, de que estas não são verdades absolutas e que cada uma pode se encaixar naquilo que necessitamos no momento. Se essa analise das propostas não for feita de forma imparcial, nosso ambiente para estudo de algum caso estrá sendo limitado, e acarretará na má formação de uma campanha, por exemplo.

    ResponderExcluir
  26. Por existir muitos estudiosos e psicólogos hoje existem vários significados a uma só coisa, o ceticismo nos ajuda a duvidar ou não daquilo que julgamos certo ou errado, isso vai de cada um.


    Matheus Lucas Pereira Rios
    31427354

    ResponderExcluir
  27. Na ultimas aulas, vimos que cada indivíduo tem sua forma de lidar consigo mesmo, com seu inconsciente, dramas e afins.
    Nossos valores, criação e convivência em meio a sociedade nos incentivará a nos entender melhor, no auto questionar.
    A neurociência mesmo trabalhando na singularidade ela nos incentiva a trabalhar em comunidade, em sociedade em si.
    Como já dizia o francês René Descartes: se eu duvido, eu penso; se eu penso logo existo.
    Acredito que vai muito por esse contexto, por mais que essa frase surgiu em um estudo do filosofo sobre a existência de Deus, ela também se baseia no ato do indivíduo se auto questionar sobre seus atos e pensamentos.
    Naiara Patrícia Nascimento – 31425841 PPLBA NOITE sala 15/16

    ResponderExcluir
  28. As pessoas se agarram em alguma coisa para acreditar e seguir em frente . Nós precisamos de motivação pra podermos fazer certas coisas, nos dando inspiração e prazer de fazer. Sem motivação pode não ter significado fazer algum tipo de coisa ou acreditar que somos capazes de conseguir o que queremos.

    ResponderExcluir
  29. Várias teorias conseguem explicar o que sentimos, porque e como sentimos, o ceticismo por este lado é bom, pois nos leva a analisar o que melhor se encaixa com determinada situação, pois não há uma verdade absoluta. Lembrando que o cérebro é (se não o único) um dos órgãos que conseguimos monitorar e ainda assim não sabemos tudo sobre ele.

    ResponderExcluir
  30. Como a mãe da gente sempre diz,"tudo em excesso faz mal. Até água". E com o ceticismo por melhor que seja, não foge a essa regra. O excesso de ceticismo, cria (assim como a falta dele), uma enorme bolha de ignorância. Não podemos nos fechar em repostas taxadas e padrões, mas também não é inteligente sair questionando tudo e todos a ferro e fogo, somente por questionar. Como na filosofia oriental é muito difundido, "o equilíbrio leva a perfeição".

    Sidney Filipe

    ResponderExcluir
  31. por definição ceticismo é a falta de certeza a respeito da verdade. Sendo assim ser cético nos motiva a buscar mais conhecimento sobre a verdade a ser revelada e possibilita vários questionamentos sobre o que nos será absorvido como informação na teia da descoberta, nos proporcionando crescimento como ser humano.
    Letícia de Aguiar Goular
    RA: 31428260
    T: Noite Sala: 16/17

    ResponderExcluir
  32. Samara Carneiro
    PP Noite
    31427388
    As motivações podem ser avaliadas por diversas teorias, elas conseguem explicar o que sentimos e o porque. O ceticismo é o que mais se encaixa por caminhar na linha de que não há uma verdade absoluta, fazendo assim que nos questionamos mais e ficamos sempre em busca de conhecimento.

    ResponderExcluir
  33. Nas aulas vimos que todos nós temos uma certa motivação, pra praticamente tudo que fazemos. E também vimos várias teorias sobre elas. Quando falamos sobre ceticismo eu vejo como um possível ''equilíbrio'', pois o ceticismo nos leva ao questionamento e acredito que com isso apareceu e parece novas teorias, mas ser cético demais pode não ser tão legal assim, indo para o lado da impolidez.
    Igor Matheus M. Neto - Manhã

    ResponderExcluir
  34. Ricardo Castro
    RA 31421092
    PP 6º período, noite
    Com certeza ceticismo demais é uma coisa negativa, desacreditar de tudo pode nos impedir de aprender coisas novas, de fazer coisas novas de sermos pessoas novas. Claro que crer em tudo também não é o ideal, o ideal é ter um equilíbrio. Muitas vezes desconfiança é uma coisa que nos leva a querer saber mais sobre algo, vamos pesquisar para termos certeza, então de certa forma pode ter sim aspectos positivos, mas não de forma extrema. A neurociência pode sim nos fazer mudar de ideia. Vimos em nossas aulas sempre teorias, exemplos, comentários sobre vivências, são coisas que dão embasamento, que são enriquecedoras e que podem fazer nós mudarmos o jeito que pensávamos anteriormente.

    ResponderExcluir
  35. Entender os processos de aprendizagem e como eles vão influenciar nas mais diversas tomadas de decisão nos mostram um caminho complexo em relação a neurociência. Acho muito válido traçar paralelos entre o evolucionismo e a neurociência pois pode-se pegar um pouco de cada para tentar entender quem somos e pra onde vamos (ou onde queremos ir). O estudo do cérebro é muito complexo, todos os seus receptores e ligamentos complexos hoje são campo de discussão que podem sim ser estudados em comunhão com a psicologia evolucionista. Provar do neuroceticismo como citado no texto nos obriga a pensar numa maneira mais cética de evoluir não só o pensamento mas a forma como o fazemos hoje em dia.

    Fernando de Souza Santos
    RA: 314212531

    ResponderExcluir
  36. É fato que muitas percepções são necessárias à nossa sobrevivência e evolução como seres influenciadores e pensantes.
    Assim como a fé nos alimenta e abastece forças para sempre poder superar traumas, obstáculos e seguir adiante, o ceticismo vem temperar na medida em que nos torna capazes de questionar sobre o que nos é imposto.
    A partir desse equilíbrio nos tornamos capazes de analisar dados e fatos, tendo conclusões mais fieis e reais sobre qualquer tema em questão.
    Ainda que existam descobertas científicas e neurológicas, as possíveis mutações propiciadas pelo meio provam que não existem verdades absolutas sobre resultados e consequências. A semiótica nos convence sobre o relativismo de tudo à nossa cerca, afinal nada é inquestionável, mas qualquer passo poder ser compreensível. Porém, se conhecemos algumas origens e causas, nos dispomos para poder fazer escolhas e mudar alguns caminhos com mais clareza e astúcia.
    Nesse contraste encontramos o livre arbítrio e também uma visão que nos permite ser mais justos diante da realidade, do que acreditamos e do que repassamos como verdades.

    ResponderExcluir
  37. Flávia Lages
    RA 31619949
    6º periodo
    Turno manhã

    Coitado de Descartes, meu querido antigo filósofo após passar por uma situação de conflito em sua vida, se questionar de tudo sem encontrar uma verdade absoluta, só ficava a dúvida, dúvida até mesmo da sua existência, e a dúvida lhe trouxe o inquestionável: por chegar a duvidar de algo, ele já se encontraria pensando, e por pensar, ele existiria, e assim, sua existência foi a única certeza que encontrou, em seguida chegamos a frase "penso, logo existo". Ceticismo engole essa.

    ResponderExcluir
  38. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  39. Isabela Martins Lages de Souza
    RA: 31429261
    6° Período
    Turno: Manhã

    Após todo o conteúdo estudado e análises feitas em sala, podemos tirar a seguinte lição: O ser humano é movido, em grande parte, pela dúvida, curiosidade, questionamento. Somos seres que buscam explicações a todo o momento, buscamos entender quem somos, de onde vemos, e por que estamos aqui. E tudo isso nos motiva a estudar cada caso, pesquisar e sempre buscar avançar cada vez mais. Ou seja, a dúvida faz com que o ser humano evolua.

    ResponderExcluir
  40. As teorias estudadas nos mostram vários pontos pontos vistas de como somos motivados e como reagimos à essas motivações, o ceticismo serve como uma base de avaliarmos melhor o conteúdo que seguimos ou que acreditamos, cada teoria tem uma forma de explicar nossa motivação, estudando melhor e tendo um olhar crítico podemos entender verdadeiramente o que nos motiva, o que nos da força pra viver, o que nos faz levantar da cama todos os dias.

    Emerson Fábio dos Reis - 31427942
    PP - Noite

    ResponderExcluir
  41. O ceticismo é importante porque no faz questionar teorias e assim avaliar em que acreditar. Porém, não podemos ser céticos de tudo, pois senão questionaríamos o tempo inteiro e não nos sentiríamos satisfeitos com nada.Sendo assim, precisamos nos agarrar a algo como forma de responder aos questionamentos.

    ResponderExcluir
  42. A importância do ceticismo é fazer com que nós saibamos separar todas as teorias que estudamos, e ver o que realmente nos fez acreditar. O questionamento é essencial para o ser humano, e é o que nos move todos os dias, então, nos agarramos ao que nos deixa seguros.

    ResponderExcluir
  43. A importância do ceticismo é fazer com que nós saibamos separar todas as teorias que estudamos, e ver o que realmente nos fez acreditar. O questionamento é essencial para o ser humano, e é o que nos move todos os dias, então, nos agarramos ao que nos deixa seguros.

    ResponderExcluir
  44. Depois de todas nossas aulas que contaram com o estudo de várias teorias que explicavam um mesmo assunto ficou ainda mais claro como a diversidade de pontos de vistas podem ser incríveis. Foi mostrado não só teorias, mas também suas limitações. Não julgamos qual errada e qual era certa, até porque isso não faria sentido algum, nós apenas aprendemos sobre cada uma e como elas se encaixam em nosso dia a dia. Aprendemos a nos questionar sobre nossas pequenas atitudes diárias e como elas não são simples ações feitas sem motivo algum e acho que o texto fala um pouco sobre isso: ver o que está além do que vemos.

    Isabella Cristine
    RA 31425569
    PP manhã

    ResponderExcluir
  45. Depois de conhecer as possibilidades de definições e sentidos para tudo o que nos motiva, concluo que não existe percepção exata e absoluta. Somos mutáveis, construímos a todo instante um pedaço do universo que somos, alias, somos instantes! O questionamento deve ser constante.

    Maria Clara
    314123611
    PP manhã

    ResponderExcluir
  46. O estudo das teorias foi importante para explicar como cada uma delas serve mostrando como e porque, esclarecendo o sentimento do qual sentirmos podendo questionar e ter um olhar critico que ajuda entendermos e estudarmos melhor a motivação com base nas teorias e no que acreditamos realmente que nos motiva.

    Fernanda Proença
    RA:31427941
    PP Manhã

    ResponderExcluir
  47. O cético questiona tudo o que lhe é apresentado como verdade, questionando sempre nossos sentidos e conhecendo nossas verdades. Viemos de um universo onde podemos nos opinar e duvidar talvez de certas coisas. Podendo nos proporcionar novos conhecimentos e verdades.

    Thalita Souza
    PP Noite

    ResponderExcluir
  48. Como foi dito em sala, precisamos ter alguma motivação até para nos levantar da cama todas as manhãs, é através dessa motivação que buscaremos respostas para nosso crescimento pessoal e profissional, nos deparando com o ceticismo ao colocar em duvida nossas teorias e questionamentos a fim de avaliarmos o que acreditamos e a busca pela compreensão de nós mesmo e dos fatos a serem questionados.

    Cibele Rayane
    PP Noite

    ResponderExcluir
  49. O estudo das terias nos leva a questionar muitas coisas e isso é muito importante.. Com isso nos descobrimos novas coisas e passamos a enxergar o mundo de uma nova forma.. Nos somos movidos a estímulos, não nos movemos sem algo nos motivando, para dar um passo necessitamos de algo para nos fazer seguir.

    Roberta Rocha
    PP Noite

    ResponderExcluir
  50. Túlio Chagas de Freitas24 de abril de 2017 07:03

    Nas aulas sobre motivações entendi que cada indivíduo tem sua motivação, de acordo com sua forma de pensar, nas crenças, no estilo de vida em geral que levamos. Mas para ter motivação "eu preciso ser ceticista", essa teoria se relaciona com a motivação, pois essa teoria nos instiga a ir atrás de respostas e perguntas, tendo que haver um certo equilíbrio entre motivação e teoria ceticista.

    Túlio Chagas/Manhã/5°período

    ResponderExcluir
  51. Carine Loize de Oliveira
    31522526
    PP - Noite
    Aprendemos diversas teorias, e aprendemos que nenhuma delas pode ser considerada como verdade absoluta.
    E, é ai que entra o ceticismo que é muito importante, pois é ele que irá nos fazer analisar o que é melhor para cada situação, exatamente por não haver  uma verdade absoluta. 

    ResponderExcluir
  52. Depois desse tempo tendo discutido bastante esse assunto, minha maior lição é a semelhança entre a neurociência e a filosofia. Apesar da neurociência abranger uma boa parte dos seus conceitos aplicados nos seres humanos, vemos que sempre haverá exceções em um ou outro caso. Ás vezes parecem simples mas sempre fugirá da regra em um caso ou outro. A analogia que faço com a filosofia, é que, na filosofia temos um estudo constante e nunca uma verdade absoluta, sempre encontraremos novas respostas e sempre que procurarmos encontraremos coisas novas e quebraremos o óbvio.
    Douglas Rocha, PP noite, RA 31425574

    ResponderExcluir
  53. Tamires Cassandra
    PP/Manhã

    Nas aulas sobre motivação foram nos apresentadas várias teorias a fim de saber o que move o ser humano.
    Lendo esse texto, podemos perceber a importância do ceticismo no estudo do ser humano, da filosofia, da ciência, etc.
    O ceticismo na medida ideal pode nos auxiliar na evolução dos estudos e a descobrir novos dados. Pois se desconfiamos um pouco da verdade, caminhamos para descobrir mais uma “verdade”.

    ResponderExcluir
  54. A motivação serve não só para a publicidade, mas também para a nossa evolução. A espécie, em diversos fatores, se motiva sempre além do que já conhece para obter novas conquistas e isso faz com continuemos na procura da satisfação, que ao realizada, não passa apenas de um objetivo atingido.
    Esta motivação de sempre estar motivado, também se aplica ao cético, já que ele busca em seus conhecimentos razões para não acreditar em diversas teorias e se motiva a quebrar os padrões das teorias existentes.

    ResponderExcluir
  55. O questionamento é essencial para o ser humano, e é o que nos move todos os dias, então, nos agarramos ao que nos deixa seguros.O estudo do cérebro é muito complexo, todos os seus receptores e ligamentos complexos hoje são campo de discussão que podem sim ser estudados em comunhão com a psicologia evolucionista

    ResponderExcluir
  56. A partir do texto acima e de tudo que aprendemos na sala de aula podemos extrair que o ser humano é movido por motivações e precisa sempre questionar para conseguir compreender as coisas.

    ResponderExcluir
  57. A partir do texto e dos estudos em sala, chego a conclusão que a motivação é indispensável e primordial na nossa vida, como ser humano. Somos direcionados pela motivação, independente de sua origem, pois cada indivíduo é, direta ou indiretamente, movido por algo.

    Deborah Pimenta 5 período

    ResponderExcluir
  58. DEPOIS DE ESTUDARMOS VÁRIAS ESCOLAS COMPORTAMENTAIS A RESPEITO DA MOTIVAÇÃO, É CLARO QUE NOS FAZ PENSAR, REFLETIR, ANALISAR E BUSCAR RESPOSTA PARA TUDO.
    SÃO VÁRIAS TEORIAS E ESTUDOS QUE NOS FAZEM VIAJAR, ÀS VEZES SAIR DA REALIDADE. TODAS AS ESCOLAS ESTUDADAS TÊM AS SUAS VERDADES, MAS ISTO TUDO TEM TAMBÉM AS SUAS VARIÁVEIS.
    EXISTE A FORMA COMO FOMOS EDUCADOS E CRIADOS, A CULTURA EM QUE CADA UM CRESCEU, A SOCIEDADE NOS COBRANDO SERMOS IGUAIS A UM PADRÃO, ENTRE OUTRAS VARIÁVEIS.
    POR ISSO É SEMPRE BOM TERMOS DÚVIDAS EM RELAÇÃO A TUDO E TODOS. SÓ ASSIM SEREMOS MOTIVADOS A DESCOBRIR NOVAS COISAS, NOVOS CONCEITOS, SÓ ASSIM TEREMOS CURIOSIDADES E SEREMOS MOTIVADOS A BUSCAR CONHECIMENTO, ATUALIZAÇÃO, ADAPTAÇÃO E MUITO MAIS.

    ResponderExcluir
  59. Com todos os estudos sobre a motivação, podemos concluir que ela esta totalmente relacionada com a evolução do ser e como ele se comporta. Nossas motivações vão sempre atualizando de acordo com nossas experiências, dia-a-dia e influências. É necessário questionarmos nossa vida para entendermos o que nos motiva e quais caminhos e escolhas devemos tomar.

    Cássio Antunes - 31321479

    ResponderExcluir
  60. Dêniel Fonseca
    RA 31429353
    Levando em consideração todos os estudos em sala e o texto acima, não restam dúvidas que o fator dominante das nossas atitudes e decisões são diretamente formados pelas nossas motivações.
    Todas as teorias, ainda sendo opostas umas as outras, nos ajudam a pensar e entender não só o consumidor na nossa profissão, como também a nós mesmos como indivíduo.
    E o estudo de todas as teorias, sem considerar nenhuma como "verdade absoluta" é de grande valia e nos permite observar as situações de vários ângulos. E isso é uma característica útil do ceticismo citado no texto.

    ResponderExcluir
  61. Apos os estudos sobre motivação ,percebemos que estamos em mutação constante e sempre somos motivados e influenciado por diversos fatores, essas influencias nos forção a se readaptar o tempo todo, e sempre teremos um aprendizado novo.
    Os estudos também nos levaram a pensar mais e a olhar de uma forma mais analítica do que estamos fazendo de nossas vidas.

    ResponderExcluir
  62. Bárbara Contin
    RA:31514038
    Penso que todo conhecimento está previamente relacionado com uma hipótese e que ela pode ou não ser comprovada através de uma experimentação, estudo ou lição, normalmente proveniente de alguém ou algo que já o conhece. Ou seja, normalmente é necessário uma base para adquirir um novo conhecimento ou comprová-lo, mesmo que este possa ser algo mutável, nos fazendo adaptar sempre. O grande agente que nos faz obter conhecimento, procurar sua origem e fazer vivenciá-lo é a motivação, que se faz presente o tempo todo em nossas vidas.

    ResponderExcluir
  63. Podemos tirar que a neurociência tem uma pequena semelhança com Behaviorismo, que tem evoluído e tem ajudado muito no marketing. Porém não podemos nos esquecer da psicologia, pois o ser humano é um ser complexo e aplicar apenas uma teoria não necessariamente levaria o sucesso da campanha. Bernardo Gouveia RA: 317123237 - 6º Período manhã.

    ResponderExcluir
  64. Elaine Luiza de Almeida25 de abril de 2017 15:59

    Afim de evoluir os entendimentos sobre os estudos do que motiva cada indivíduo, foram utilizadas várias linhas de pensamentos e teorias.
    Para que cada teoria fosse escrita, foi necessário que o pensador tivesse um pouco de ceticismo com relação a corrente de pensamento do teórico anterior, para que assim, desenvolvesse sua teoria.
    O fato de ter várias linhas de pensamentos não significa que tem alguma certa ou errada, mas nos mostra o quando equilibrar o ceticismo nos leva adiante.
    Elaine Luiza de Almeida – 5° período – Matutino.

    ResponderExcluir
  65. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  66. O questionamento é imprescindível, ele que nos motiva e faz pensar e tentar encontrar respostas para tudo o que pensamos. A população muda de comportamento conforme o tempo e, a publicidade tem sempre que atualizar e acompanhar as mudança analisando o comportamento de seus consumidores, o consumo, os impulsos e desejos.

    Paulo Grossi.
    Noite.

    ResponderExcluir
  67. Refletimos sobre várias concepções de pensamentos e teorias sobre a motivação. Em cada um de nós há motivações diferenciadas e o ceticismo nos leva a ter um autodomínio, um equilíbrio das mesmas.
    Bruna Miranda - PP manhã

    ResponderExcluir
  68. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  69. O ceticismo nada mais é que uma formal de filtrar as informações do mundo, e assim analisar e distinguir o que e verdade ou mentira de acordo com os conhecimentos e a ideologia de cada individual. Um exemplo de ceticismo muito claro na historia humana, são as religiões, onde as pessoas eram, e ainda são duvidosa diante a outras doutrinas.

    José Lucas Barbosa
    5º Período matutino

    ResponderExcluir
  70. É nítido a importância da relação entre a motivação, comunicação e a evolução, como elas se relacionam e se preenchem, onde explica muita coisa na nossa vivencia como futuros publicitários e seres humanos. E muito fácil se aplicar os estudos no nosso cotidiano e na nossa existencia.

    Caroline Inaibes 314211494

    ResponderExcluir
  71. Entender os processos de aprendizagem e como eles vão influenciar nas mais diversas tomadas de decisão nos mostram um caminho complexo em relação a neurociência. O estudo do cérebro é e é um campo de discussão que pode ser estudado em comunhão com a psicologia evolucionista.

    Paulo de Carvalho Lopes Penaforte
    31417475

    ResponderExcluir
  72. Céticos já buscam em seus conhecimentos razões para não acreditar em diversas teorias, quebrando padrões existentes. O estudo do cérebro é muito complexo, todos os seus receptores e ligamentos complexos hoje são campo de discussão que podem sim ser estudados em comunhão com a psicologia evolucionista.

    John Warlley Peres da Cunha
    31326749

    ResponderExcluir
  73. Não existe uma ciência exata, que prova o que realmente nos motiva.Então estamos sempre em questionamento,buscando o que nos motiva diariamente.

    Natália Soares
    PP-Noite

    ResponderExcluir
  74. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  75. Em meio a tantas teorias e supostas analises explicativas a respeito do comportamento humano e do que somos formados, acredito que não existe a opção mais correta que justifique nossas ações. Tudo é uma questão de percepção e adequação. As motivações são particulares e movidas por instintos pessoais e o questionamento sempre leva a descobertas maiores e melhores relacionadas a nossa evolução. De forma geral, acredito que o analisar o comportamento humano é falar de comunicação como um conjunto de opiniões e possíveis discussões.

    Larissa Freitas
    6° período - noite.

    ResponderExcluir
  76. Quando se desacredita total ou parcial de tal fato, podemos ir a busca de respostas mais satisfatórias. E o fato de não atingirmos certeza alguma sobre as coisas requer que tenhamos dúvidas a respeito da verdade. Razão pela qual o Ceticismo torna-se uma forma de motivação. Mas deve-se atentar para não haver exageros. Nesse caso, o ceticismo é uma boa ferramenta para auxiliar na motivação.
    Se vc desacredita de algo e acha q não exite uma verdade absoluta, vc vai em busca de algo q te satisfaça mais do que o q vc encontrou gerando motivação para atingir tal objetivo. E uma pessoa q é incredula ela quer provar sempre o oposto do que os outros acham que é verdade, de certa forma impulsiona a pessoa a ir atras de outras respostas.
    O ceticismo profissional é também influenciado pelo comportamento pessoal, incluindo motivação e competências e é por isso que a educação, a formação profissional e a experiência do auditor são importantes.

    Bárbara Leite
    PP- Noite
    314110521

    ResponderExcluir
  77. Que ainda não tem uma formula certa, há importância em ser cético até mesmo para não se acomodar com oque é lhe dado, como é importante ponderar a hipótese para que possa abrir novos caminhos de pensamentos e pesquisas.

    Leandro Henrique
    R.A 31425581

    ResponderExcluir
  78. O texto nos lembra do valor paralisante que o ceticismo exerce sobre as pessoas, a medida que estagna pensamentos e até mesmo ações. Já que uma vez que se acredita que não se acredita em nada, qual o motivo de continuar fazendo perguntas?
    Por outro lado, o ceticismo usado como ferramenta de pesquisa, ao invés de religião, faz com que exercitemos a falta de crença a fim de chegar a outros pensamentos e outros conceitos. Pode funcionar como uma das peças do motor que nos moverá adiante.

    ResponderExcluir
  79. O texto nos lembra do valor paralisante que o ceticismo exerce sobre as pessoas, a medida que estagna pensamentos e até mesmo ações. Já que uma vez que se acredita que não se acredita em nada, qual o motivo de continuar fazendo perguntas?
    Por outro lado, o ceticismo usado como ferramenta de pesquisa, ao invés de religião, faz com que exercitemos a falta de crença a fim de chegar a outros pensamentos e outros conceitos. Pode funcionar como uma das peças do motor que nos moverá adiante.

    Noturno
    315114175

    ResponderExcluir
  80. Que não podemos ser ceticistas completos, nem mesmo seguindo uma das teorias comunicacionais. O estudo dessas teorias nos fazem refletir e entender melhor como funciona o comportamento humano e suas ações, já o nosso cetisismo, comum de todas as pessoas, ajudam a acreditar e entender essas teorias ou não.

    Felipe Martins
    RA: 31425580

    ResponderExcluir
  81. O texto juntamente com as nossas aulas nos faz refletir em como até mesmo o ceticismo que na teoria parece que não irá nos levar a nada pode ser uma forma de motivação. Afinal aquele que tudo crê sem sequer questionar deixa de ter um pensamento crítico sob tal assunto.

    ResponderExcluir
  82. O ceticismo tem sua importância porém nada em exagero. É necessário se questionar, refletir e não acomodar com o que é dado. Em relação as analises a respeito do comportamento humano, penso que não existe apenas uma opção correta.

    R.A: 31426982

    ResponderExcluir
  83. Bruno Duarte
    31420758

    Ceticismo em excesso com certeza é negativo, devemos ter um equilíbrio, até por que crer em tudo não é o ideal, a dúvida faz parte da nossa existência, e nos trás mais motivações

    ResponderExcluir
  84. É fato que o ceticismo é apto por grande maioria na sociedade. Temos com toda a certeza nossas dúvidas em relação a várias coisas que se dizem respeito a crenças e existências surreiais. De fato a dúvida assombra a todos, mas o ceticismo em excesso pode nos prejudicar a tomar iniciativas.

    ResponderExcluir
  85. Depois de estudar tantas teorias penso que a melhor lição que tiramos é que ninguém está com a verdade absoluta, mas todos buscamos verdades o tempo todo, inclusive a Neurociência. Somos seres incríveis que aos poucos estamos nos descobrindo, a medida que o ser humano vai amadurecendo e descobrindo mais sobre ele, saímos da caixinha que o sistema tenta nos aprisionar em busca da nossa liberdade de pensar, de viver e de escolher. Silvia de Lima Reis, 7 Período noite, 314118499. Turma comportamento do consumidor manhã.

    ResponderExcluir
  86. Acredito que o ceticismo nos leva à busca de um pensamento crítico sobre todos os assuntos. Também é importante dizer que esta característica (ceticismo) se bem dosada pode entrar no ramo de motivações.
    A pessoa se sente motivada a buscar e desvendar algo porque é cética e curiosa. Neste caso a motivação não seria para provar algo para alguém, mas para si mesmo como uma busca constante e complexa.

    Izabella Cunha Borges
    RA 31425800

    ResponderExcluir
  87. Após ter conhecimento de várias visões distintas só me provou que o ceticismo é sim necessário, não existe receita de bolo ou verdade absoluta, existem modos de se deduzir, de se testar e descobrir as várias maneiras que possivelmente possa motivar alguém. De certa forma são rótulos e sub rótulos, infinitas caixinhas que não se pode encaixar em todas e nem em uma só.

    Mariana Clemente
    RA:314111928

    ResponderExcluir
  88. O extremo é prejudicial, mas ceticismo é importante, questionar e construir um senso critico é importante e proporciona ao ser humano uma descontrução social libertadora e ajuda na identidade de cada ser. Um fator a se pensar também é que isso torna ainda mais desafiador e interessante criar motivações.
    Deborah Rhuama
    ( ra:3125176553)

    ResponderExcluir
  89. Questionamentos são a porta de entrada para toda mudança e evolução. Indivíduos confortáveis com algo não buscam mudanças, mas permanecem estacionados. Mas àqueles que se sentem desconfortáveis em algum momento, procuram respostas, as encontram e decidem como pensar a partir disso. E são de pessoas assim que o mundo é feito e motivado a evoluir, positivamente, ou não. 314113261 pp noite 6

    ResponderExcluir
  90. A lição, como tudo na vida, é equilíbrio. O ceticismo é importante, mas a polaridade da certeza extrema é prejudicial também. Desacreditar em tudo e questionar tudo é estressante e traumático. Além de fazer com que o ser humano fique estático.
    Ana Clara Lopes
    31425713
    Noite

    ResponderExcluir
  91. Gustavo Fortunato29 de junho de 2017 10:18

    Depois das aulas de comportamento do consumidor pude compreender melhor a respeito de quem somos, como agimos e como somos influenciados.
    Ter crenças diferentes em uma sociedade tão plural quanto a nossa é natural por diversos fatores, entre eles a cultura e a religião.
    A Neurociência é complexa pois tenta "entender o homem". Através dela é tratado a singularidade de cada individuo e do grupo que ele pertence.
    É extremamente importante para entendermos o comportamento do consumidor e tomar direções em nossas campanhas e ações comerciais/publicitárias.

    Gustavo Fortunato
    317112860

    ResponderExcluir