terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Motivando bem para motivar sempre: Exemplos de empresas que usam técnicas de incentivo que vão muito além do bônus e da multa

 
Por Rafael Tonon - Revista Galileu - Edição 239 - Junho/2011

GOOGLE
A companhia de Sergey Brin e Larry Page oferece um ambiente de trabalho totalmente informal: poucas regras, horário flexível, lazer no escritório etc. Tudo para deixar a motivação dos caras — que, afinal, trabalham com ideias e projetos criativos — a mil. A última foi contratar 200 bodes e cabras para cuidar da grama da sede da empresa em Mountain View, na Califórnia. "Eles são bem mais bonitinhos e custam o mesmo que máquinas de cortar grama", justificou um dos gerentes.

FACEBOOK
Criada e dirigida por jovens, o Facebook é um case interessante: para manter o sucesso de uma rede social com mais de meio bilhão de usuários, os profissionais (a grande maioria na casa dos 20) mudam muito de funções, agregados a novos projetos. Os setores são organizados em times, e não por hierarquia. Não existe controle, horários, muitas regras. Há, na sede, quadras de basquete, mesa de pingue-pongue, pufes. Cansou de trabalhar? É só ir jogar uma partida e voltar depois.

37SIGNALS
Fundada pelos programadores Jason Fried e David Heinemeier, a empresa americana virou referência. O segredo: autonomia, principalmente no que se refere ao tempo. O colaborador ter que sair no meio do expediente por duas horas para ver a filha na apresentação de balé é mais importante para a vida dele do que responder e-mails nesse período. Essa é a filosofia da companhia, que está sendo vista como uma nova forma de olhar (e motivar) para o trabalho: trabalhar menos para trabalhar melhor.

MEDDIUS
Ligada ao ramo de softwares, a empresa do sul dos EUA resolveu seguir os preceitos de Rowe (results-only work environment, ou ambiente de trabalho focado em resultados). As pessoas têm total liberdade: vão para o trabalho quando querem, e se querem. O que importa são os resultados. Isso tudo para criar as melhores condições para as pessoas fazerem seu próprio trabalho. A liberdade de aproveitar a semana de frio para ficar trabalhando de casa é daquelas que qualquer funcionário valoriza.

Prezadas e Prezados, façam um link com o que discutimos em sala de aula sobre motivação ou (caso não se lembre de nada!) dê apenas sua opinião. Mas pensem que tudo tem seu lado ruim...

35 comentários:

  1. Um fator importante para qualquer ser humano é a motivação, sem ela ninguem é capaz de produzir nada. Essa motivação nos leva a pensar em independência, dinamismo, dinheiro, engajamento e conhecimento, pois sem isso o indivíduo não sobrevive. Ela leva nos leva a persistir num comportamento orientado para um obejtivo possibilitando a transformação da siatuação. Por isso as empresas grandes de hoje em dia estão trabalhando ne questão psicológica do ser, pois se há motivação, há desempenho, é algo fundamental para todos. Sendo assim estas técnicas de incentivo já são "bonus" tanto para as empresas quanto para quem trabalha nela.

    ResponderExcluir
  2. Na tentativa de fazer o melhor para a empresa e seus integrantes, algumas corporações vêm implantando projetos para seus colaboradores, como pausa para videogame ou flexibilidade de horário, o que é ótimo para o colaborador não se sentir tão forçado a cumprir suas tarefas e acabar cumprindo-as com a cabeça, de certo modo, relaxada. O lado ruim disso, é que existem pessoas que "não sabem brincar" e se aproveitam disso para fugir das obrigações. Sou um dos que defendem a opinião de que se não atrapalha o rendimento no trabalho, então OK; a motivação está funcionando.

    ResponderExcluir
  3. As empresas sempre estão às voltas com metas, relacionamentos, vendas, dificuldades, sucessos, e é claro, motivação, seja ela interna ou externa, mas que sempre influencia nos seus resultados. Em virtude do “caos” moderno que vivemos hoje, com muita pressão, estresse e informação, os indivíduos encontram-se cada vez mais “sem rumo”, muitas vezes sem referencial, e outras tantas sem motivação, e as empresas precisam desta para ter resultados positivos e satisfatórios. Frente a isso, é muito importante que elas estejam atentas às necessidades dos seus funcionários/colaboradores, e mais do que isso, é importante descobrir o que os motiva, e como aplicar isso no ambiente de trabalho, fazendo as adaptações necessárias, uma vez que nem todas as empresas podem dispor, por exemplo, de mesas de ping-pong ou videogames em suas locações. Seria quase que com uma pirâmide de “Maslow em ação” dentro do local de trabalho, que pode ser extremamente eficaz, quando feita de forma eficiente e aplicada. Acredito que as empresas que buscam atender a essa demanda cada vez mais real e crescente, têm maiores e melhores condições de manter empregados satisfeitos e isso certamente reflete nos resultados pretendidos.

    ResponderExcluir
  4. Liberdade e libertinagem,palavras presentes no cotidiano empresarial.

    Mente descansada rende mais. É comprovado que o aumento da produção é diretamente proporcional a satisfação do funcionário http://migre.me/88WyE , vale agora descobri se a liberdade não interfere no respeito entre as hierarquias da empresa. Uma sala de descanso e liberdade para ir ao aniversário do sobrinho são atrativos para a classificação de melhores locais para trabalhar. Importante também é não perder o foco da produção e garantir a qualidade do serviço prestado.

    ResponderExcluir
  5. Motivar um funcionário aumenta muito a chance do retorno esperado pela empresa.Ficamos motivados quando nos sentimos úteis e importantes, quando sabemos que somos reconhecidos e usados. Desta forma a qualidade e velocidade do êxito dos projetos dependem da participação plena do grupo, do saber como usa-los e integra-los, para obter o grau do comprometimento necessário.Por outro lado, a empresa deve fazer um acompanhamento detalhado se essas "regalias", se estão trazendo realmente benefícios a empresa e ao funcionário.

    ResponderExcluir
  6. As empresas estão percebendo esse valor que é a motivação, esse método é usado muito em países desenvolvidos justamente por ter esse entendimento do funcionário de que o trabalho tem que ser feito seja ele em casa ou no local de trabalho e por essa razão tem toda liberdade de fazer suas tarefas do melhor jeito possível, e quando isso e potencializado dentro de uma empresa o resultado e sempre gratificante e positivo. Aqui no Brasil o valor esta no resultado final o lucro e não dão atenção e um feedback no funcionário, onde a falta de motivação faz com que o período de produção seja mais lento, repetitivo e desgastante desencadeando o desanimo e a falta de compromisso com a emprese, mas o empresários brasileiros começam a evoluir e pensar de forma diferente que funcionário satisfeito e resultado positivo e criativo para qualquer segmento de empresa e lucro é certo.

    ResponderExcluir
  7. Karoline Miranda Barreto5 de março de 2012 12:50

    Para o funcionario trabalhar satisfeito, é necessario que ele se sinta bem no ambiente de trabalho. trabalhar sobre pressao, com alguma preocupação fora do serviço ou ate estressado só atrapalha seu rendimento. Esses novos meios do trabalhador cumprir seu serviço é excelente! Tras mais rendimento e o retorno com certeza só pode ser satisfatorio. Mas é importante que o funcionario nao passe dos limites, afinal ele ta aki para trabalhar!

    ResponderExcluir
  8. Percebe-se que o modelo de relacionamento entre patrões e empregados está mudando rapidamente. Isto está acontecendo porque as empresas estão percebendo que a regra que vale para seus clientes, também vale para seus colaboradores, valorizar para ser melhor correspondido. Seja nos negócios, seja nas relações profissionais interpessoais, existe uma tendência de se ouvir mais, de dar mais espaço, principalmente para o lado pessoal. Infelizmente essas novas mudanças ainda estão restritas a poucas empresas, em especial as que lidam com novas tecnologias e internet. Um claro sinal de quê a criatividade inerente nestes negócios,está ligada diretamente à qualidade de vida, um fator muito valorizado nestas empresas. Empresas que querem manter o perfil de estarem sempre a frente de seu tempo, fazem deste modelo de relacionamento profissional um diferencial, para com isto atrair os melhores profissionais disponíveis no mercado.

    ResponderExcluir
  9. Hoje já é consenso entre as empresas, que um funcionário motivado e feliz, rende muito mais que um funcionário pressionado e infeliz, e alem do próprio rendimento no desenvolvimento das atividades um funcionário motivado é apaixonado pela empresa e sempre vai falar bem dela e assim sempre vão ter pessoas querendo trabalhar na mesma. Quando a empresa inverte a relação, colocando a responsabilidade sobre o horário e o resultado na mão do funcionário, o mesmo sente valorizado.

    ResponderExcluir
  10. As empresas estão quebrando o molde engessado do capitalismo de pagar por hora e estão investindo em resultados. No caso da matéria acima, a motivação principal é mais o emocional do colaborador do que o financeiro. O que pode funcionar e muito já que a motivação financeira é muitas vezes direcionada para entretenimento, família etc. Muitos dos momentos que esse novo modo de ver um trabalho proporciona ao indivíduo.

    Além de status, salário e crescimento profissional, temos aqui uma nova motivação: o afastamento do estresse, da pressão do trabalho convencional, que, principalmente na área de criação acabam por limitar bastante o resultado final dos trabalhos desenvolvidos.

    ResponderExcluir
  11. A satisfação no trabalho, no consenso de muitos, é estruturada por três pilares: ambiente de trabalho, possibilidade de crescimento e salário, necessariamente nessa ordem.

    Podemos perceber que o salário não está em primeiro lugar, pois de nada adianta ganhar bem se você não se sente bem em seu local de trabalho (onde você passa a maior parte do dia), não tem um relacionamento interpessoal bacana com seus colegas e principalmente se esse trabalho não te acrescenta nada como pessoa nem como profissional.

    A empresa que dá essa liberdade e essas possibilidades no ambiente de trabalho (citadas nos exemplos do texto) tem como objetivo incentivar os seus funcionários para que esses se sintam motivados a trabalhar. Uma pessoa que gosta do que faz e se sente feliz com o trabalho com certeza produzirá mais e melhor. O incentivo, portanto, pode ser visto como um investimento que vai gerar resultado para a própria empresa.

    ResponderExcluir
  12. Pena que não tenha nenhum exemplo nacional eu iria direto pra la!rsrsrs
    Esses métodos poderiam ser adotados por todas as empresas, além do bem estar dos funcionários, fatores como o trânsito também seriam amenizados, imaginem nada mais de horário de pico... e o principal mais saúde para as pessoas, sem trabalho massante...

    Marianne Drummond

    ResponderExcluir
  13. Andrezza Magalhães7 de março de 2012 19:18

    Sou total a favor das empresas aderirem este método, do qual, sem dúvida ira trazer mais rendimento a empresa. O trabalhador ser "motivado" e "reconhecido" algo que, ainda não é uma realidade constante mas que sabemos ser real, é uma importante iniciativa. "Estimular" positivamente seja como for é extremamente importante para o bem estar físico e mental do "ser humano". O funcionário se sentindo bem no ambiente de trabalho e ainda sendo motivado ele produzira melhor. Lembrando-se sempre da sua real função e sendo ético naquilo que faz; só vejo benefícios para ambos!

    ResponderExcluir
  14. O homem, é um ser que necessita de movimento, ele interage com tudo que existe ao seu redor. No entanto por muito tempo, houve uma separação entre momento de lazer e o trabalho, ambos eram vistos como situações opostas. E essa cultura de seriedade no trabalho se propagou por muitos anos.

    Atualmente as empresas estão mais preocupadas com a qualidade de vida de seus colaboradores, afinal, um profissional saudável fisica e intelectualmente produz mais e melhor, portanto o lazer tem sido visto com uma válvula de escape, um atenuador do stress diário.

    Por isso se tem adotado em muitas organizações o uso de jogos, de espaço para descanço, ginastica laboral entre outros, que tem gerado muitos resultados positivos, como promoção da interação entre colegas de trabalho, entretenimento e valorização pessoal.

    A eficiência dessas práticas são inquestionáveis, o problema é como esses programas são implementados e quais as estratégias serão usadas para manter o bom senso dos trabalhadores. Em muitos casos estes são suspensos por abuso e uso irresponsável dentro da empresa.

    Implementar ou não estas estratégias não é a duvida, mas o grande entrave é como gerenciar após essa implementação.

    Cristiane Gomes

    ResponderExcluir
  15. Trabalho atividade física ou intelectual, o objetivo do trabalho é transformar ou obter algo.
    O mundo foi desenvolvido através do trabalho individual ou coletivo, porem nem sempre foi remunerado ou reconhecido como de fato teria de ser, já tivemos trabalho escravo uma ferida na sociedade que até os dias de hoje esta aberta em locais como na agricultura, extração de minerais, madeira e em algumas empresas maquiadas pelo sistema.
    As motivações para o trabalho estão sempre ligados ao bem estar e busca por uma melhor qualidade de vida ou recolocação de classe social.
    O incentivo vem mudando de tempos em tempos, férias remunerada aumento de salário, decimo terceiro salário, viagens e prêmios. Porém como vimos nos textos acima hoje temos como incentivo a flexibilidade de horário. Lembrando que todo incentivo tem uma cobrança e aqui o cobrado é maior produtividade.

    Eduardo Trindade

    ResponderExcluir
  16. Em meio ao caos em que o mundo moderno se encontra, nada melhor do que ir no fluxo contrário e promover um alívio da pressão dentro do ambiente de trabalho, assim tornando o trabalho não só uma obrigação de quem precisa pagar as contas. o ser humano é movido à motivação e muitas vezes a motivação está ligada ao bem estar e à constante busca por melhor qualidade de vida.

    O incentivo, nos moldes citados acima, desde que feito com resposabilidade, é um grande exemplo de como as pessoas são e devem ser adaptaveis às contates mudanças em que encontramos no mundo moderno!

    ResponderExcluir
  17. Não sei se acho isso uma utopia, um risco imenso ou um 'barato', pois são vários fatores a serem considerados:
    1º no ramo da programação, esse tipo de interação e regime de trabalho é bem mais fácil de ser implantado, visto que 90% do serviço é on line;
    2º não é inerente ao brasileiro essa liberdade no local de trabalho, o que pode acarretar respostas inesperadas, seja pra aceitação e dedicação, seja pra malandragem;
    3º Assim como todo projeto inovador tem riscos, tem também o período de implantação e adaptação, e num país onde nem mesmo a proposta de Lei de carga horária reduzida [07 horas ao invés de 08 diárias] foi discutida e aprovada, como implantar com sucesso uma ideia revolucionária como essa? Como fazer os patrões enxergarem benefícios nisso?
    Como vimos o incentivo é externo, mas a motivação não [vem do inconsciente]. O que motiva um funcionário, pode não motivar o outro. Entender e adaptar isso para nossa realidade, além de adequar à nossa cultura é que é a grande sacada.

    ResponderExcluir
  18. Incentivos são sempre bons. Nos motiva a realizar com maior eficiência nossa função. O incentivo pode partir de uma premiação ou até mesmo de sair pra jogar golfe ou ficar em casa, essa liberdade concedida nos "liberta" do velho modelo de trabalho escravo,de autoritarismo. Contudo,no Brasil certamente esse tipo de incentivo não seria satisfatório principalmente para as empresas, a liberdade de buscar inspiração, disposição, a própria liberdade de fazer seu horário enfim tudo isso seria transformado em libertinagem.

    ResponderExcluir
  19. Lidiane Fátima Diniz14 de março de 2012 10:39

    Hoje em dia, as empresas estão adotando novas estratégias para a valorização do profissional separando ambiente de trabalho e horário de lazer. O profissional que trabalha sob pressão, com horários rigorosos, cansado e estressado não desenvolve bem a sua função. Uma mente tranquila consegue pensar, trabalhar melhor e com certeza o seu trabalho irá render muito mais. A qualidade de vida é um fator essencial dentro de uma organização.
    As empresas precisam analisar uma forma para gerenciar este novo método para que a organização não saia do controle e para não atrapalhar o rendimento dos colaboradores. É preciso organizar os horários para não acabar afastando demais o funcionário da empresa. Ir assistir a uma apresentação do filho ou prestigiar algum outro evento familiar deve ser super gratificante, mas que isso não caia na rotina. Trabalho é Trabalho!

    ResponderExcluir
  20. Tudo e todos que estão a nossa volta são produtos do tempo e do meio em que está inserido. Em um mundo de jovens e que começa a ser governado por esses mesmos jovens hierarquias e controle de tempo são situações que cada vez mais não condizem com o mundo e sua configuração contemporânea. A palavra de ordem é ócio criativo. O fazer no trabalho, cada vez mais se confunde com prazer, ainda que muitas empresas não tenham entendido essa realidade. Mas já é uma tendência que representa uma realidade cada vez mais próxima. Não se trata de motivar, pois a motivação é totalmente subjetiva,.não podendo ser tarefa do outro, ainda que este outro seja uma empresa ou corporação. E é disso que trata o texto nas entrelinhas, em que empresas jovens, comprometidas com seu tempo, e, quebrando paradigmas, traz uma realidade diferente em relação ao trabalho, esta sim representante por excelência do século XXI.

    ResponderExcluir
  21. Motivação é uma palavrinha muito usada no ambiente corporativo, mas poucas empresas sabem realmente o seu significado. Hoje em dia, as empresas que tiveram a "sacada genial" estão se dando muito bem, fidelizando seus colaboradores. Parte-se do princípio de que o que importa são os resultados que estes colaboradores estão trazendo para a empresa, e não o tempo registrado em seus pontos. Hoje o capital de giro é o conhecimento e, para que ele não seja prejudicado, os profissionais precisam de válvulas de escape. Precisam daqueles momentos em que "maçãs cairam em suas cabeças" e terão uma sacada genial. Lembrei de uma história que me contaram de um físico europeu que vivia mudando de cidade, país e continemte, tudo por conta de empresa... Ele era responsável por cálculos bizarros, equações dificílimas e tal. Só que ele não rendia dentro de um escritório. Ele ficava viajando, conhecendo culturas e lugares novos e sempre tinha alguma sacada em uma dessas viagens... Ou seja, ele rendia muito mais fora da empresa do que lá dentro. Sobre os jovens de hoje, somos hiperconectados, qualquer coisa que nos prenda aos moldes antigos não dará certo. Por isso o Google e Facebook são gigantes. Times trabalham juntos. A filosofia é cada um fazer a sua parte e o todo ser entregue. Por isso mudam de áreas com projetos diferentes... Enfim, a motivação está no saber lidar com a contemporaneidade da juventude completamente plugada e com a atenção dividida entre várias coisas.

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Para motivar seus colaboradores, as empresas tem várias estratégias para aliviar a tensão do dia-a-dia e promover momentos de descontração. Algumas agências de publicidade e rádios de Belo Horizonte possuem espaço de lazer com sinuca, televisão, jogos, e até mesmo uma flexibilidade nos horários onde os profissionais não tem a obrigação de trabalhar em um turno determinado. Busca-se aumentar o interesse de todos pelo trabalho e gerar independência. A parte mais difícil deve ser "Tomar as rédeas" de uma empresa na qual sua filosofia de trabalho é liberdade, onde muitas pessoas fazem uso desta de forma abusiva. A qualidade dos trabalhos deve ser priorizada e possibilitar que os funcionários sejam livres desde que executem suas funções de forma satisfatória, esta é uma boa opção que tem sido cada vez mais utilizada por empresas jovens e mesmo não sendo muito difundida em nosso país tem grande potencial, desde que os administradores saibam impor limites.

    ResponderExcluir
  25. Está cansado de chegar ao trabalho abrir sua caixa de e-mail e ter centenas de problemas para resolver? Seu chefe não para de cobrar planilhas e mais planilhas? Seus problemas acabaram... Bom, parece que em breve será assim os novos anúncios de empregos em muitas das grandes empresas espalhadas pelo mundo. A nova politica do “satisfeito no trabalho” chegou para ficar e vem rendendo bons resultados, a Google que o diga. Mas no Brasil isso ainda é uma realidade um pouco distante. Muitas empresas acreditam que adotar politicas como a do Google, Facebook entre outras pode causar atrasos e não execução do trabalho. Experimente comentar isso com seu chefe contar como eles fazem logo ele ira soltar um belo... “Eles têm dinheiro né?” ou então um “Você está querendo vir para o trabalho para brincar?” A cultura dos chefes brasileiros terá que passar por uma palestra, um treinamento mostrando números e resultados, (Só assim que muitos acreditam que pode funcionar), pois poucos deles acreditam que isso pode ser o grande “boom” que eles sempre querem que aconteça na empresa.

    ResponderExcluir
  26. A forma como é feita a gestão dessas empresas faz com que os funcionários se sintam mais motivados por não terem que encarar o horário de trabalho fixado e sim de acordo com a sua disposição.
    Ter essa flexibilidade com certeza é um grande motivador, ainda mais se tratando de funções que exige criatividade.
    Penso que somente em algumas empresas esse tipo de flexibilidade seja possível, sem que haja funcionários prejudicados.
    A convenção e padronização de alguns setores, como por exemplo, as áreas de saúde, defesa pública, que fazem plantão, não podem deixar de ter esse esquema de padronização. Por esse razão outros tipos de motivação são aplicados.

    ResponderExcluir
  27. Analisando as teorias apresentadas na sala, vemos que na verdade o que estas empresas oferecem para as pessoas são incentivos que fazem as pessoas valorizarem mais suas motivações pessoais para realizar um bom trabalho. Acredito que as empresas fazem isso com o objetivo, também, de transformar o labor em motivação pessoal dentro de cada um. Mas há um grande perigo nisto. As pessoas podem usar de má fé destes benefícios e consequentemente ser improdutivo no seu trabalho. A também o caso de acomodação, onde as pessoas se acostumam em adiar sempre pra amanhã ("já que eu mesmo faço meu horário") e não dar um resultado positivo. Acho que na sociedade brasileira isso é um risco, visto a cultura de sempre querer tirar vantagem além do que lhe é oferecido.

    José Lana Jr.

    ResponderExcluir
  28. Vejo no texto 2 lados da mesma moeda: o lado das empresas que desejam
    produzir para lucrar bastante e o lado dos funcionários que desejam
    ganhar dinheiro com um trabalho no qual gostem de fazer. Uai,
    motivação não é a base do equilíbrio psicológico do indivíduo? Pois é
    isso o que as empresas notaram que pode ser usado como estratégia de
    produtividade: colaborador alegre, em bom estado de espírito, que pode
    esfriar a cabeça quando for necessário, é muito mais produtivo.
    Acabaram-se os tempos modernos de Chaplin no qual o trabalhador era
    manipulado igual a uma máquina. O proletário aos poucos conquistou
    seus direitos, mas ao mesmo tempo a empresa conquista hoje formas de
    “cobrar” os deveres dele, mesmo que custe a ela a concessão de algumas
    regalias. Seria uma espécie de jogada de marketing dos gestores com os
    colabores, afinal a publicidade não utiliza de motivação para ganhar
    seu público-alvo?

    Clarisse Gontijo

    ResponderExcluir
  29. Na minha opinião, essas são as melhores formas de se trabalhar. Quando se fala em criatividade (no nosso mercado eu já escutei isso, não me lembro onde...) o ambiente favorece muito esse conceito tão subjetivo. O que deve ser inquestionável são apenas os prazos e objetivos. No mais, fiquem à vontade e surpreendam o cliente.
    Quanto a ser motivação, de acordo com os textos, atitudes como estas estão mais ligadas ao incentivo. Afinal, a motivação é o que faz as pessoas, primeiramente, trabalharem. Ok, as pessoas já estão motivadas, internamente, de acordo com o que querem da vida, a trabalhar. Agora sim, daremos incentivos para que trabalhem mais satisfeitas.
    A meu ver, e com base no texto, as políticas das empresas em questão são INCENTIVOS e não MOTIVAÇÕES, mas ainda assim, estão cobertas de razão.

    ResponderExcluir
  30. A motivação é importante para que os colabores tenham resultados eficazes, funcionários motivados tendem ser cada vez mais lucrativos para as corporações, a flexibilidade de horários acredito que ao longo prazo será muito viável no mercado , mas ainda não temos uma cultura de organização de trabalho em casa. Muitos acabam saindo do foco, por estarem em casa.
    Acredito um ponto importante na motivação é focar no ambiente de trabalho descontraído, que pode gerar grandes resultados, mas sempre atentos na disciplina.

    Daniel Carvalho

    ResponderExcluir
  31. A motivação dos colaboradores estará sempre ligada diretamente aos resultados, afinal funcionário infeliz é baixa produção na certa.

    Acredito que as empresa só trabalham esse lado, digamos social, por interesse próprio e não por que acordaram um belo dia e perceberam que o ser humano era a coisa mais valiosa do mundo; somos vistos como números dentro da empresa e no mercado.

    Se não como explica o indivíduo que acaba de ser demitido e ouve da empresa a seguinte frase: - Você não faz mais o perfil da nossa empresa!

    ResponderExcluir
  32. Um funcionario feliz e motivado = produstividade.
    As empresas trabalham o lado psicologico dos seus empregados e fazem com que seus funcionarios queiram dar o seu melhor para retribui-la.
    E importante apontar tambem que esse metodo nao se pode aplicar a todas as empresas e muito menos a todos os funcionarios. imagino tambem que nao deve ser muito facil para um funcionario qualquer ser contratado por uma empresa dessas. Pois para que uma emrpresa de a liberdade para um funcionario parar seu trabalho por uma hora ou duas para ir apenas jogar futebol para se desestressar ela deve estar muito segura que ele ira produzir melhor depois.

    ResponderExcluir
  33. Empresas como as citadas no texto oferecem aos seus funcionários, acima de tudo, um ambiente estimulante, em que o funcionário se sente parte do resultado. E é isso que acredito que deva acontecer em todas as empresas, administradores tentando fazer com que seus funcionários “sintam vontade” de fazer o seu trabalho, pois dessa forma aumenta-se a produtividade. Mas não há duvida de que o principal responsável pela motivação na vida do indivíduo é ele mesmo.

    Thales Albuquerque

    ResponderExcluir
  34. Fernanda Marques Furtado15 de abril de 2012 18:42

    A motivação pode ser definida como o impulso interno que leva à ação. Para as empresas é de grande valia manter o funcionário empenhado em obter resultados.
    As empresas citadas são referências no que se trata de motivação. Além de garatir que o funcionário perpetue no emprego, garante também, que ele faça o seu melhor.
    Porém, tanta liberdade, tanto autonomia tem seus problemas. A gestão de empresas como essas deve ser difícil. Empresa não é instituição de caridade. Os gestores precisam de retorno financeiro. Acredito que essas empresas devem trabalhar com algum tipo de avaliação de desempenho, para compravar que o funcionário está cumprindo seu papel.
    Outro aspecto negativo é que os funcinários podem ficar liberalistas demais. E nem sempre é possível largar de mão o sistema hierárquico, o que pode criar situações difíceis no ambiente de trabalho.

    ResponderExcluir
  35. Alberth Franconaid15 de abril de 2012 19:01

    Um dos principais elementos do endomarketing é com certeza a motivação. "Vestir a camisa" da empresa, "comprar" a ideia para depois vendê-la, desempenhar e se envolver são as maiores cobranças de muitos administradores. Mas há uma forma certa de fazer com que a equipe esteja sempre de prontidão.
    O texto cita até da empresa criadora do Facebook, onde não há hierarquia. Caso que eu chego a achar um extremo e uma opção arriscada, pois no caso de agências por exemplo, funcionar por sistema circular (sem hierarquia), pode ser prejudicial em um setor onde os prazos são tão preciosos e já é fácil perder o controle. Assim fica dificil encontrar o setor e responsável por uma demanda com erros, por um prazo que não foi respeitado.

    Aluno: Alberth Franconaid
    RA 0922610

    ResponderExcluir