segunda-feira, 15 de maio de 2017

'A gente somos inútil'

Escorregador em forma de vaso sanitário em exposição no Japão- Crédito: Issei Kato - 3.jul.2014/Reuters/Folha de S. Paulo
Por Hélio Schwartsman - Folha de S. Paulo - 14/05/2017

SÃO PAULO - Você sabe dizer como funciona a descarga do banheiro? Embora utilizemos esse equipamento mais de uma vez por dia, a maioria de nós é incapaz de explicar a física envolvida no despacho de dejetos. Não é nada muito complicado —trata-se basicamente do efeito sifão—, mas poucos de nós conseguem descrever como se dá a mágica. Coisas muito parecidas ocorrem para outros objetos cotidianos como o zíper. E nem vale a pena começar a falar de aparelhos realmente complicados como o forno de micro-ondas ou uma bomba atômica.

Sozinhos nós não apenas somos inúteis como também profundamente ignorantes. Com alguma licença poética, é essa a conclusão dos cientistas cognitivos Steven Sloman e Philip Fernbach, autores do fascinante "The Knowledge Illusion" (a ilusão do conhecimento).

Eles recorrem a exemplos e explicações evolutivas para mostrar que não estamos mentalmente equipados para guardar os detalhes de nenhum objeto ou situação individuais. Nossos cérebros só arquivam as grandes regularidades do mundo, deixando de lado particularidades. Mas, como a consciência da ignorância é imobilizante, nutrimos gostosamente a ilusão de que sabemos mais do que de fato sabemos.

Parece uma receita perfeita para o fracasso, mas nossa espécie não só não foi extinta como ainda conquistou o planeta e produz tecnologia indistinguível da mágica. Isso ocorre porque somos seres sociais. Enquanto indivíduos não sabemos quase nada, mas, como coletividade, conseguimos armazenar uma impressionante quantidade de conhecimentos, que depositamos em livros, grupos de especialistas e nos próprios objetos —você não precisa saber física para acionar a descarga.

Sloman e Fernbach, porém, não são tão otimistas. Embora seja possível avançar coletivamente, confiar cegamente nos dogmas sociais também pode nos levar a erros terríveis.

Pessoal, o que esse artigo nos diz sobre nosso Comportamento do Consumidor?

107 comentários:

  1. Geferson Moreira Magalhães
    RA 31427650
    Sala 16/17 Noite

    Eu entendi que na maioria das vezes consumimos de forma tão automática que nem sabemos de fato o porque estamos consumindo, consumimos por consumir achando que estamos sabendo porque estamos consumindo, quando na verdade estamos consumindo pelo simples fato de consumir, as vezes sem saber para que o produto serve, se realmente precisamos de tal produto ou serviço, na individualidade temos um comportamento consumista sem muitas razões ou entendimentos, muitas vezes sem precisar.

    ResponderExcluir
  2. Como indivíduos isolados de interações e compartilhamentos em relações sociais, perdemos os estímulos para armazenar qualquer experiência ou aprendizado. Nossos sentidos se ativam ao estarmos em contato e troca uns com os outros. Porém tudo que absorvemos do outro deve ser processado e refletido crítico e individualmente para que se possa balancear a função e efetividade de se seguir ou repassar determinado comportamento ou ação analisando possíveis reações e resultados.

    ResponderExcluir
  3. Eduardo Marques

    Acredito que o consumo está cada dia mais ligo ao impulso e à condição do que realmente na necessidade. Buscamos consumir puramente pois a sociedade nos impôs a necessidade àquele produto, sem ao menos saber como funciona e qual a real necessidade. Alguém sabe como funciona um celular? você conseguiria viver sem um celular? Então na minha percepção esse artigo se relaciona exatamente com o consumo desenfreado da população em que ignora a necessidade e consome apenas para se sentir parte do meio, de forme impulsiva e ignorante.

    ResponderExcluir
  4. O texto abrange claramente a teoria behaviorista, onde o meio externo é que nos afeta e condiciona. Nosso comportamento é definido pelo que o mundo nos condiciona, se as tecnologias já existem e nos é instruindo só como usá-las, nós apenas vamos usá-las e não aprender como funciona o processo como um todo. Ficando condicionados somente ao que nos é passado.

    Felipe Martins de Castro
    RA: 31425580

    ResponderExcluir
  5. Somos o tempo todo bombardeado por diversos tipos de informações e só guardamos as que nos interessa e automaticamente ignoramos o resto, graças a ajuda de algumas pessoas ou meio de comunicação podemos lembrar da parte que deixamos passar por despercebido. Era da ansiedade.

    ResponderExcluir
  6. No artigo percebemos que o consumidor busca um produto que possa suprir a sua necessidade, sem necessariamente saber como o produto funciona. Isso é bem normal no nosso cotidiano, não sabermos como um eletrodoméstico funciona, ou até mesmo o que contém dentro de muitos alimentos processados que consumimos, muitas vezes não nos preocupamos com isso, só nos preocupamos em saciar a fome. É importante tem um certo conhecimento sobre essas coisas. Ricardo Castro RA 31421092.

    ResponderExcluir
  7. A relação feita é que precisamos uns dos outros para que se exista algo, ou que seja movimentado um sentimento interno para que possamos comprar, pensar, escolher algo. Portanto, quando falamos de fatores externos que nos afetam, falamos do behaviorismo. Bruno Costa - 31428964

    ResponderExcluir
  8. Jociara Moreira Santos
    PP/Noite - Sala 16/17

    Podemos concluir que muitas vezes adquirimos produtos que nem mesmo sabemos como execultam suas funções, que faria muito mais sentido adquiri-los se soubéssemos o porque de comprá-los. Uma vez que nossa mente não arquiva pequenas informações e sim, grandes acontecimentos. Jogamos dinheiro fora quando investimos em coisas supérfluas.

    ResponderExcluir
  9. Nathan Barbosa da Silva
    RA: 31425575

    Podemos perceber que o consumidor está cada vez menos interessado nos detalhes técnicos dos objetos e mais no valor que aquele objeto agrega em nossas vidas. Podemos perceber isso até em como a publicidade se tornou mais emocional que racional

    ResponderExcluir
  10. R.A: 31425570
    Turno: Manhã - Públicidade & Propaganda
    Período: 6º

    Os indivíduos são mais reflexos de atalhos do que de próprios conhecimentos. O homem ao utilizar a descarga, por exemplo. O faz porque outros já fizeram e isso incentiva um processo em cadeia, se um dos indivíduos que descobriu como a descarga funciona em um primeiro momento não tivesse passado a informação para frente, seria um fator incentivador para que a pessoa a seguir procurasse saber como funciona. Devido a tecnologia e a informação ficamos acostumados com pedaços de conteúdos, resumidos para ações rápidas e objetivas. A falta de tempo que a sociedade constantemente prega ajuda nesse isolamento aos poucos pedaços de conhecimento. O aprofundamento vem com a necessidade, e enquanto não existe ela e sim atalhos, os indivíduos ficam condicionados a só usar a descarga, porém sem saber da sua mecânica. Observando essas comparações é possível notar o comportamento do consumidor ao comprar um produto porque o viu em uma propaganda ou porque todos estão usando. Na realidade esse indivíduo talvez, nem saberá usar o produto, porém, como ser coletivo e interagindo no meio social ele se vê tendo essa necessidade de obtenção de algo que necessariamente ele nem sabe a real funcionalidade. Na maior parte das vezes ele irá comprar para dizer que o tem, porém em seu íntimo irá ignorar o conteúdo daquele objeto.

    ResponderExcluir
  11. Isabela Martins Lages de Souza
    RA: 31429261
    Curso: Publicidade e Propaganda
    Turno: Manhã
    Período: 6°
    O texto nos faz refletir sobre nosso comportamento em sociedade e individualmente. Relata que, sozinhos, somos seres fracos, temos confiança demais e acreditamos saber mais do que realmente sabemos, e isso é um defeito. Mas que, juntos em sociedade, somos seres que não foram extintos até hoje, que buscam conhecimento a todo o momento, e partilham do mesmo. Viver em sociedade nos permite aproveitar de invenções anteriores sem que tenhamos a noção de como funcionam, e a partir dela (seja por conforto ou proximidade com o estudo) podemos criar e desenvolver ideias cada vez mais elaboradas e colaborar para a evolução da nossa sociedade.

    ResponderExcluir
  12. Entendo que o consumidor atualmente consome mais em termos coletivos (o que a maioria das pessoas possuem se torna objeto de desejo de muitos outros) independente de ser necessário ou mesmo de sabermos como funciona.
    O consumo por necessidade individual tem sido muito afetado .
    Leticia de Aguiar Goulart
    Sala 16/17
    Noite
    RA 31428260

    ResponderExcluir
  13. Bruno Alexandre Pereira Andrade
    Publicidade e Propaganda - Manhã - 6° Período
    RA: 31422516

    Com esse texto, podemos inferir que o ser humano é um ser que tem como uma de suas necessidades mais básicas (de acordo com a pirâmide de Maslow) se sentir em sociedade, sentir que faz parte de algo maior. O texto nos permite enxergar o ser humano como algo fraco, que já estaria extinto se não se colocasse em sociedade. Mas nos mostra também o poder desse ser humano em comunidade: Somos seres que buscam conhecimento a todo o momento, e só conquistamos toda essa evolução por que tivemos em quem nos apoiar, tivemos teorias e estudos para dar sequência. Viver em sociedade faz com que não "percamos" tempo descobrindo algo já descoberto e compartilhado, tentando compreender as diversas invenções do universo, assim possibilitando a ascensão da espécie.

    ResponderExcluir
  14. Muitas vezes nosso consumo é involuntário, não se dá por uma escolha individual e sim por algum aspecto coletivo, acredito que mesmo sendo perigoso esse tipo de consumo é o modelo que vem dando certo, não precisamos entender detalhadamente o funcionamento de tudo e toda sua lógica ou física, precisamos apenas que ele atenda nossas necessidades.

    Luiz Filipe
    PP Manhã

    ResponderExcluir
  15. O texto abrange claramente a teoria behaviorista, onde o meio externo é que nos afeta e condiciona. Somos seres que buscam conhecimento a todo o momento, e só conquistamos toda essa evolução por que tivemos em quem nos apoiar, tivemos teorias e estudos para dar sequência.
    Na realidade esse indivíduo talvez, nem saberá usar o produto, porém, como ser coletivo e interagindo no meio social ele se vê tendo essa necessidade de obtenção de algo que necessariamente ele nem sabe a real funcionalidade.

    ResponderExcluir
  16. R.A: 31427245
    Turno: Manhã - Públicidade & Propaganda
    Período: 6º

    Após milhares de anos documentados da existência humana no planeta terra, fomos a única espécie a "dominar" nossos instintos e o nosso meio. E boa parte disso se dá a nossa condição de plena convivência e compartilhamento de experiências. E essa nossa condição de viver e sobreviver socialmente é uma premissa básica para sermos a espécie que somos. Assim como Maslow demonstra na sua pirâmide, temos muitos outros filósofos e estudiosos que defendiam essa ideia do convívio social ser indispensável, como Máquiavel e Rousseau por exemplo, ao discutirem e defenderem cada um do seu ponto vista, os rumos do comportamento da sociedade.

    ResponderExcluir
  17. É muito fácil associar a teoria cognitiva estudada em nossas aulas com os estudos de Steven Sloman e Philip Fernbach pois em ambos podemos perceber que o comportamento de consumo do indivíduo está relacionado ao estudo sistemático dos estímulos que estão presentes no ambiente e na sociedade em geral porem o seu pensamento individual é limitado. Temos a ilusão que possuímos amplo conhecimento de coisas simples mas por fim elas não passam de uma idéia a respeito.


    Fernando de Souza Santos
    RA:314212531

    ResponderExcluir
  18. Entendi que vivemos em uma sociedade com dogmas forte que muita das vezes, não procuramos entendê-los, apenas mantemos o fluxo de funcionamento do mesmo. Acredito que isso é a famosa 'zona de conforto' das pessoas, onde nele, nos sentimos seguros e não vemos a necessidade de mudar ou questionar.

    Celso Santos
    PP Una Liberdade/noite
    Ra: 31420766

    ResponderExcluir
  19. José Lucas Barbosa/ 5 período/ matutino16 de maio de 2017 06:38

    Tudo isso é uma automatização das atividades humanas. Não buscamos entender o funcionamento das coisas mas sim o seu serviço ou até mesmo o seu benefício. E no mercado de produtos e serviços e a mesma coisa, o que vale é o que está por fora, o que vamos ver. Basicamente é assim que funciona a relação humano com as serviços e produtos.

    ResponderExcluir
  20. R.A: 317124472
    Turno: Manhã - Publicidade e Propaganda
    Período: 5º

    A racionalidade do ser humano, transformou o mundo em que habitamos hoje, tendo reflexo no nosso comportamento como um todo. As descobertas, teorias, indagações e invenções, impõe à sociedade dogmas que, até que se crie ou descubra algo novo, é tido como verdade absoluta.
    O mercado e a ciência estão em constante movimento, e os avanços tecnológicos permitem o aprimoramento daquilo que já existe e que julgávamos verdade.

    Como futuros profissionais da área de comunicação, nos atermos às modificações de mercado e ao comportamento do consumidor, torna mais acertiva forma de comunicarmos e vendermos produtos e serviços.

    Como exemplo, podemos citar os alimentos "fitness", que a cada semana um vigora, e a utilização do mesmo por figuras públicas, acaba influenciando aos demais o consumo. Isto é, na verdade, não sabemos de fato como tal alimento é benéfico para a saúde, mas se estão todos usando, logo...

    ResponderExcluir
  21. Tamires Cassandra
    PP / Manhã

    O texto diz que a humanidade é levada por um fluxo, onde não tendemos a mudar o que vivemos. Principalmente hoje, onde já temos vários produtos que nos ajudam a viver bem, não há mais muita coisa para inventar, ninguém procura pensar como a descarga funciona porque ela por si só já atende nossas necessidades, não há o que mudar nela. Assim sempre tendemos a comprar algo que já exista, algo que é certeza que nos será útil, pois já temos convicção de que aquilo irá funcionar.

    ResponderExcluir
  22. Lucas Dornas Cruzeiro
    R.A: 31425838
    Turno: Noite - Publicidade & Propaganda
    Período: 6º

    Para mim, isso mostra sempre temos uma tendência de confiarmos pela "aparência" ou embalagem. Somo guiados muitas vezes pelo que vemos ou pelo que aprendemos e repetimos algumas ações pelo resto da nossa vida sem nos perguntamos: como? quando? por que? como foi feito?

    Acredito que não precisamos saber de tudo mas é necessário ter um senso de curiosidade para que não sejamos totalmente "alienados" e que possamos evoluir como indivíduos.

    ResponderExcluir
  23. Naiara Patrícia Nascimento
    RA: 31425841
    Turno: Noite - Publicidade e Propaganda
    Período: 6°

    Entendo que o artigo aborda entrelinhas a questão do consumismo, isso porque em meio ou não de uma real necessidade, adquirimos produtos somente para suprir os nossos desejos, mas não queremos saber como tal produto funciona, e muitas vezes adquirimos só pelo fato de ver todos adquirindo também, talvez seja, porque não julgamos necessário saber o seu funcionamento, mas só se será suprido a minha vontade como consumidor.

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. A coletividade apresentada nesse artigo não é a mesma vista de maneira positiva em outros contextos. Nessa ocasião específica, um grande problema é abordado: os consumidores satisfazem seus desejos muitas vezes de maneira impulsiva, levadas pelo senso comum, aumentando e evidenciando não apenas os traços consumistas do indivíduo, como trazendo para a publicidade uma nova forma de atuar e uma preocupação em se adaptar. É preciso entender o por quê dessa coletividade influenciar tanto o pensamento humano a ponto de ela mesmo ser a própria fonte de sucesso ou fracasso de algum produto.

    Iury Victor Marques
    RA: 31425716
    Turno: Noite - Publicidade e Propaganda
    Período: 6°

    ResponderExcluir
  26. Este matéria nos trás uma reflexão bem interessante, de que muitas vezes consumimos algum tipo de produto sem saber a real utilidade ou como funciona, hoje como publicitários sabemos que a maioria das empresas vendem um "life Style" mas na maioria dos casos além de sermos socialmente aceitos por adquirir um produto, também temos que entender a sua funcionalidade e sua utilidade para nós. Antes de adquirir qualquer produto ou serviço, primeiro devemos entender como ele funciona.

    Bruno Duarte
    R.A 31420758

    ResponderExcluir
  27. Carine Loize
    RA: 31522526
    PP - Noite
    O consumo está ligado ao impulso e nem sempre na necessidade. A sociedade impôs a necessidade de tal produto então consumimos ele sem nem saber ao certo sua real necessidade ou como ele realmente funciona.
    Acredito que que os estudos de Sloman e Fernbach estão associados a teoria cognitiva.

    ResponderExcluir
  28. No meu ponto de vista, o texto leva a entender o comportamento do consumidor como impulsivo e superficial. Indica que nós excluímos inconscientemente as complexidades e nos atemos a fatores mais simples na hora da escolha. A ideia defendida me alerta à importância do branding para o mercado. É necessário atrair o cliente sem ser necessário apresentar inicialmente as características do produto, pois é inevitável "não julgar o livro pela capa" caso não tenhamos conhecimento prévio acerca de seu conteúdo.
    Suelen Fernandes
    RA:31421080
    Noite

    ResponderExcluir
  29. Com o avanço tecnológico vivemos em um mundo cada vez mais conectado, sendo bombardeados por informações e muita dessa informações são de incetivo de consumo.E levando a compra impulsiva.
    Natália Soares PP-Noite

    ResponderExcluir
  30. Luciana Colombi
    RA: 31625887
    Curso: Publicidade e Propaganda
    Turno: Manhã
    Período: 6°

    De acordo com o artigo, e trazendo essa realidade para o ponto de vista do comportamento do consumidor, entendo que só percebemos aquilo que realmente nos interessa de acordo com nossos desejos, preferências, referências. Não iremos procurar saber sobre aquilo que não nos afeta emocionalmente de alguma forma. Precisamos de motivação para estarmos totalmente ligados a determinado assunto. Quando em grupo, o despertar desses desejos pode aflorar-se com maior facilidade, pois existe o sentimento de pertencimento. Queremos fazer parte daquele meio e assim socialmente somos instigados a interessar-nos por determinados assuntos, bem como marcas, produtos e serviços.

    ResponderExcluir
  31. Na visão de consumidor ele nos mostra que na maioria das vezes agimos por impulso ,e eque nem sempre procuramos saber se realmente precisamos de tal produto só apenas queremos ter pois sofremos influencias de todos os lados.Mesmo que você no dia seguinte ou na semana seguinte se arrependa de tal produto ou serviço ,mais pelo menos teve a experiência de ter esse produto.A sociedade acaba impondo de certa maneira essa necessidade para que você sinta parte de um meio ou grupo, este é o botão que aciona seu consumo.

    ResponderExcluir
  32. O texto nos faz refletir, sobre os comportamentos que realizamos no nosso dia a dia. Que se tornam tão repetitivos que não prestamos atenção, e por isso agimos por impulso, ou por costume pelo fato da ação ser realizada sempre. Nos fazendo perceber que cada vez mais os consumidores estão interessados na praticidade.

    PP/Noite
    Bianca Alencar
    RA 31420753

    ResponderExcluir
  33. O texto retrata a forma como agimos por impulso diariamente, e, facilmente, somos vencidos por desejos pequenos, nos quais não pensamos antes de tomar a decisão real. Esse comportamento contribui para o trabalho do profissional de publicidade acontecer com êxito.

    ResponderExcluir
  34. LETÍCIA NAZARETHE NONATO
    31427534- PP

    Como pessoa isolada, somos fadados ao fracasso. Como seres não perfeitos, temos problemas que são sanados pelo conjunto social. Com ajuda de outros indivíduos, conseguimos construir uma sociedade funcional.

    ResponderExcluir
  35. O texto nos mostra como nosso consumo é muitas vezes influenciado por forças que não conhecemos ou entendemos bem. Compramos produtos que não sabemos como funcionam, simplesmente por acreditarmos que precisamos deles para viver bem. Estamos interessados apenas no que o produto nos trará e não em seu mecanismo de funcionamento.

    ResponderExcluir
  36. Acredito que a coletividade seja importante para definir padrões culturais e assim influenciar no consumo do indivíduo. Criamos, juntos, a ideia do que é bacana, o que tem valor e o que não tem.

    Izabella Cunha Borges
    RA 31425800

    ResponderExcluir
  37. O texto diz á respeito da nossa ignorância sobre o conhecimento, e aprendizado mais aprofundado, aprendemos funcionamentos básico e ignoramos as complexidades agindo instintivamente, ou por impulso, assim acontece com bens de consumo entre outros aspectos de nossas vidas.
    RA:
    31421089 - Rosana Silveira

    ResponderExcluir
  38. Como sabemos, cada ser humano possui diferentes características e habilidades, o que dependerá do seu conhecimento adquirido, que poder vir de fatores culturais e individuais.
    Assim sendo, em um mundo composto por seres tão diversos, somente com a somatória das diversidades e com a coletividade poderá acontecer a produção de grandes projetos. O que geralmente depende de diferentes profissionais capacitados com conhecimentos diversos.
    Na disciplina de comportamento do consumidor estudamos constantemente sobre essas diferenças, o que tem tudo a ver com o texto em questão.

    ResponderExcluir
  39. Primeiramente o artigo explicita a nossa necessidade de coletividade, e como criamos a ilusão de conhecimento com base nesse coletivo.
    O ambiente que somos condicionados nos faz achar que sabemos de muita coisa (ou quase tudo, para os não modestos), e isso atinge diretamente os indivíduos enquanto consumidores.
    Não é atoa que sempre aparecem novas modinhas de consumo de todas as espécies, e todos se acham saber tudo a respeito, ou se não sabem correm atrás das informações para não se sentirem inferiores a maioria.
    Para as empresas isso pode ser uma moeda valiosa, se souberem utilizar de forma correta. E para os consumidores, mais uma ilusão a qual pode ser submetido.

    Dêniel Fonseca
    RA 31429353

    ResponderExcluir
  40. Compreendo a necessidade do coletivo para o avanço humano, em diversas áreas da nossa vida, inclusive ao estímulo para o conhecimento quanto ao poder de compra (como defende a teoria Behaviorista), de forma que o conjunto tende a nos preparar para o avanço e que também, compramos e consumimos produtos por diversas vezes apenas por "força do hábito", sem compreender de fato o funcionamento do produto, sendo apenas a necessidade de usá-lo o foco maior.

    Bruno Henrique de Abreu
    RA: 31429666
    Turno: Noite

    ResponderExcluir
  41. O artigo mostra de forma crítica como os seres humanos simplesmente acatam informações sem necessidade de conhecer melhor ou descobri os "porquês". Desta forma podemos comparar tal critica ao consumidor, que por muitas vezes é convencido para executar uma compra sem questionar ou procurar informações quanto a qualidade exata. A coletividade é importante e mais fácil para o meio social, porém com citado no artigo as particularidades deixam de ser exploradas e passam ser aceitas de forma simples.

    Larissa Freitas | PP - 6º período - Noite

    ResponderExcluir
  42. Nayara Cristina Machado
    RA: 31425576
    Turno: Noite

    Percebo que o texto exemplifica o comportamento cada fez mais "mecânico" do consumidor. Há um disparo imenso de informação e novos produtos no mercado e as pessoas aderem sem ao menos questionar os destalhes do que estão recebendo. Talvez porque sejamos seres "evolutivos" segundo Steven Sloman e Philip Fernbach e naturalmente não estamos programados para guardar particularidades, apenas ir na corrente da louca e acelerada evolução humana.

    ResponderExcluir
  43. O artigo faz uma crítica ao comportamento subconsciente do consumidor, relacionando que o consumidor não pensa na hora da compra. Se ele compara um vaso ele sequer sabe como funciona. Mas adquiri o produto mesmo assim, temos que perceber o quanto as compras são feitas por impulsos.

    RA: 317123237
    Bernardo Gouveia

    ResponderExcluir

  44. eu entendi toda a crítica do texto, mas não sei se concordo. Em relação o comportamento do consumidor, vivemos muito no automático e o que nos chama a atenção ou o que memorizamos são coisas que nós julgamos mais úteis, infelizmente algumas pessoas não julgam uma convivência em grupo útil, mas no meio da comunicação eu acredito que isso não É claro que muitos detalhes da coletividade passam desapercebidos a todo o momento, nosso ego faz com que isso seja forte, voltar a atenção mai pra si próprio, mas é importante condicionar nosso pensamento e atenção para nosso meio social tbm, somos um corpo que depende que cada membro esteja saudável e bem para que o "todo" funcione corretamente.
    Pâmela Lima, R.A 31426642

    ResponderExcluir
  45. Stephany Gomes Ribeiro22 de maio de 2017 07:39

    O que podemos perceber nesse texto é como somos consumidos o tempo todo por informações e produtos que nem ao menos necessitamos, o consumismo não está ligado apenas ao ato de comprar, mas também no ato de sermos consumidos o tempo todo por uma "necessidade" que não existe, pois não sabemos nem pra que serve certos produtos, é ai que entra o comportamento do consumidor que compra apenas porque foi influenciados de alguma forma por tantas propagandas e redes sociais que acessamos todos os dias, estamos vivendo no automático.

    PP/Noite - 31412162

    ResponderExcluir
  46. Acredito que todo consumo é uma forma de solucionar algum desejo ou vontade, mesmo que oculto. Hoje em dia encontramos mais variedades e produtos que facilitam o dia a dia, servindo como estimulo para consumir. Não necessariamente precisamos saber o porque, nem como, contando que o objetivo de compra seja realizado.
    O texto trabalha o ponto de vista negativo deste modelo de consumo atual, mas isso não quer dizer que estamos perdidos, errados ou que isso não possa mudar futuramente.

    Stephany Lemos
    RA: 31621627
    PP - NOITE

    ResponderExcluir
  47. Quando vivemos em sociedade nossas qualidades e defeitos são ressaltados, pois em sociedade nos completamos, logo não temos a obrigação de assumir tudo o que se passa a nossa volta para nós. A ignorância também é benéfica em certos pontos, pois ignoramos vários estímulos que recebemos a cada minuto. Sendo assim, nosso comportamento parte primeiramente de nossas motivações diárias, dos nossos traumas, para então fazer parte do nosso agir em sociedade. Podemos não conseguir fazer tudo ou saber tudo, mas quando nos juntamos, evoluímos para algo melhor ou nos deterioramos.

    Damiana Rodrigues
    Manhã
    R.A. 31425571

    ResponderExcluir
  48. O texto critica em como podemos ser ignorantes como consumidores. Ele ressalta a nossa capacidade de consumir 24 horas por dia inúmeras coisas sem ao menos se questionar como aquilo realmente funciona. Acredito que seja porque a nossa geração consome um número tão grande de informação/serviço/produto diariamente que não nos sobra tempo pra entender completamente cada coisa. Mas isso não dá direito de sermos chamados de ignorantes, pois cada um se especializa em um certo tipo de conhecimento que lhe seja interessante. E juntos, como citado no texto, somos uma espécie que não foi extinta e está longe de ser.

    Camila Luana de Souza
    31425573 - PP Noite

    ResponderExcluir
  49. Diz sobre o comportamento de grande parte dos consumidores que não consomem apenas produtos que sabem ou não como funcionam, consomem comodidade, praticidade, ganho de tempo, menos dor de cabeça, deixando assim de lado esse tipo de observação, cada um se atenta ao que lhe interessa mais saber ou entender.

    Rodrigo Nascimento
    31412164 - pp Noite

    ResponderExcluir
  50. O artigo exemplifica a evolução da sociedade de consumo, onde o consumidor não consegue guardar detalhes, ou absorve somente informações que consideram realmente relevantes. A ilusão da sabedoria faz do consumidor um ignorante que se ilude com o que é colocado,mas graças a interação social e divisão de interesses em buscar conhecimento o ser humano conseguiu se salvar de uma provável extinção . Isso não significa que aconteceu uma evolução mental pois o consumidor é guiado para um certo tipo de produto e fácil influenciável, mesmo não sabendo do seu funcionamento do produto ele se interessa. Deixaram então de armazenar informação é começaram aceitar o que é colocado, sem questionar.

    Fernando Marques
    314111936
    PP Noite

    ResponderExcluir
  51. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  52. O artigo critica a nossa forma de consumo pois muitas vezes consumimos sem saber com detalhes como é o funcionamento por trás daquilo. Não vejo isso como um problema. Saber os detalhes de como uma descarga funciona por exemplo é uma extrema perda de tempo.

    31424861

    ResponderExcluir
  53. Não damos importância e, não nos interessamos em saber como são os procedimentos dos produtos que usamos no dia a dia. As atividades rotineiras da nossa sociedade consumista se tornam desinteressantes fazendo com que nos tornamos incapazes de tomar conhecimento dos produtos e serviços que utilizados frequentemente.

    Paulo Grossi.
    Noite.

    ResponderExcluir
  54. Levamos uma vida tão corrida que nem percebemos a complexidade do nosso mundo, sempre tendemos achar que tal processo é mais fácil que de fato ele é, e quanto mais evoluímos mais facilidades vão sendo executada. Lembro de ter ficado chocado ao ver uma bandeja de mexerica descascadas milimetricamente em carreiras em um supermercado de bairro, que me veio o questionamento "Será que as crianças do futuro vão saber que as frutas vêem de uma árvore?!". Já estão testando carros automáticos, um futuro com mais facilidades e nos distanciando de ter controle das ações como um todo.

    Emerson Fábio dos Reis - 31427942
    PP - Noite

    ResponderExcluir
  55. Karolaine Elias
    31514506
    Manhã 5º Período
    Cada um de nós possuímos diferentes características, maneiras de pensar e se comportar diferentes. O que temos como conhecimento virá de fatores culturais, religiosos e até mesmo individuais.
    Com essa grande diversificação de povos, é possível ter esse coletivo em qual vivemos, cada ser humano contribui para com que o outro viva, seja diretamente ou indiretamente, mas as diferenças sempre irão influenciar de alguma forma, seja uma forma positiva ou não.
    Na matéria dada pelo professor Cláudio, é possível perceber o como é importante essa diversificação para a nossa própria sobrevivência.

    ResponderExcluir
  56. O texto me fez refletir como as nossas ações estão automatizadas e com estamos sempre esperando a descarga que já é automática, a escova que passa e alisa o cabelo, a máquina de lavar que já sai praticamente seca, e tantos outros produtos do dia a dia que consumimos sem ao menos pensar como aquilo funciona. Assim é quando consumimos qualquer produto, seja roupa, sapato ou dentre outras coisas, que nos faça bem, a gente não pensa o porque consumimos e somente "pegamos", como algo automático.
    Essa reflexão para nos estudantes de comunicação nos leva a pensar que devemos ir além de fazer algo que atraia o consumidor final, mas que também entenda a cabeça dele e como é esta forma automática de consumir.
    Deborah Pimenta 5º período

    ResponderExcluir
  57. O consumo está muito mais ligado ao impulso e desejos do que realmente tem necessidade. Consumimos pois a sociedade nos impôs a necessidade àquele produto, sem ao menos saber como funciona e qual a real necessidade. O texto abrange claramente a teoria behaviorista, onde o meio externo é que nos afeta e condiciona.

    RA: 316147988
    PP - MANHÃ

    ResponderExcluir
  58. R.A: 31425579
    Turno: Noite
    Associando o que estudamos em sala com os estudos de Steven e Philip podemos ver que como o consumidor ira se comportar está relacionado com o aprendizado em que o individuo é submetido em sua vida, como o exemplo dado no artigo dar a descarga da privada, o ser humano não sabe instintivamente como fazer aquilo, mas quando ele é diariamente ensinado, estimulado ele aprende. Pensando neste e em outros exemplos pode-se dizer que ideia de conhecimento foi também algo que aprendemos em convívio social.

    ResponderExcluir
  59. RA: 316118076
    TURNO: NOITE
    Creio que nós, estamos em um controle automático, algo que muitas vezes nem sabemos o porque, onde, mas sempre consumimos coisas que não paramos para reparar essa tal coisa, consumimos muitas coisas apenas por consumir, ou por força do abito.

    ResponderExcluir
  60. Assim como não sabemos como funciona as pequenas coisas do cotidiano, o consumo também pode ser visto dessa forma. Criamos necessidades em nossa cabeça que naturalmente faz com que tenhamos vontade de supri-las. Por isso consumimos muitos produtos, serviços e marcas sem se dar conta de como eles funcionam e sem analisar se realmente é funcional ou necessário.

    Samara da Silva Lemos
    RA: 31512524
    Turno: Manhã

    ResponderExcluir
  61. Atualmente o consumidor de forma geral está interessado na praticidade do produto e na agilidade ao adquiri-lo. Uma pessoa compra determinado objeto pelo que ele possa trazer de benefícios ou pela sua funcionalidade, e não pela maneira como é feito ou como funciona. Isso explica também, como tudo está tão automatizado em nossas vidas, grande parte do que fazemos ou possuímos raramente é notado no dia-a-dia. O excesso de informações vindas de todas as partes faz com que não absorvamos praticamente nada do que é exposto.

    ResponderExcluir
  62. Essa materia pode ser diretamente relacionada ao conceito de percepção que vimos em sala, cada pessoa se aprofunda, ou certos assuntos tem mais destaque que outros relativamente a seus interesses. Para nós comunicólogos não é interessante como funciona o despacho de desejos, mas para um engenheiro talvez seja mais curioso.

    ResponderExcluir
  63. Essa materia pode ser diretamente relacionada ao conceito de percepção que vimos em sala, cada pessoa se aprofunda, ou certos assuntos tem mais destaque que outros relativamente a seus interesses. Para nós comunicólogos não é interessante como funciona o despacho de desejos, mas para um engenheiro talvez seja mais curioso.

    Ra: 31429351
    PP-MANHA

    ResponderExcluir
  64. Na minha opinião o texto aborda a questão de que todas as pessoas dependem umas das outras mesmo que inconscientemente já que o produto que eu uso, outra pessoa o produziu, porém também mostra que muitas vezes nem nos importamos em saber quem o fez, como fez e como funcionam, isso vai muito de acordo com a percepção de cada um. Mas uma coisa que muitos não percebem é que coletivamente funcionamos muito melhor.
    Barbara Michetti
    RA:31514038

    ResponderExcluir
  65. Nome: Katheryne Martins
    R.A: 31426983
    Noite
    Apesar de haver características diferentes entre um indivíduo e outro, como a cultura, personalidade, religião e entre outros fatores é possível ver que se possui também o senso comum coletivo como dado no exemplo da descarga dado no artigo, observa-se que metaforicamente ele pode se encaixar em muitos outros exemplos. O conhecimento é muito mais a repetição de determinado assunto ou ato do que a inteligência propriamente dita que o indivíduo possui.

    ResponderExcluir
  66. Nós consumidores compramos produtos/serviços na maioria das vezes pela praticidade que eles nos trazem, ele ja chega pra gente de modo que possamos já usa-lo, com isso acabamos não achando interessante saber o processo por trás daquilo ja pronto ou o que faz com que ele funcione, buscamos praticidade e não Complexidade.

    RA: 314115822
    Noite

    ResponderExcluir
  67. Aluna: Mayra Helloá Silva
    R.A:315115593
    Turno: Manhã

    Após ler o artigo compreendi que o mesmo faz uma crítica a sociedade de consumo, que forma as pessoas de modo a conseguirem consumir tudo, sem qualquer inquietação nem preocupação sobre o que e como consomem (crítica a falta de informação). Desse modo é válido uma reflexão sobre o automatismo de adquirir produtos/serviços, a ponto de analisar se o que compramos e consumimos é necessário ou se não se trata de uma força irracional, como é compreendido pela psicanálise, buscando compreender e ajudar nós seres humanos a controlar o impulso do consumo.

    ResponderExcluir
  68. Aluna: Flávia Lages
    6º período de PP
    RA: 31619949

    Desde que existimos já é notável que nossa capacidade de pensar em desenvolver algo, em conjunto, é mais propício que quando estamos só. E isso nos leva nao só a criar, mas imaginar e chegar deixar algum pensamento/aprendizado que tivemos com conjunto, guardado no inconsciente e quando estivermos a sós iremos agir de acordo com nosso inconsciente aquilo que aprendemos e guardamos mas muitas vezes nao notamos nossa atitude, e isso também ajuda a desenvolver a capacidade humana de agir só, porem continuará nao sendo o mesmo que estando em conjunto.

    ResponderExcluir
  69. RA: 315114175
    Publicidade Noturno

    Podemos entender que o consumidor não tem interesse pessoal sobre como as coisas funcionam, desde que funcionem. Não sabemos exatemente como uma coisa é feita, ou como aquilo funciona, simplesmente porque não precisamos saber, isso não é essencial para o consumo. Por isso, assistir videos de produtos sendo feitos, no instagram ou youtube nos fascina tanto, porque nunca paramos para pensar como os objetos comuns do nosso cotidiano são feitos, eles simplesmente estão lá todos os dias. O que podemos tirar disso para a profissão, é que o consumidor não vai se importar se um biscoito é mais saudável porque é feito com sal do himalaia, se o produto final não tiver um gosto bom. Vemos o que nos interessa. Já no aspecto social, podemos entender porque a vida social é importante, cada um com seus próprios conhecimentos particulares é importante para a força do todo.

    ResponderExcluir
  70. A lembrança cria uma ligação significativa em relações ao produto, estas tais recordações são fortalecidas no momento de fixar a marca na mente do consumidor, e com isso explorar ainda mais as associações entre sentimentos, eventos e produtos. A teoria behavioristas de aprendizagem é associação entre um estímulo, e um resultado de resposta ou reações percebida a partir do mundo externo. Através dessa perspectiva, as experiências das pessoas são moldadas 314211866

    ResponderExcluir
  71. Após leitura do artigo, pude concluir que as pessoas precisam o mínimo de conhecimento para poder manusear algo. Esse conhecimento são bagagens que cada individuo carrega consigo durante toda a sua vida.
    No mundo globalizado que vivemos, cada vez mais as pessoas têm acesso facilitado à informação, fazendo com que esse consumo seja de uma forma impulsiva, não precisamos mais saber como as coisas funcionam, apenas consumimos com o intuito de sanar nossas necessidades.

    RA 315232409
    Manhã

    ResponderExcluir
  72. Podemos perceber que constantemente adquirimos produtos que talvez não seja de tanta utilidade ou de utilidade nenhuma, mas em maior parte das vezes isso se dá devido ao desejo de andar junto a todo mundo, a sociedade que nos influencia muito a ter "Status", e talvez venhamos comprar tal produto devido a isso, ao desejo de ter e estar não de precisar mesmo.
    RA: 31428823

    ResponderExcluir
  73. Devido à grande exposição de informações que recebemos toda hora diariamente, nossos cérebros,que não foram preparados para tanta exposição, acabam filtrando diversos elementis e funções do dia a dia, e assim, realizamos diversas tarefas, praticamente sem pensar nelas, quase de forma inconsciente.Essa nova prática de fatiamento de serviços é uma consequência da grande quantidade de serviços concorrentes oferecidas aos clientes, além disso, a crise economica em que o país esta passando influencia diretamente na população que prefere gastar menos momentaneamente.
    O próprio mercado de comunicação esta mudando e tendo que se adaptar à necessidade dos consumidores que desejam melhorar seus resultados, pagando menos.

    Cássio Antunes
    31321479

    ResponderExcluir
  74. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  75. Após ler o artigo é possível ver que ele critica o método de consumo, pois não damos importância em saber qual é o procedimento nem como funciona os produtos que utilizamos, simplesmente compramos por forma de solucionar um "problema", desejo, mesmo que inconsciente. O tempo todo somos bombardeados com informações e produtos que não necessitamos, e por muitas das vezes somos influenciados ao consumo por uma propaganda, redes sociais, etc.
    Samara Carneiro
    PP NOITE
    31427388

    ResponderExcluir
  76. Somos o tempo todo bombardeado por diversos tipos de informações e só guardamos as que nos interessa e automaticamente ignoramos o resto, graças a ajuda de algumas pessoas ou meio de comunicação podemos lembrar da parte que deixamos passar por despercebido. Era da ansiedade.

    mateus silvestre almeida costa 314113261 pp noite 6 periodo

    ResponderExcluir

  77. Fala-se muito sobre a forma como o consumidor e influenciado facilmente, o ser humano somente observa o que de fato lhe interessa quando algo desperta sua atenção acreditando em uma necessidade de compra da qual às vezes nem precise. Fazendo com que o consumo aumente diariamente e ser torne excessivo sendo que muitas das vezes a ansiedade de preencher algum vazio fale mais alto, o consumidor também é influenciado ao consumo causadora de tal ação.
    Manhã
    RA: 31427941

    ResponderExcluir
  78. Com a leitura do artigo pude concluir que este faz uma crítica á sociedade de consumo que muitas das vezes consome algo que não se sabe como manusear ou como funciona. Por outro lado, o artigo também ressalta que não é necessário também saber o funcionamento deste produto para que se possa consumir. A crítica se entende na forma com que as pessoas consomem e, mesmo que não seja preciso, não buscam saber como aquilo se deu e também não ha interesse. Isso diz muito também da sociedade "instantânea" que vivemos, na correria, queremos as respostas rápido e simples. No consumo, queremos consumir, de forma fácil e prática, sem procurar saber de seu funcionamento.

    Noite
    RA: 31425577

    ResponderExcluir
  79. Leandro Henrique29 de maio de 2017 13:04

    PP Noite
    R.A 31425581

    Pra mim ele resume o comportamento do Consumidor, pois cada um tem seu gosto, seus produtos de consumo preferido, mas por viver em sociedade essa opinião é moldada, começa adquirir produtos que inicialmente não tinham a ver com a pessoa, ou que nem sabiam manusear. Na verdade o importante não é como ele vai funcionar e sim se vai funcionar, o consumidor atualmente não se preocupa como é o processo até porque se for necessário algum ajuste vai comprar outro ou mandar pra alguém que o faça, desde que o resultado final seja satisfatório o produto é aprovado.

    ResponderExcluir
  80. Nítido ver que nosso cérebro é incapaz de processar tantas informações, por isso somos mais fortes juntos, pois digerimos somente aquilo que realmente nos interessa de modo que cada um desenvolve perfeitamente seu papel na sociedade e usufruindo e consumindo das especialidades de outra pessoa. E assim tambem é o consumo de modo geral, não queremos e nem precisamos saber como funciona, apenas queremos obter e desfrutar do produto/serviço, seja ele qual for, o instinto é suprir as necessidades, não importa como.

    Caroline Amélia Inaibes Sabino
    314211494
    PP Noite

    ResponderExcluir
  81. Seguindo a ótica do inconsciente coletivo, podemos afirmar que somente temos ações de compra por causa dos estímulos que recebemos á todo momento. A verdade é que é função dos profissionais de comunicação criar as necessidades de consumo. E é por isso que consumimos toda espécie de produtos sem necessariamente entender seus processos de funcionamento ou influência em nossas vidas.

    Fabrícia Helena de Souza Silva
    RA: 314120475 - PP - noite

    ResponderExcluir
  82. O artigo fala que as informações que recebemos só são armazenadas aquelas que se refere as ‘’regularidades do mundo’’. Pois como estamos sempre socializando, juntos armazenamos mais coisas do que individualmente, isso muitas vezes é pelo simples fato que hoje em dia somos bombardeados de informações e dificilmente levamos conosco todas as informações que recebemos.
    E em relação ao consumismo muitas vezes compramos algo sem saber como que funciona e damos mais importância pelo nosso ato de consumir sem pensar duas vezes se aquilo é realmente necessário.
    Igor Matheus M. Neto – 5º Período – Manhã

    ResponderExcluir
  83. Acho que um dos pontos em comum dessa matéria com a disciplina é a forma de abordagem do indivíduo e o coletivo.
    Estudamos características do indivíduo para entendermos seu torno e por fim conseguirmos contextualizar a sociedade com seus signos e culturas.

    Isabella Cristine Costa Ferreira
    PP - manhã - 6º Período
    RA: 31425569

    ResponderExcluir
  84. O texto nos faz refletir, primeiramente, sobre a diferença de convivência em sociedade e individual. O fato de vivermos em sociedade nos mostra que cada um de nós tem um papel e habilidades próprias para que possamos viver e aprimorar nossa vivência em grupo, precisamos do conhecimento, e da execução das funções de todos para a evolução em sociedade.

    Muitas vezes indiviualmente, nós não somos capazes de explicar o funcionamento de coisas que nós mesmos consumimos pois aquilo não faz parte do nosso entendimento, não dominamos determinadas habilidades e por isso necessitamos o conhecimento do próximo, uma das características determinantes da importância da vivência em sociedade.

    Nós consumimos também e principalmente o conhecimeto do próximo, que na maioria das vezes não dominamos determinada habilidade, e que é algo que vai ajudar bastante na nossa vida, a troca de conhecimento.

    Emmanuel F. de Farias - 31420531 - PP manhã

    ResponderExcluir
  85. Maria Clara G Lopes 314123611 - PP manhã

    Somos compostos por um emaranhado de percepções. Somos resposta de descobertas do passado e somos dependentes do outro. A contemporaneidade nos faz viver no automático, nossa percepção muitas vezes é seletiva e egoísta, mas somos seres completamente dependentes da troca.

    ResponderExcluir
  86. Depois de ler o texto é possível perceber pontos em comum com as discussões que temos em sala de aula, como o comportamento diante dos estímulos que nos são dado para consumir tal produto ou serviço,ou até mesmo o nosso comportamento coletivo na sociedade,sendo a principal critica do texto, a forma de como nós consumimos em sociedade.


    Marllon Guedes Jóia
    RA:3132148090

    ResponderExcluir
  87. ESTE ARTIGO DIZ QUE PRECISAMOS DO PRÓXIMO, DO OUTRO, DE ALGUÉM. PRECISAMOS DE PESSOAS PARA EVOLUIRMOS, NÃO SÓ COMO SER HUMANO, MAS TAMBÉM EM OUTRAS ÁREAS DE NOSSA VIDAS. SOZINHOS FICAMOS LIMITADOS AO CONHECIMENTO DE MUITAS COISAS E NÃO SOMOS CAPAZES DE ABSORVER E GRAVAR PEQUENAS COISA DO DIA A DIA, (DETALHES).

    SOMENTE COISAS MAIORES SÃO ARMAZENADAS A UM LONGO PRAZO. MUITA DAS VEZES NÃO SABEMOS O QUE CONSUMIMOS E NEM O PORQUÊ. AS VEZES TEMOS AS COISAS SEM SABER PARA QUE SERVE OU COMO SE USA. OU ATÉ DISTORCERMOS O USO DOS PRODUTOS, USAMOS DE FORMA ERRADA E INADEQUADA, SIMPLESMENTE PELO FATO DE NÃO TERMOS OU BUSCARMOS INFORMAÇÕES, POIS ACHAMOS QUE SABEMOS DE TUDO E NÃO PRECISAMOS DE NINGUÉM.

    E MESMO ASSIM, AINDA CONSEGUIMOS EVOLUIR POR CAUSA DA COLETIVIDADE. TUDO QUE APRENDEMOS, FOI PORQUE ALGUÉM COMPARTILHOU INFORMAÇÕES EM LIVROS, REVISTAS, DOCUMENTÁRIOS E MUITAS OUTRAS FORMAS E MEIOS NO QUAL ARMAZENAMOS INFORMAÇÕES.

    SOZINHOS SOMOS INCAPAZES DE EVOLUIR. PARA EU EXISTIR, PRECISOU DE DUAS PESSOAS PARA ME PLANEJAREM E ME CRIAREM. PARA EU TER FAMÍLIA E FILHOS, PRECISO DE ALGUÉM. PARA APRENDER E ESTUDAR, PRECISO DE ALGUÉM QUE ME ENSINE.

    SOMOS SERES SOCIAIS, NÃO PODEMOS NOS PRENDER A DOGMAS E PARADIGMAS. DEVEMOS TER A MENTE ABERTA PARA POSSIBILIDADES INFINITAS.

    ResponderExcluir
  88. Matheus Parreiras Junqueira
    PP Noite
    RA 314210479

    O texto fala muito sobre o impulso, do ser humano fazer as coisas através do que vê e percebe. Ele é incentivado pelo meio e pelo seu convívio e comprar, fazer, ir e ter e o comportamento do consumidor nos ajuda a entender melhor a cabeça do publico-alvo.

    ResponderExcluir
  89. Como o próprio testo diz, regularidades são deixadas de lado.O ser humano tende a não dar importância a eventos de baixa magnitudes. Quando um pessoa precisa criar algo do zero ai sim é possível perceber o quão grande é a dificuldade, mas quando se pega algo que já está construído normalmente o mesmo não recebe a sua credibilidade necessária.

    Fernando Soares Martins
    06º Período - Noite

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Texto
      Fernando Soares Martins
      06º Período - Noite

      Excluir
  90. Douglas Rocha
    RA 31425574

    Percebemos que o capitalismo está tão em evidência que não nos preocupamos em saber a origem dos produtos ou serviços, apenas desejamos, e queremos ter em mão a coisa desejada. Até as coisas simples que consumimos diariamente, como a descarga citada no artigo, não nos importamos em decifrar sua trajetória antes e pós consumo. Devemos nos preocupar mais e questionar cada vez mais, em um mundo onde a maioria quer se aproveitar dos outros indivíduos é sempre bom ficar atentos.

    ResponderExcluir
  91. A leitura me leva a reafirmar que o impulso está mais presente na decisão de compra dos consumidores, do que realmente a necessidade. A sociedade consume em grande parte o que os meios nos impõe. Alguns produtos podem ser dispensáveis ao nosso consumo, mas procuramos eles pois eles são socialmente impostos e tê-los implica numa melhora ou promoção social. Muitas vezes nem sabemos como eles funcionam e se serão úteis pra gente.
    Este tipo de comportamento reflete ao consumo desenfreado, onde ignora-se a real necessidade para ser socialmente aceito em um meio.

    ResponderExcluir
  92. O texto diz basante a respeito do behaviorismo onde o condicionamento leva a existir algo prático, ao alcançar um resultado desejado a tendencia é que se repita. Porém sem estimulo que vem do meio o qual esta inserido, não passa a existir uma aprendizagem adequada, as pessoas isoladas não se desenvolvem e nem evoluem sem interação com algum meio e com indivisos externos os quais tem grande influencia nos estímulos direcionados a esta pessoa.

    Mariana Clemente
    RA:314111928

    ResponderExcluir
  93. O texto nos faz refletir como consumimos determinado produto e ao menos procuramos saber seu real funcionamento. Buscamos tanto o consumismo que ficamos cego diante do que realmente queremos e precisamos, e acabamos consumindo algo sem nenhuma necessidade. O texto é grande alerta sobre como as se darão diante dos diversos tipos de produtos que irão vir.

    Pedro Carvalho
    31420752

    ResponderExcluir
  94. Diego Martins
    31425567

    Somos seres sociais, nós fazemos parte da sociedade, a transformamos e somos transformados por ela. Assim como os outros animais nós não fomos criados para vivermos sozinhos, muitas das nossas habilidades só foram desenvolvidas por conta da interação com os nossos iguais. Isso entra nos estudos de comportamento do consumidor, pois entendendo a sociedade e o grupo no qual o individuo participa nós podemos conhecer melhor o nosso consumidor e ter mais conhecimento para desenvolver nossas estratégias.

    ResponderExcluir
  95. Buscamos consumir, a sociedade impõe a necessidade de determinados produtos sem ao menos ter certeza se é necessário ou não, se é útil ou não. Temos um comportamento consumista, sem saber o real motivo da compra, no artigo percebemos exatamente isso, buscamos por algo para suprir a nossa necessidade de consumir e não de realmente precisar de determinados produtos.

    Natália Oliveira
    RA 314113260

    ResponderExcluir
  96. consumo está muito mais ligado ao impulso e desejos do que realmente tem necessidade. Consumimos pois a sociedade nos impôs a necessidade àquele produto, sem ao menos saber como funciona e qual a real necessidade. O texto abrange claramente a teoria behaviorista, onde o meio externo é que nos afeta e condiciona. 31414113261

    ResponderExcluir
  97. O que o texto critica, é o fato de que nos enganamos com a ideia de que temos conhecimento profundo de algo. O que temos são espaços vazios em nossa mente, que são preenchidos automaticamente. O consumo é assim, muitas vezes temos ferramentas em nossas mãos que não sabemos utilizá-las em sua complexidade e que logo são substituídas por outras mais complexas. É o caso do celular, um bem de consumo, extremamente descartável e que faz com que o tempo inteiro, estejamos interessados em "novas tecnologias" sendo que nem utilizamos a antiga direito. É um processo sem fim, o inteiro estamos expostos a essa "necessidade" de atualização de coisas e bens de consumo.

    ResponderExcluir
  98. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  99. Nós como pessoas individuais não conseguimos muita coisa, mas quando nos tornamo um grupo podemos desenvolver coisas incríveis e ajudar um ao outro a alcançar grandes conquistas. O mundo de hoje vem enfrentando uma grande transformação, pois hoje estamos começando a viver em coletivo de novo, um colaborando com o outro e as vezes nos deparamos com atitudes de pessoas que nos ajuda de graça de uma forma tão espontânea que nos assustamos, mas depois aceitamos a ajuda e concluímos que realmente isso está em nossa natureza, somos todos colaborativos, só nos esquecemos. Eu creio que essa nova era da comunicação te ajudado o mundo a se tornar um lugar mais colaborativo e menos egoísta.
    Silvia de Lima Reis, PP manhã, 7 período RA 314118499

    ResponderExcluir
  100. O artigo demonstra como o consumidor em sua maioria das vezes não se importa com o que consome, contanto que seja do seu agrado, ele por diversas vezes, não para para pensar como aquilo foi produzido até chegar a ele.

    R.A 31426982
    PP Noite

    ResponderExcluir
  101. O texto nos mostra duas coisas em relação ao consumidor. Primeiro o conhecimento, muitas vezes eles não tem consciência do funcionamento, composição ou até mesmo utilidade daquilo que consome, isso é um traço de seu comportamento. O outro ponto é a importância do que somos quando estamos em um coletivo. Quando fazemos parte de um grupo, ele nos influencia e nos define, e isso inclui o consumo.
    Ana Paula Ribeiro
    RA 3152149578
    Publicidade e Propaganda - Noite

    ResponderExcluir
  102. O texto nos mostra duas coisas em relação ao consumidor. Primeiro o conhecimento, muitas vezes eles não tem consciência do funcionamento, composição ou até mesmo utilidade daquilo que consome, isso é um traço de seu comportamento. O outro ponto é a importância do que somos quando estamos em um coletivo. Quando fazemos parte de um grupo, ele nos influencia e nos define, e isso inclui o consumo.
    Ana Paula Ribeiro
    RA 3152149578
    Publicidade e Propaganda - Noite

    ResponderExcluir
  103. O texto nos mostra duas coisas em relação ao consumidor. Primeiro o conhecimento, muitas vezes eles não tem consciência do funcionamento, composição ou até mesmo utilidade daquilo que consome, isso é um traço de seu comportamento. O outro ponto é a importância do que somos quando estamos em um coletivo. Quando fazemos parte de um grupo, ele nos influencia e nos define, e isso inclui o consumo.
    Ana Paula Ribeiro
    RA 3152149578
    Publicidade e Propaganda - Noite

    ResponderExcluir
  104. O texto mostra que o consumidor atual encontra-se em uma zona de conforto, na maioria das vezes adquiri produtos/serviços que julga ser essencial mas que na verdade não passa apenas da necessidade de possuir, penso que na maioria das vezes falta aquela curiosidade de conhecer o que se está consumindo, suas origens, fontes e seu real beneficio, curiosidade no geral.
    Cibele Rayane
    31425977

    ResponderExcluir
  105. Daniel de Oliveira
    31412173

    O conhecimento, o consumo e os desejos não teriam nenhuma razão se fossemos sozinhos. O social, a comunicação e interação com o próximo traz sentido a tudo, despertando no consumidor suas preferências, preferências essas que são ditados pela espaço onde ele esta inserido. Alguém sozinho no mundo não teria preferências, a não ser realização de suas necessidades básicas. Vemos na pirâmide de Maslow que só passamos de nível quando suprimos as necessidades do nível abaixo, o social tem uma gigante influencia nessa realização pois somos seres nascidos para estar em conjunto.

    ResponderExcluir
  106. Gustavo Fortunato29 de junho de 2017 09:56

    A partir desse texto fica mais claro e perceptivel que as discussões sobre os conceitos do comportamento do consumidor que tivemos em sala de aula se encaixam parfeitamente com a realidade.
    Como a influencia no processo de compra, o comportamento na decisão e os estimulos que fazem o consumidor levar seu dinheiro a ser gasto com determinado produto.

    Gustavo Fortunato
    317112860

    ResponderExcluir